Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Música > Como montar meu repertório?

Como montar meu repertório?

Categoria: Música
Visitas: 12
Como montar meu repertório?

Muitas bandas que querem montar seu repertório vivem uma cruel busca para manter seus ouvintes o tempo todo animados. Mas será realmente que os ouvintes devem ficar o tempo todo gritando e pulando? Confira as dicas a seguir e você entenderá o que precisa:

Quando concebendo sua set list, mantenha em foco os elementos a seguir:

* Público

* Tonalidade

* Andamento

* Feel

* Transições

* Timbres/Vozes

Público
Para quem você está tocando? O que eles esperam de seu show? Sua plateia vai estar dançando ou só ouvindo? Seu material deve ser escolhido apropriadamente. Um público de ouvintes não tem de ouvir o incentivo “Levanta e sai do chão!” Na real, se o lugar do show não der uma boa pista de dança, fazer as pessoas levantarem para requebrar pode até fazer com que o dono da casa te proíba de tocar lá para sempre. Saiba o que a casa de shows espera de você e projete seu set list de acordo.

Lembre-se: uma plateia dançante tende a responder melhor a canções de letras simples e refrões para cantar junto. (“I wanna be sedated!”, “Pre-pa-ra!”, “I fight authority!” e “Segura o Tchan!”) Músicas que narram uma história ou canções com letras intricadas ou arranjos complexos podem ser mais difíceis na hora de convencer uma plateia dançante. Essas mesmas músicas tendem a funcionar muito bem com uma plateia ouvinte. Atenda às expectativas de o que o público e os donos do lugar onde você está se apresentando esperam de você.

Tonalidade
A tonalidade de uma música é sua seu acorde tônico: E, C#, Am, por exemplo. A regra para sua set list é: não toque duas músicas com a mesma tonalidade uma em sequência da outra. Ainda que o público não consiga definir exatamente o porquê, é capaz que pensem que suas músicas “têm todas o mesmo som”, e o fundamento para essa impressão é tocar muitas músicas com a mesma tonalidade em seguida.

É importante notar que cada nota tem uma qualidade de som que é sutil, mas que está lá. Isso é em função das ondas sonoras que não necessariamente se encaixam no temperamento igual, o conceito que foi adotado pela música Ocidental há alguns séculos.

Temperamento igual é um tipo de afinação que permite que instrumentos com notas fixadas em teclas (piano, cravo etc.) soem “afinados” em várias tonalidades diferentes. As regras físicas por trás desse conceito têm a ver com a harmonia sobretonal que soa a cada vez que uma nota é tocada. Por exemplo, vamos pegar uma nota Dó tocando a 440 hertz (Hz). A série de sobretons em cima de 440 incluem 880Hz e 1760Hz. Toque um Ré bemol, entretanto, e a frequência fundamental será, entretanto, diferente de um Dó.

Para ver como esse conceito funciona na vida real, faça esse exercício proposto por trainadores profissionais no site perfectpitch.com: sente num piano com uma caixa de giz de cera e um papel dividido em 12: um para cada oitava (de Dó sustenido a Sol bemol). Feche seus olhos e toque cada uma das notas, na ordem que quiser. Ouça com atenção, e pense em termos de cores. Depois, literalmente ache a cor na sua caixa de giz que corresponda à nota e preencha o espaço reservado para ela no papel. Quando tiver terminado as 12 notas, você pode se surpreender com o calor (vermelho ou laranja) ou frio (azul ou verde) que parece emanar de cada tom.

Um bom set list, portanto, mistura centros tonais. E, ainda mais, leva em conta notas menores. Muitas canções em tons menores em sequência também podem causar má impressão na plateia. Se na hora de montar seu próximo set list você levar em conta só esse conceito de separar tons, os ouvidos do seu público já vão ficar mais atendo a o que você for tocar durante o show.

Voltando à “cor,” se você é uma daquelas pessoas especialmente sensíveis a centros tonais, lembre-se de que a plateia só responderá algumas vezes a estímulos “quentes” e “frios”. Se você tocar muitas músicas “quentes” ou “frias” em seguida, vai causar menos impacto do que se intercalar os tipos. Um set list bem montado de verdade balanceia quentura e frio e todas as “cores” de notas.

E, por fim, são especialmente boas para um set list canções em notas Lá maior, Ré menor, Sol menor etc. Uma ou duas salpicadas no set list conseguem ajudar muito na sua unidade. (Ao contrário, para uma banda baseada em metais que já toca notas que não se consegue com um violão, colocar algumas músicas feitas em cordas pode ajudar a contrabalançar.)

Andamento
O andamento é, literalmente, como uma canção é disposta no metrônomo. A maioria das músicas pop e rock se encaixam nas categorias gerais de andamento: lento (entre 60 e 80 batidas por minuto), médio (entre 80 e 112 batidas por minuto) e rápido (tudo acima de 112 batidas por minuto). Um bom set list, obviamente, intercala andamentos como intercala notas e tons. Toque muitas canções de tempo médio em seguida e sua plateia ficará aflita, sentindo que há algo esquisito, mas sem saber exatamente o quê. Essa é a sentença de morte do um músico. Se sua plateia passar mais tempo questionando sua música do que curtindo-a, há algo de muito errado

É especialmente broxante para a plateia o combo de músicas no mesmo andamento e no tesmo tom. Se você quer ver a plateia se azumbizar na sua frente, toque três músicas com andamento médio e em tom de Ré menor em seguida. Independente das letras, que podem ser completamente diferentes umas das outras, seu público, ainda que não saiba exatamente por que, vai sem dúvida achar que tudo que você toca é igual.

Note-se que existe quem defenda um quarto grupo de andamento: muito rápido, com andamento acima de 140 batidas por minuto. Para um cara comum ouvindo rock ou pop, esse passo parece excessivo, mas para uma banda que só toca canções rápidas, vira uma coisa importante. Uma banda punk, por exemplo, pode não ter nenhuma canção que se encaixe em andamentos lento e médio, ou só uma ou duas. Neste caso, uma segmentação maior dos andamentos é importante. Se 90% das músicas no repertório de uma banda estão acima de 112 batidas por minuto, então defina os andamentos como rápido, muito rápido e rapidíssimo. E, se há uma canção média, ela pode desmotivar a plateia. Se os centros tonais também foram considerados, fazer um set list profissional ainda é possível.

Feel
Proximamente ligada ao andamento está o “feel”, que é a nuance rítmica de uma canção. Ela é rock tradicional? Reggae? Pop dos anos 1960? Uma música com dado andamento pode ser qualquer um desses “feels”. Tocadas ao mesmo tempo, uma música com andamento de 112 batidas por minuto com um “feel” de discoteca poderia soar completamente diferente de outra com o mesmo andamento, mas com ritmo de rock. Isso é especialmente verdade se as duas músicas estiverem em tonalidades diferentes. Mas não tente sua sorte com muita força. Você pode até fazer um bom show com três canções seguidas no mesmo andamento, mas com “feel” e tons diferentes, mas aumente esse número e o público vai começar a se perguntar “Por que o som dessa banda é sempre o mesmo?”.

(Obs: independente de andamento e de feel, quando o assunto é não coloque duas músicas no mesmo tom uma em seguida da outra. Sério, não faça isso.)

Transições
Uma transição é um método ou métodos que uma banda usa para passar de uma música para a seguinte. Talvez seja o baterista contando até cinco com suas baquetas, talvez seja o vocalista berrando uma contagem regressiva, que nem o Bruce Springsteen. Ou talvez seja uma história engraçada ou ilustrativa de como surgiu essa música, contada direto do palco. Espero que a sua não seja os membros da sua banda olhando um para o outro e dizendo “Qual é a próxima?” ou “Como essa daqui começa?”. Esse tipo de vácuo pode matar um show. Você não precisa saltar direto de uma música para a outra. Ainda mais se estiver ganhando uma boa resposta do público, com muitos aplausos e apupos, tanto você quando sua plateia querem mergulhar nessa glória por alguns segundos. Mas, assim que a empolgação começar a arrefecer, faça como Ren Hoek manda, “Get on with it, man!” (Vai nessa, homem!).

Segues são próximos de transições, um esquema de mudar de uma música para outra já concebido antes do show. Parecido com medleys, que são colagens de pedacinhos de músicas, segues são transições de música a música. Por exemplo, minha banda usa segues entre dois covers que tocamos. Terminamos “Times like These”, dos Foo Fighters (em tom de Fá) num acorde de Mi. Depois de um número determinado de segundos (que depende da reação da plateia) eu toco o riff inicial de “Peace Train”, do Cat Stevens, que é centrado em tom Mi. Alem dos centros tonais distintos, as canções têm feels e andamentos diferentes. É claro que não temos nosso set inteiro com segues, mas temos alguns momentos espertinhos como esse, que só contribui para o profissionalismo que buscamos.

A não ser que seu grupo esteja tocando num show estilo Las Vegas, que usam segues do início ao fim, umas duas ou três canções com transição de uma para outra podem estar espalhadas em um set, o que ajuda a criar uma sensação de unicidade e de ânimo.

Timbres/Vozes
Timbre é a qualidade de um som. Um Mi, por exemplo, tocado em diferentes instrumentos (piano, trompete, gaita etc.) será fácil de distinguir só se baseando no som do instrumento e em seu timbre. Isso também é verdade para a voz humano—que os treinadores de voz chamam, por coincidência, de o instrumento humano. Cada voz tem um timbre distinto, assim como instrumentos. Mesmo assim, cantores podem mudar seu estilo vocal, indo de grunhido a gritinho, passando por murmúrios. Quando o assunto é seu set list, isso também precisa ser levado em conta. Assim como as preocupações com tom e andamento, muitas canções com vocal berrado pode fazer sua audiência perder a atenção.

E, se você se dá ao luxo de ter mais de um cantor no seu grupo, seu set list deve levar isso em conta também. Você pode, por exemplo, um cantor para altos e outro para baixos. Nenhum deles é melhor que o outro, mas usar os dois como contraste pode render um bom set. Depois de uma canção gritada, mudar o andamento e o tom, e daí trazer um crooner não só vai adicionar variedade a seu show, mas também levará seu set mais adiante, deixando o público atencioso e com os ouvidos agradecidos.


Gustavo Rigamonte

Título: Como montar meu repertório?

Autor: Gustavo Rigamonte (todos os textos)

Visitas: 12

0 

Comentários - Como montar meu repertório?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Saiba como consertar seu fone de ouvido

Ler próximo texto...

Tema: Electrodomésticos
Saiba como consertar seu fone de ouvido\"Rua
É quase certo que, se não forem todas as pessoas, boa parte delas já tiveram problemas com os fones de ouvido e trocaram-nos, pelo menos uma vez na vida. Há casos que são necessárias várias trocas. Por ser um dispositivo sensível e pequeno, um manuseio incorreto ou peças de má qualidade, interfere na vida útil dos fones de ouvido. Seja um chiado, mau contato no cabo ou um lado que parou de funcionar, quase sempre ocorre.
Isso acaba gerando um gasto, às vezes não planejado. O custo é bem pequeno, porém, se for somado todos os fones já adquiridos, pode ser um valor razoável. A manutenção não é tão cara, mas exige um pouco de dedicação. Se você já não aguenta mais comprar essas pequenas peças que estragam o tempo todo, aprenda como arrumar o seu e livre-se desse problema.

Materiais necessários
Esse artigo irá tratar de três tipos possíveis de manutenção: troca do pino, conserto de mau contato e o reparo dos cabos conectados aos fones. Segue a lista de equipamentos necessários:
- Alicate de bico ou corte com área específica para cortar;
- Estilete;
- Lixa;
- Ferro de solda;
- Estanho para solda;
- Conector P2 estéreo e Fita isolante.




Conector do fone de ouvido: Troca
1 - Com o alicate, corte o cabo onde está o conector;
Nessa etapa, não corte muito próximo ao conector porque o mau contato pode estar na parte flexível do cabo. Também não corte tão longe para não diminuir muito o tamanho.
2 - Com bastante cuidado, utilize o estilete para desencapar o cabo;
Se você aplicar muita força nesse passo, pode danificar os fios ou até se machucar.
3 - Dois fios, correspondente aos fones, estarão visíveis. Peque-os e, com cuidado, tire a capa deles com o estilete;
Existem alguns modelos de fones que não tem capa protetora, apresentando três ou quatro fios. Caso seja o seu caso, veja o passo a seguir.
4 - Utilize a lixa para remover a proteção dos cabos encapados;
5 - Ligue o ferro de solda à tomada;
6 - Passe os fios pela capa do novo conector;
7 - Caso seu fone possua dois fios-terra, torça os dois juntos;
8 - Com o estanho e o ferro de solda, grude os cabos no conector;
Antes de realizar esse paço, verifique a ordem correta dos conectores (fone direito e esquerdo). Se você não tiver certeza, veja no outro conector a ordem correta para soldar os fios.
9 - O fio-terra deve ser soldado no buraco central do conector;
10 - Coloque a capa do conector nele e teste seu fone!

Problema de mau contato: Conserto
Agora, você aprenderá a consertar um cabo com mau contato. É recomendado trocar o cabo todo, pois não se sabe onde exatamente está o mau contato e se é somente naquele ponto.
1 - Com o alicate, corte o cabo próximo ao fone;
2 - Com bastante cuidado, utilize o estilete para desencapar o cabo que resta no fone;
3 - Dois fios, correspondente aos fones, estarão visíveis. Peque-os e, com cuidado, tire a capa deles com o estilete;
4 - Utilize a lixa para remover a proteção dos cabos encapados;
5 - Ligue o ferro de solda à tomada;
6 - Utilizando o estanho, solde os fios do cabo novo no que está com o fone;
7 - Com a fita isolante, encape os remendos realizados;
8 - Utiliza a fita isolante para encapar a parte remendada e teste seu fone!

Defeitos nos contatos dos alto-falantes: Arrumando
Agora, você verá como é simples realizar a manutenção nos fones. Confira os passos a seguir.
1 - Ligue o ferro de solda à tomada;
2 - Abra o fone de ouvido;
Nesse item, verifique se o fone não possui parafusos para evitar danos a ele ao abri-lo. Lembre-se de como você abriu para poder fechar depois.
3 - Apenas com o ferro de solda, aqueça onde os cabos estão conectados para derreter a solda e retirar os fios;
4 - Corte a parte dos fios que estão com mau contato;
5 - Com o estanho e o ferro de solta, grude os fios do cabo nos fones;
6 - Monte o fone de volta e teste-o!

No corpo da matéria, há um vídeo feito pela equipe do Baixaki que pode auxiliar você. Gostou das dicas? Comente!

Pesquisar mais textos:

Lucas Souza

Título:Saiba como consertar seu fone de ouvido

Autor:Lucas Souza(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    16-04-2014 às 18:40:31

    Muito valiosa todas as dicas, gostei muito e detalhou muito bem. Obrigada! Parabéns pelo texto!

    A equipa da Rua Direita

    ¬ Responder
  • Vitoria Ribeiro 12-09-2013 às 08:40:23

    Esta com dificuldade em consertar seu fone de ouvido, mesmo com as explicações acima? Consertamos para você! Temos loja física no Centro do Rio de Janeiro, recebemos e enviamos para todo o BRASIL - - 21-25071518 Vitoria Ribeiro

    ¬ Responder
  • João 08-09-2013 às 02:07:31

    Tenho um Headfone Beats Solo HD vermelho e o arco quebrou bem no lado direito no suporte dobrável do fone, Alguem sabe aonde compro esse arco? Moro em Curitiba.

    ¬ Responder
  • mariel 27-01-2016 às 20:30:21

    Conseguiu, João? Estou com o mesmo problema.

    ¬ Responder
  • André 21-07-2013 às 20:00:44

    Comprei um daqueles fones com entrada para cartao de memoria. dos modelos que encaixam na orelha, porem um dos lados foi quebrado. saberiam irformar se existe peca de reposicao, preciso apenas do encaixe da orelha, paguei R$50,00 e vou perder todoo fone por uma unica peça quebrada. MRH-8806Q NIA

    ¬ Responder
  • joaoa 19-06-2013 às 13:31:56

    tenho um skullcandy navigator, e o lado esquerdo do arco quebrou , a 'caixa' esta solta, tem como consertar??

    ¬ Responder
  • sidney 02-04-2013 às 09:18:23

    Qual o endereço da loja? Tenho um fone Philips HLS 8800 e o cabo arrebento e quero consrtalo.

    ¬ Responder
  • Vc é Plagiador 18-02-2013 às 15:19:44

    Engraçado, tu pega a matéria do Baixaki e cola aqui no site.

    ¬ Responder
  • Daniel 27-02-2013 às 12:00:11

    Copiou na cara dura!

    ¬ Responder
  • Marcelo 26-01-2013 às 08:27:20

    VC ESTA COM DIFICULDADE EM CONSERTAR SEU FONE OUVIDO, MESMO COM AS EXPLICAÇÕES ACIMA? CONSERTAMOS PARA VC! TEMOS LOJA FÍSICA NO CENTRO DO RIO DE JANEIRO, RECEBEMOS E ENVIAMOS PARA TODO O BRASIL -2125071518 . BEATS BY, SONY, PHILLIPS, COBY ENTRE OUTROS

    ¬ Responder
  • Renildo 19-08-2014 às 20:58:42

    VOCE TEM COMO CONSERTAR UM ARCO DO BEATES ORIGINAL?..ELE QUEBROU BEM NO CENTRO..SE TEM COMO CONSERTAR, ME MANDE ENDEREÇO OU EMAIL PRA CONTATO...POR FAVOR..MORO EM BRASILIA..SE TIVER ASSISTENCIA TECNICA POR AQUI PRECISO TELEFONE OU ENDEREÇO..

    ¬ Responder
  • Amparo 07-09-2014 às 14:09:59

    Renildo, Vc conseguiu trocar o arco do beats? estou com o mesmo problema. Tb moro em BSB. Peço me orientar.
    Amparo

    ¬ Responder
  • Daiany Nascimento 17-09-2012 às 12:37:14

    Gostei do texto. Sou fã dos artigos publicados pelos autores do ruadireta.com devido à variedade de temas que posso encontrar, além de que a maioria deles são muito ricos em conteúdo, como este! Parabéns autor pela sua dedicação, saiba que as dicas que encontrei aqui poderão me ajudar muito, pois precisava mesmo saber como consertar meu Fone De Ouvido. Espero por novidades, pois sempre estou à procura de novos conhecimentos. Muito obrigada e Boa escrita!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios