Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Música > O começo deve vir do começo!

O começo deve vir do começo!

Categoria: Música
Visitas: 18
O começo deve vir do começo!

Não são poucas as pessoas que querem ingressar no meio musical seja para gosto pessoal, para ganhar dinheiro ou para dar um "upgrade" em sua imagem social. Afinal, todos param para ouvir aquele músico que executa com sentimento e sensibilidade a melodia escolhida. Sensibilidade esta que está sendo perdida cada vez mais com o passar dos anos.

Novas coisas, que estão chamando de música, surgem a cada dia e o assunto quase sempre é falar do meu carrão, da minha geladeira que tá lotada de geladas, do meu pai que morreu e deixou uma puta de uma herança pra mim e agora fiquei lindo e etc etc etc. Onde está o problema de tudo isso? Como ver e ouvir isso tudo calado? Qual a solução? Simples. O problema é a base, o começo, a fundação. Sem agrotóxicos o vegetal não sobrevive, pois as pestes o destroem. O vegetal é a música, as pestes a sociedade e os agrotóxicos somos nós.

Porém, se não tivermos uma mente já formada culturalmente antes de tentarem enfiar em nossa cabeça um "Lepo-lepo", facilmente podemos ser abduzidos pela morfina da música hereditária -de amigo para amigo-, podendo ser tarde quando percebermos que estamos colocando "Vai taca" no aniversário de três anos dos nossos filhos.

Por favor, não estou em momento algum discutindo sobre gosto musical, afinal esses "trecos" impostos aos nossos ouvidos não podem sequer ser considerados como música. Estou apenas citando a inutilidade de canções fervorosas que colam na nossa cabeça como aqueles Jingles de lojinhas.

E você me pergunta: "Mas Gustavo, se seus argumentos são tão fortes em relação a isso, e todo mundo que tem o mínimo de consciência percebe essa destruição da cultura, porque ainda são divulgadas essas "músicas" nas rádios e TV's?".

Digo que a reposta é simples, mas a situação não: Isso é um ciclo vicioso! A rádio toca "funk ostentação" e as pessoas que a ouvem acreditam que isso é o que devem ouvir para serem aceitos na sociedade, pois está tocando na "voz do povo".

Como consequência, o que as pessoas mais ouvem é "funk ostentação", e a rádio quer ganhar mais ouvintes, então o que ela faz? Você já adivinhou: toca "funk ostentação". Isso também gera novos artistas desse estilo, fazendo não só com que o ciclo continue, mas também que ele atinge novas proporções.

Não sei você, leitor, -isso pode até soar um pouco conservador, e as feministas vão pirar- mas eu não quero ver meu neto indo à balada, ou indo ao baile funk, só porque a sociedade vai. A solução para que nossos filhos tenham as próprias escolhas é que mostremos a eles o leque de opções para se divertirem também sozinhos.

Devemos ensiná-los a serem independentes, principalmente da sociedade. Além disso todos deveriam fazer uma aula de música com um bom professor antes de definir seu gosto musical e, voltando ao começo, também ensiná-los a terem sensibilidade não só com a música, terem sensibilidade também com a vida, para que essa possa ser sentida em cada passo do nosso dia.


Gustavo Rigamonte

Título: O começo deve vir do começo!

Autor: Gustavo Rigamonte (todos os textos)

Visitas: 18

2 

Comentários - O começo deve vir do começo!

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O que é uma Open House?

Ler próximo texto...

Tema: Imóveis Venda
O que é uma Open House?\"Rua
Este é um tema que vem pôr muito a lindo o trabalho de alguns mediadores imobiliários e do seu trabalho.

Quando temos um imóvel para vender, muitos são os métodos a utilizar e os meios que nos levam até eles para termos o nosso objetivo cumprido – A venda da Casa.
Quando entregamos o nosso imóvel para que uma mediadora o comercialize, alguns aspetos têm de ser tidos em conta, como a legalidade da empresa e quem será a pessoa responsável pela divulgação da sua casa, mas a ansia de vermos o negócio concretizado é tanta, que muitas vezes nos escapa a forma como fazem a referida divulgação e publicidade do imóvel.

Entre anúncios na internet e as conhecidas folhas nas montras dos estabelecimentos autorizados, muitas mediadoras optam por fazer uma ação que está agora muito em voga que é uma Open House. Mas afinal, o que é isto de nome estrangeiro que tanto se vê pelas ruas e em folhetos de anúncio?

Ora bem, a designação em Português é muito simples – Casa Aberta. E na realidade, uma Open House é isso mesmo. Abrir uma Casa para que todos a possam ver. NO entanto, requerem-se alguns aspetos que as mediadoras normalmente preveem, mas que é fundamental que o proprietário do imóvel também tenha consciência e conhecimento.

Por norma as imobiliárias só fazem este tipo de intervenção e ação em imóveis que têm como exclusivo, isto é, quando é uma só determinada mediadora, a autorizada a poder comercializar o imóvel.

Em segundo lugar, este tipo de ação de destaque requer à mediadora custos com tempo, recursos humanos e financeiros.
A mediadora começa por marcar um dia próprio que por norma é datado para um feriado ou fim de semana. Faz então publicidade local através de folhetos e flyres anunciando a Open House, o dia e a hora, tal como o local. Muito provavelmente serão tiradas fotografias ao seu imóvel.

Através de redes sociais também poderão ser divulgadas as ações.
No dia da Open House, o local será indicado com publicidade da sua casa e da imobiliária e começarão a aparecer visitas ao imóvel.

Sugiro que não tenha mobiliário e muito menos valores em casa. O ideal será o imóvel estar desocupado de todos e quaisquer bens, por uma questão de segurança, mas também porque as áreas parecerão maiores e isso com toda a certeza ajuda à venda.

A imobiliária será responsável pela limpeza e trato do imóvel, pelo que se ocorrerem danos, serão eles os responsáveis.
Neste tipo de ações, é normal que a concorrência das imobiliárias apareça e faça parcerias que para si só trará vantagens.

Uma Open House pode não ser uma ação de destaque em Portugal, mas por exemplo nos Estados Unidos, é o normal e mais agradável. Os clientes não se sentem pressionados como numa visita normal e os negócios concretizam-se com muito mais rapidez e naturalidade.

Pesquisar mais textos:

Carla Horta

Título:O que é uma Open House?

Autor:Carla Horta(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios