Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Vestuário > O Filme dos vestidos

O Filme dos vestidos

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Vestuário
Comentários: 1
O Filme dos vestidos

Há quem faça história pelos mais variados motivos. Atos heroicos, vertiginosas aventuras e um sem fim de histórias que a grande tela nos mostra de forma gigantesca e que tão bem nos fazem sonhar. Há ainda quem nos faça recordar (ou simplesmente identificar) determinado filme de cinema por causa de um “simples” vestido.

Se as histórias dos filmes nos fazem sonhar, rir, chorar ou recordar, algumas cenas marcam-nos para sempre e os vestidos, quer queiramos, quer não, estão presentes. Podemos optar por assistir a um filme pelos mais diversos motivos – realizador, atores, titulo, história, categoria, argumento – mas certo é que existem cenas que jamais esqueceremos.
Há vestidos com história que pertencem a uma história, e se de história se trata, comecemos pelos clássicos.





Vivian Leigh protagonizou uma história absolutamente extraordinária no eterno filme “E tudo o Vento Levou”. Quem não se lembra do vestido verde-esmeralda feito com os reposteiros ou até mesmo do “simples” roupão vermelho que envergou durante o filme.
Grace Kelly, que soube-se depois, tinha nascido para ser mesmo princesa, encantou com um vestido comprido em “Janela Indiscreta”.

Em 1958, a diva Elizabeth Taylor envergou um vestido branco que fez furor. Em “Gata em teto de zinco quente”, a silhueta de Taylor fazia história.

Se falamos em divas, Marilyn Monroe não podia ficar esquecida. Em “O pecado mora ao lado”, Marilyn imortalizou um vestido branco que definiu um corte muito próprio. Ainda nos dias de hoje se identifica determinado decote, como o de Monroe.

No poderoso Red Carpet dos dias de hoje, elege-se o vestido vermelho que Julia Roberts envergou no filme “Pretty Woman”. O “real” conto de fadas das nossas vidas marcou todos os filmes românticos de uma época em que se foi permitido sonhar ao jeito de cinderela.
Qualquer mulher se imaginou no vestido amarelo sem costas que Kate Hudson vestiu em “Como perder um homem em 10 dias”.

O vestido curto de Sharon Stone em “Instinto Fatal”, ao preto justo de Demie Moore em “Proposta Indecente”, passando pelo conservador vestido comprido à época que Kate Winslet em “Titanic”, não existe um terminar neste guarda-roupa de sonho.
São um sem número de vestidos de sonho que não fazem somente meninas e adolescente suspirar.

No final de contas, se alguns de nós tem a opinião que o nosso dia-a-dia deveria ter uma banda sonora que nos acompanhasse o passo, certo é que o vestido ideal na perfeita altura da vida de uma mulher, causaria o furor de um filme de amor.


Carla Horta

Título: O Filme dos vestidos

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 0

666 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    12-06-2014 às 19:59:17

    Adoro filmes assim! Podemos ver os vários estilos, cores e modelos. Muito bom!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - O Filme dos vestidos

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Receptores digitais

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: TV HIFI
Receptores digitais\"Rua
Os receptores digitais são instrumentos que têm a função de receber sinal por via de canais digitais.

De acordo com a sua função, estes canais poderão ser satélite ou por cabo. Actualmente, já existem bastantes serviços de televisão por cabo que funcionam apenas com estes receptores, uma vez que é através deles que se consegue ter acesso não só aos canais de serviço, mas também a pacotes codificados.

O serviço de recepção de canais por satélite é um sistema independente para o qual é necessário ter um disco receptor satélite de modo a poder ter canais digitais fora dos serviços prestados pelos operadores de televisão digital.

Este instrumento permite que os próprios ecrãs sem tecnologia digital passem a usufruir desta através destes receptores. No entanto, a melhor qualidade só é garantida com um ecrã já com esta tecnologia.

Os receptores digitais permitem também aceder a uma multiplicidade de serviços, desde que devidamente configurados. Por exemplo, com estes receptores, é possível aceder a menus específicos de pausa de emissão para depois ser continuada, de serviços on-demand ou acesso a portais específicos, entre outros.

Esta pequena caixinha permite ao seu utilizador usufruir da televisão a um novo nível, de modo a que possa ter todas as comodidades no conforto do lar. 

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Receptores digitais

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    04-06-2014 às 06:53:28

    Gostei dos receptores digitais. Bom texto abordando isso.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios