Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Publicidade > Como criar newsletters à medida dos clientes

Como criar newsletters à medida dos clientes

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Publicidade
Visitas: 2
Como criar newsletters à medida dos clientes

Uma newslettter concorre, no dia a dia normal de uma fatia considerável dos profissionais, com centenas de e-mails que povoam a caixa de correio eletrónico. Correndo o risco de ser considerada como lixo, há que criar estratégias diferenciadoras que permitam torná-la atraente, chamando a atenção do destinatário para mensagens que lhe interessem. Na prática, trata-se de fidelizar os consumidores numa relação com as marcas, repensando formas de comunicar e lograr capacidade para conseguir um pouco de tempo em agendas superpovoadas de afazeres.

Em primeiro lugar, a marca deve falar diretamente com os compradores prioritários. Na verdade, os indivíduos que busquem a comunicação da marca revelam ter com ela uma ligação que terá toda a vantagem em ser aproveitada. Os clientes mais antigos procuram o respeito a que a marca já os habituou e não estão dispostos a adaptar-se a novas abordagens. Por outro lado, os clientes que mostram familiaridade com a marca aceitam a newsletter para confirmar a sua decisão relativa a produtos ou serviços, numa perspetiva de ter a certeza de não cometer erros. Dado que as pessoas querem sempre estar de posse da razão, mesmo que as evidências apontem noutra direção, as marcas podem lucrar com a apresentação de provas que corroborem a opção sensata do consumidor. Em acréscimo, as newsletters são suscetíveis de fornecer um espetro mais vasto e aprofundado acerca do posicionamento e das características do que é oferecido.

Paralelamente, a explanação de algum dos processos produtivos ou a enumeração dos padrões de controlo de qualidade funcionam, em muitas mentes, como um designativo de exclusividade, que, em variadíssimas situações, não corresponde à realidade.

O marketing relacional aplicado deve ir no sentido de acenar com produtos e serviços que resolvam problemas, passíveis de melhorar a vida dos compradores ao invés de mudá-la. Efetivamente, o ser humano revela-se, invariavelmente, avesso à mudança, e agarra qualquer coisa que lhe possibilite continuar a desfrutar de tudo aquilo de que não deseja prescindir, mas sem as consequências nefastas dessa escolha. Portanto, fecha a mente a conteúdos que lhe falem de alterar maus hábitos, mas mostra-se recetivo a respostas inovadoras que não lhe exijam nada (ou o mínimo possível). Testar a comunicação enviada é assaz útil, sendo que o resultado pretendido é que cada consumidor chegue à conclusão de estar diante da marca perfeita para si.

A construção de vínculos sólidos com os consumidores prioritários é fundamental. Para estes, o preço não constitui um incentivo, pelo que se a comunicação implicar alguma promoção convém mencionar um intento que a ultrapasse (por exemplo, juntando um cartão de agradecimento ou de proposta de experimentação). Como se costuma dizer, «a imaginação é o limite»…


Maria Bijóias

Título: Como criar newsletters à medida dos clientes

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 2

626 

Imagem por: EMMEALCUBO

Comentários - Como criar newsletters à medida dos clientes

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O meu instrumento musical avariou!

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Instrumentos Musicais
O meu instrumento musical avariou!\"Rua
É inevitável que, mais cedo ou mais tarde, um instrumento musical precise de reparação.

Mesmo que conheçamos bem o nosso instrumento e o consigamos arranjar, na maioria das vezes é necessário um técnico para o fazer com a melhor das qualidades.

Eventualmente, nem será necessário existir um problema com o instrumento, poderá ser apenas uma questão de manutenção. 

No caso de uma guitarra, por exemplo, qualquer instrumentista é perfeitamente capaz de substituir uma corda partida e tirar da guitarra o mesmo som que ela tinha.

No entanto, existem reparações, seja uma amolgadela no tampo ou uma tarraxa arrancada, que convêm ser feitas por técnicos especializados.

Por norma, as próprias casas que vendem instrumentos musicais efectuam essas reparações ou são capazes de aconselhar técnicos para as fazer.

Mediante o instrumento musical em questão, a reparação ou manutenção poderá ser mais cara. É sempre mais fácil arranjar um técnico que repare um piano do que um que arranje oboés.

Apesar de ser normal cuidar do nosso instrumento musical regularmente, os percalços acontecem todos os dias. Para os contornar, há sempre alguém que nos poderá aconselhar melhor do que nós próprios.

Apesar de poder sair mais caro, temos também a certeza de que o nosso instrumento foi arranjado por especialistas no assunto.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:O meu instrumento musical avariou!

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Imagem por: EMMEALCUBO

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • luiz fabiano 18-02-2012 às 15:48:28

    boa tarde amigos preciso de um cabo flex da lcd da camera g70 se aulguem tiver mande um email obrigado

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios