Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Restaurantes > Restaurantes para comer a qualquer hora

Restaurantes para comer a qualquer hora

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Restaurantes
Visitas: 2
Comentários: 1
Restaurantes para comer a qualquer hora

Quantas vezes já lhe aconteceu ter um ratinho no estômago quando a hora já é tardia? Ou trabalhar até mais tarde e encontrar a maior parte dos restaurantes fechados. Sem nada para comer e com a fome a apertar, muitos são os que ficam rabugentos, irrequietos e desesperados.

Há ainda os que sem qualquer motivo, gostem de comer mais tarde e sejam muitas vezes sujeitos a ter de escolher o que sobrou do dia. Não se contentam com uma sandes e uma bebida rápida e procuram insistentemente por uma refeição decente que privilegie os seus gostos tardios.

Nestas situações, muitos são os que não se recordam de restaurantes tardios, que servem pratos quentinhos, acabados de fazer e prontinhos a comer. O nome? É fácil – Restaurantes After Hours!

Estes restaurantes oferecem todas as condições apresentadas por outro tipo de restaurante com a característica de que se disponibilizam a servir os seus clientes fora a hora dita normal.

Os restaurantes after hours oferecem não só refeições tardias, mas mantêm os seus serviços durante as horas de almoço, e snacks durante a tarde. Prontos e disponíveis a quem não mantêm horários conhecidos por os de escritório e trabalha das 9h às 18h. Trabalhos por turnos e horários complicados, oferecem a estes restaurantes os clientes regulares.

As especialidades, oferecidas e servidas até às 3h ou 4h da manhã são muitas. Entre a cozinha Indiana e Italiana, Israelita, Mexicana e Brasileira, as escolhas são bastante variadas e especiais. Se o que procura é comida tradicional Portuguesa, saiba que esta é a cozinha mais praticada nestes restaurantes, sempre acompanhados por especialidades.

Se a intenção é penicar qualquer coisita, existem também restaurantes que oferecem caldo verde, pão com chouriço e um cacao quente. Em sítios estratégicos, muitos deles perto de discotecas e hospitais, os restaurantes after hour fazem delícias entre os clientes e matam a fome a quem por qualquer motivo queira cear tardiamente.

Restaurantes que apresentam características diferentes entre si, enchem-se de clientes diferentes, conforme necessidades e saciam gostos, preferências e principalmente, fomes. Com serviço de comida até tarde, alguns destes restaurantes acrescem ao seu serviço, uma pista de dança, música ao vivo e um atendimento de excelência.

Para todos os preços e para todos os gostos, úteis, necessários, próprios, únicos, estes restaurantes são a moda e a tábua de salvação para as barriguinhas que comem tardiamente.


Carla Horta

Título: Restaurantes para comer a qualquer hora

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 2

795 

Imagem por: leafar.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Vicente SilvaVicente

    16-09-2014 às 05:12:13

    Existem os que entregam a domicílio e ainda os que fornecem serviço no próprio balcão. Muito bom este texto de restaurantes para comer a qualquer hora.

    ¬ Responder

Comentários - Restaurantes para comer a qualquer hora

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Literatura
Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal\"Rua
Gertrude Stein foi uma escritora de peças de teatro, de peças de opera, de ficção, de biografia e de poesia, nascida nos Estados Unidos da América, e escreveu a Autobiografia de Alice B. Toklas, vestindo a pele, e ouvindo pela viva voz da sua companheira de 25 anos de vida, os relatos da historia de ambas, numa escrita acessível, apresentando situações caricatas ou indiscretas de grandes vultos da arte e da escrita da sua época. Alice B. Toklas foi também escritora, apesar de ter vivido sempre um pouco na sombra de Stein. Apesar de ambas terem crescido na Califórnia, apenas se conheceram em Paris, em 1907.


Naquela altura, Gertrude vivia há quatro anos com o seu irmão, o artista Leo Stein, no numero 27 da rue de Fleurus, num apartamento que se tinha transformado num salão de arte, recebendo exposições de arte moderna, e divulgando artistas que viriam a tornar-se muito famosos. Nestes anos iniciais em Paris, Stein estava a escrever o seu mais importante trabalho de início de carreira, Three Lives (1905).


Quando Gertrude e Alice se conheceram, a sua conexão foi imediata, e rapidamente Alice foi viver com Gertrude, tornando-se sua parceira de escrita e de vida. A casa, como se referiu atrás, tornou-se um local de reunião para escritores e artistas da vanguarda da época. Stein ajudou a lançar as carreiras de Matisse, e Picasso, entre outros, e passou a ser uma espécie de teórica de arte, aquela que descrevia os trabalhos destes artistas. No entanto, a maior parte das críticas que Stein recebia, acusavam-na de utilizar uma escrita demasiado densa e difícil, pelo que apenas em 1933, com a publicação da Autobiografia de Alice B. Toklas, é que o trabalho de Gertrude Stein se tornou de facto reconhecido e elogiado.


Alice foi o apoio de Gertrude, foi a dona de casa, a cozinheira, grande cozinheira aliás, vindo mais tarde a publicar algumas das suas receitas, e aquela que redigia e corrigia o que Gertrude lhe ditava. Assim, Toklas fundou uma pequena editora, a Plain Editions, onde publicava o trabalho de Gertrude. Aliás, é reconhecido nesta Autobiografia, que o papel de Gertrude, no casal, era o de marido, escrevendo e discutindo arte com os homens, enquanto Alice se ocupava da casa e da cozinha, e de conversar sobre chapéus e roupas com as mulheres dos artistas que visitavam a casa. Depois da morte de Gertrude, Alice continuou a promover o trabalho da sua companheira, bem como alguns trabalhos seus, de culinária, e um de memórias da vida que ambas partilharam.


Assim, este livro que inspirou o filme “Meia noite em Paris”, de Woody Allen, é um livro a não perder, já nas livrarias em Portugal, pela editora Ponto de Fuga.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Imagem por: leafar.

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios