Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Restaurantes > Estrelas em restaurantes

Estrelas em restaurantes

Categoria: Restaurantes
Visitas: 2
Comentários: 1
Estrelas em restaurantes

A escolha de um restaurante recai muitas vezes sobre o que tem melhor relação qualidade-preço. Mas, outras vezes há, em que o preço não é factor impeditivo e procura-se o melhor cotado em termos de qualidade. Mas como saber o que define a qualidade de um restaurante?

Uma das possibilidade é procurar restaurantes de apresentem Estrelas Michelin. O guia Michelin foi publicado pela primeira vez em 1900 por André Michelin, cujo negócio principal se prendia com o fabrico de pneus. Com a criação dos guias, o seu objectivo era promover o turismo para o crescente mercado automobilístico. Actualmente, o Guia Michelin está presente na maioria dos países europeus e em vários de todo o mundo. Apresenta-se em duas cores: vermelho e verde, com objectivos e especificações distintas.

Os guias verdes são guias turísticos que se concentram na divulgação do património natural e cultural dos vários países. Já os vermelhos referenciam hotéis e restaurantes.

As estrelas atribuídas por este guia são o sonho e pesadelo de qualquer grande chef. Podem ser atribuídas 1, 2 ou 3 estrelas, sendo que quando maior o número, melhor o restaurante em causa. Ganhar uma estrela do guia significa a ascensão do restaurante e dos seus chefs. É de tal forma creditado e aclamado entre a classe gastronómica, que perder um dos galardões pode induzir desfechos inesperados, como o suicídio do chef Bernard Loiseau em 2003, após rumores de que o seu estabelecimento perderia a classificação de “Três Estrelas Michelin”.

Portugal, bem como outros países europeus, tem vários restaurantes com Estrelas Michelin. No total são 10 os que apresentam esta distinção. Em Lisboa, apenas um se destaca – o Eleven, junto ao Parque Eduardo Sétimo. Na Madeira, apenas o “Il Gallo d’Oro” teve também esta atribuição. Já Almancil possui vários, como o “São Gabriel”, o “Henrique Leis” e o “Amadeus”. Em Coimbra, o “Arcadas da Capela”, na Quinta das Lágrimas faz as delícias dos seus clientes.

Em Albufeira podemos apreciar o “Villa Joya” e em Cascais o “Fortaleza do Guincho”. Já na Quarteira, não podemos deixar de visitar o “Wilie´s”. Por fim, em Amarante, “A Casa da Calçada” foi um dos mais recentes galardoados.

Se para os donos e chefs dos restaurantes eleitos, tal distinção traz clientes e distinção, para Portugal traz reputação e notoriedade, apresentando ainda mais razões para estrangeiros visitarem o nosso país.



Cláudia Bandeira

Título: Estrelas em restaurantes

Autor: Cláudia Bandeira (todos os textos)

Visitas: 2

798 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Yuri SilvaYuri

    16-09-2014 às 05:17:20

    Essa classificação é muito boa, pois assim saberemos o tipo se lugar que queremos ir e que esteja dentro do que podemos pagar.

    ¬ Responder

Comentários - Estrelas em restaurantes

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios