Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Brinquedos > Transporte-se para outra dimensão!

Transporte-se para outra dimensão!

Categoria: Brinquedos
Visitas: 2
Comentários: 2
Transporte-se para outra dimensão!

Não há dúvida que nós somos tudo o que vivemos, como protagonistas ou receptores. Uma das vertentes que mais nos marcam é, incontestavelmente, o tempo das brincadeiras. Brincar faz parte da natureza da criança. Quando brinca com coisas, objectos, brinquedos, ela está a tentar compreender a complexa realidade que a circunda e, simultaneamente, a recriar essa mesma realidade. A brincadeira é um assunto sério, porque através dela as crianças reconvertem uns objectos noutros, o que as ajuda a descobrir a vida! Elas acreditam que se podem integrar nos objectos e vivem num mundo mágico. Se, por exemplo, se colocam atrás de uma cortina ou de uma porta, podem sentir-se leves e flutuantes como a primeira e incarnar a espessura e o peso da segunda.

Em cada coisa, em cada brincadeira, os pirralhos descobrem um saber oculto. Parece que vão desvendando mistérios, e assim a significação de cada um deles muda constantemente. O cabo da vassoura é passível de se transformar num ápice, e deixar de ser um cavalo para passar a representar uma bandeira. É nesta perspectiva de busca dos segredos da existência que os miúdos desmontam os brinquedos, no sentido de os reconstruírem, deixando cair por terra a teoria de que só estragam porque são mauzinhos. Escrevia Winnicott, em 1975, que «é no brincar, e talvez apenas no brincar, que a criança ou o adulto fruem a sua liberdade de criação». Para além de um direito, brincar é uma necessidade para o desenvolvimento pleno e harmonioso dos petizes.

A escolha dos brinquedos deve contemplar a avaliação de diversos factores, onde se incluem o estádio de progresso psicomotor, a personalidade, o gosto e/ou o interesse particular da criança por determinadas áreas, a segurança, o preço e a aprovação dos pais ou educadores. Não é tarefa fácil, nem deve ser feita de ânimo leve.

Ainda que os brinquedos assumam um papel preponderante no crescimento, não há que entrar em exageros. Não é por ter um quarto a abarrotar deles, de maneira que nem se sabe como é que o garoto ou a menina lá dormem, que se produz mais felicidade. Por vezes, uma história, um jogo improvisado ou uma manifestação de afecto inesperada constituem presentes de valor imensamente superior.

Quando se atinge uma fase posterior da vida, costuma chegar-se à conclusão (e isto é válido para quem teve muitos brinquedos e para aqueles que não puderam ter abundância ou mesmo nenhuns) que os melhores brinquedos são os irmãos. De carne e osso, dão e recebem, fazem-nos crescer e crescem também através de nós.
Grandes amigos, apesar das guerrinhas e competições, companhias sempre presentes, estímulos e refúgios seguros. De facto, a infância é temporária, mas os seus resultados são para toda a vida!



Maria Bijóias

Título: Transporte-se para outra dimensão!

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 2

628 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • SophiaSophia

    25-04-2014 às 18:27:53

    Muito bom o texto, a Rua Direita agradece.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãoarthur parra arduino

    07-11-2009 às 13:16:21

    qual é 26 dimensão

    ¬ Responder

Comentários - Transporte-se para outra dimensão!

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Dicas para decorar salas pequenas.

Ler próximo texto...

Tema: Decoração
Dicas para decorar salas pequenas.\"Rua
A realidade das grandes cidades é que a maioria das pessoas mora em espaços pequenos. É fato também que todos desejam ter um ambiente acolhedor e aconchegante para receber amigos. Em contrapartida, na medida em que os espaços encolhem, a quantidade de aparelhos eletrônicos que utilizamos aumenta cada vez mais. Há ainda quem use a sala como home-office.

Nesta busca de inspiração para organizar e incrementar sua sala, encontramos uma série de sites especializados e blogs com muitas, muitas ideias. O conceito de D.I.Y. (do it yourself) que significa "faça você mesmo” nunca esteve tão na moda. É uma alternativa para reduzir gastos com mão de obra e nada melhor do que criar um espaço com um toque todo seu. Inspirações e ideias não faltam. Hoje, de certa forma todos nos sentimos meio decoradores.

Mas planejar a decoração de uma sala pequena exige alguns cuidados para que o ambiente não fique entulhado de móveis, disfuncional ou até mesmo desagradável.

Confira algumas dicas para decorar sua sala com estilo e valorizando seu espaço:
Os espelhos, além da autocontemplação, causam efeitos interessantes. Aplicados, por exemplo, em uma parede inteira pode duplicar a amplitude do ambiente. Pode ser usado também em móveis, tetos, em diversos formatos e valorizar a luminosidade da decoração.

As cores tem poder de causar sensações. Em ambientes com pouco espaço, elas podem colaborar para que a sensação de amplitude possa tanto aumentar quanto diminuir. Para pintar as paredes de sua sala aposte em cores claras. O teto com uma cor mais clara que a das paredes, por exemplo, pode simular uma elevação do teto, já em uma cor mais escura, promoverá uma sensação de rebaixamento do teto.

A escolha e posição dos móveis são um aspecto muito importante. Opte por poucos móveis, nunca de tamanhos exagerados e posicione-os de forma que valorize o espaço. Móveis que misturam poucos materiais, baixos e com linhas retas proporcionam leveza ao ambiente.

Uma solução muito interessante para espaços pequenos é a utilização de prateleiras. Caixas para produtos horto frutícolas reformadas podem se tornar lindas prateleiras. Mas cuidado com a profundidade, para não atrapalhar na disposição de outros móveis e objetos.

Móveis multifuncionais ou móveis inteligentes são excelentes alternativas para uma sala pequena. Um bom exemplo são pufes, que podem ser usados como mesas de centro ou ficarem alojados debaixo de aparadores e quando recebemos visitas podem se transformar em assentos extras. Mesas dobráveis também são uma ótima opção.

Escolher o mesmo piso ou revestimento pode dar a impressão de área maior, de continuidade. Mudanças drásticas de um ambiente para outro pode causar a sensação de divisão e consequentemente fazer parecer menor.

Algumas outras dicas: um sofá retrátil ou reclinável garante muito mais conforto e ocupa o espaço de um sofá simples. Suporte ou painéis móveis para TV possibilitam que ela seja movida na direção desejável. Caso o ambiente tenha escadas, escolher um modelo de escadas vazadas evita divisões e pode se tornar uma peça de destaque na sala. E para as cortinas, escolha tecidos leves, lisas e sem estampas.

De qualquer forma, ouse, não tenha medo de arriscar, crie, não copie, só assim será seu!

Luciana Santos.

Outros textos do autor:
Dicas para decorar salas pequenas.

Pesquisar mais textos:

Luciana Maria dos Santos

Título:Dicas para decorar salas pequenas.

Autor:Luciana Maria Santos(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Carlos Rubens Neto 16-06-2016 às 16:20:24

    Excelente matéria! Parabéns Luciana ;)

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios