Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Música > Estilo Grunge – Musica alternativa

Estilo Grunge – Musica alternativa

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Música
Visitas: 6
Comentários: 17
Estilo Grunge – Musica alternativa

Muito se sabe sobre música e os acordes característicos de determinada musica, fazem-nos identificar bandas, sons e estilos de música. Desde o Jazz ao Pop, passando pela música clássica, pelo Blues, Salsa e até a música ligeira, o número de estilos musicais é quase impossível de ser contado. Gostos não se discutem, e é certo que mesmo que se seja um intelectual uns solos de guitarra de Jimmy Page (guitarrista de Led Zepelim) fazem o gosto a qualquer um.

Guitarra Portuguesa, Cavaquinho Brasileiro, Gaita de Foles entre tantos outros instrumentos fazem e caracterizam estilos de música, mas o casamento perfeito entre vários instrumentos em comunhão com vozes inconfundíveis fazem bandas que fazem história.

Quando já muito se achava que não se podia inventar na música e que os estilos musicais estavam definitivamente definidos, eis que surge nos anos 90 um novo estilo, por muitos considerado anarca e grito de revolta. O Grunge.

O Grunge surge em Seattle nos Estados Unidos da América no inicio da década de 90 com bandas de garagem que criavam o seu próprio ritmo e história.

Com um significado muito próprio (a palavra Grunge significa traduzida à letra, sujo – sujidade), o Grunge caracteriza-se por sons arrastados e muitas vezes descoordenados de guitarra, vozes roucas, e apresentações de tipos despenteados livres de cuidados especiais com a forma com que se apresentam.

As letras mostram-nos revolta e despertam-nos para uma sociedade viciada em consumo absurdo, vestida de preconceitos dos estratos sociais. Diz-se que sentir o Grunge é sentir a anarquia e ter a capacidade de se livrar de regras e leis e viver livre.

Com uma forte influencia no hardcore, heavy metal, e música alternativa, o Grunge conseguiu associar o espírito anarquista com a revolução hippie, tratando-se não só de um feito música histórico, mas um estilo muito próprio de vida.

É impossível não associar bandas como os Nirvana (considerados os pais do Grunge), Pearl Jam, Alice in Chains ou Stone Temple Pilots. As músicas traduzem na íntegra o que sentem e a revolta está presente em tudo o que tocam e cantam.

Musicas como “Smells like teen spirit” de Nirvana retratam exatamente a revolta e o verdadeiro sentimento de quem se sente excluído. Gritos de angústia, revolta, antissocial, sarcasmo, dor e exclusão social fazem parte deste tão único som musical. Para apreciadores e não só, o Grunge trouxe-nos músicas memoráveis e um infindável conhecimento do mais íntimo sentimento de solidão.


Carla Horta

Título: Estilo Grunge – Musica alternativa

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 6

805 

Imagem por: Giarc80HC

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 17 )    recentes

  • SophiaSophia

    13-05-2014 às 19:04:31

    O estilo da música representa justamente isso: um pouco a falar sobre a sociedade que se vive. Assim como todos os outros estilos de música começaram, o Grunge, vieram das garagens! Sempre achei isso bem legal!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • Ruben GonçalvesRuben Gonçalves

    07-10-2012 às 03:26:41

    Uma das principais referências do estilo Grunge, foram sem sombra de dúvida os Nirvana. Kurt Cobain, o vocalista da banda, tornou-se rapidamente um ídolo mundial, as suas letras retratavam o que muitos jovens sentiam e de forma genuína, fugindo aos principais cânones dos vocalistas da época.

    ¬ Responder
  • Ruben GonçalvesRuben Gonçalves

    07-10-2012 às 03:26:20

    As principais bandas Grunge tiveram uma aceitação do publico imediata, tanto a nível de compras de álbuns como na presença em concertos. Rapidamente se integrou nos movimentos jovens mais interventivos e criou novas formas de estar e viver a vida.

    ¬ Responder
  • Ruben GonçalvesRuben Gonçalves

    07-10-2012 às 03:26:09

    É importante perceber o sentido da música enquanto forma de expressão artísticas e contextualiza-la na época em que surgiu. O estilo Grunge é um dos estilos mais assentes na expressão de revolta dum mundo saturado, cheio de necessidade de fazer explodir sentimentos através da forma de expressão mais universal, a música.

    ¬ Responder
  • Daiany Nascimento

    01-10-2012 às 18:19:10

    Pouco já ouvi falar sobre este estilo de música, o Grunge. Porém, já escutei algumas musicas deste estilo e o que mais de destaca nas músicas Grunge é a voz rouca dos cantores. Eu desconhecia o significado da palavra Grunge e agora percebo o quão diferente é este estilo musical. Como uma das principais bandas Grunge, conheço várias músicas da famosa banda Nirvana. Achei muito interessante saber um pouco mais sobre este estilo de música.

    ¬ Responder
  • Nilson EmpreendedorNilson Uemoto

    30-09-2012 às 06:54:19

    Apesar de muita gente não gostar desse estilo de música, acho muito legal bandas como Nirvana, Pearl Jam e Stone Temple Pilots.O álbum Nevermind do Nirvana fez um sucesso tremendo alcançando em 1992 o primeiro lugar nas paradas da Bilbord americana e até hoje é considerado um clássico para os fãs desse estilo musical.Apesar do auge do grunge ter sido a década de 80 e 90, muita gente ainda é fã dessas bandas.

    ¬ Responder
  • Teresa Maria Batista GilTeresa Maria Batista Gil

    27-09-2012 às 13:12:52

    Desde sempre houve uma variedade imensa de estilos musicais e ritmos diferentes e característicos de uma época ou povo.A atualidade não é uma excessão à regra pois a cada dia aparecem músicas diferentes e alternativas. Todas elas pretendem transmitir sentimentos e valores que se têm ou perderam.Há musicas que retratam a sociedade e sua política, problemas sociais ou tantos outros.

    ¬ Responder
  • Gabriela TorresGabriela Torres

    26-09-2012 às 23:01:02

    A banda americana de rock Nirvana é uma das maiores bandas grunges já formadas na história da música.Na verdade,já foi.Atualmente,essa banda não existe mais.Porém entrou para a história juntamente com seu vocalista Kurt Cobain.

    ¬ Responder
  • André BelacorçaAndré Belacorça

    25-09-2012 às 18:54:46

    Sinceramente e sem ofensas e males alguns, não é o meu estilo de música de todo, não aprecio vivamente este tipo de som, mas sei e tenho consciência que existem muitas bandas deste género muito famosas, muito conhecidas e seguidas dos seus fãs e espectadores, boa sorte a todos eles.

    ¬ Responder
  • Sofia NunesSofia Nunes

    23-09-2012 às 17:04:21

    Apesar de o grunge não ser um dos meus estilos de música favoritos, uma vez que prefiro a world music, há certamente bandas e músicas em particular que aprecio especialmente. É o caso dos Nirvana, que referiu no seu artigo (que, reconheço, denota a preferência do autor por este género de música), e do tema “Smells like teen spirit”. Também me atrai a mensagem por detrás da música grunge, com a crítica à sociedade.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoWellyton

    16-09-2012 às 04:23:34

    O GRUNGE NUNCA IRÁ MORRER

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoPriscila

    28-03-2012 às 17:32:36

    nossa o grunge foi definido em poucas palavras, mas as palavras reais,verdadeiras, certas..

    ¬ Responder
  • emily grungeemily grunge

    23-09-2011 às 18:41:01

    o GRUNGE nao morreu ainda estamos aky!!!

    ¬ Responder
  • novaselicnovaselic

    11-04-2011 às 03:00:52

    ,;,GRUNGE é o que preciso ouvir todos os dias de manhã antes de levantar....

    ¬ Responder
  • loizianeloiziane

    08-03-2011 às 17:24:13

    E um enorme prazer saber q existem pessoas que entendem de estilos musicais bons e que nunca serao esquecidos por nos, que ecreditamos que mesmo com a morte de varios artistas, dentro de nos sempre estara vivo o espirito musical.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoErico

    29-05-2010 às 00:01:41

    GRUNGE IN HEAD, estilo, modos , musicas e uma filosofia que nunca pode morrer...

    ¬ Responder
  • Felipe de Oliveira SantanaKurt

    18-01-2010 às 21:09:11

    Otimo.
    O grunge nunca vai morrer,é otimo saber q ainda existem pessoas q se importam(carla Horta)
    Abraço

    ¬ Responder

Comentários - Estilo Grunge – Musica alternativa

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os descendentes de Eça

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Literatura
Os descendentes de Eça\"Rua
Recentemente, por via da comunicação social, soubemos da entrega do prémio Leya, a um trineto de Eça de Queirós. Julgo que bastou essa noticia, para que todos ficássemos curiosos sobre os seus descendentes…esse mistério, como o Mistério da Estrada de Sintra, começou a adensar-se entre quem se interessa por estas coisas da literatura e da genealogia…então aqui deixo algumas notas que poderão ser importantes para quiçá, um dia, um qualquer jornalista, ou editor, se lembre, de conseguir reunir todos os seus descendentes vivos e se tire uma fotografia de família.

José Maria Eça de Queirós, escritor pródigo da nossa nação, contraiu matrimónio em 1886, com Emília de Castro Pamplona Resende, condessa de Resende, deixando à data de sua morte, em Paris, quatro filhos como seus descendentes e herdeiros diretos; foram eles António Eça de Queirós, Maria Eça de Queirós, Alberto Eça de Queirós e José Maria Eça de Queirós; portanto três meninos e uma menina.
Através do site Geneall.net, foi possível perceber as linhas genealógicas que se seguiram aos seus filhos. No entanto, nem todos os nomes dos seus bisnetos e trinetos estão aí presentes, com certeza por motivos de ordem pessoal, de resguardo da privacidade, motivos que não podemos questionar. Porém, é possível, pelo menos determinar a existência desses membros da família queirosiana.

De antemão sabemos que não houve descendência por parte de dois dos seus filhos, António Eça de Queirós e de Alberto Eça de Queirós.
Maria Eça de Queirós teve dois filhos, uma menina e um menino, porém a menina morreu muito nova, ficando apenas o menino, de seu nome Manuel Pedro Benedito de Castro, que mais tarde casou com Maria da Graça Salema de Castro, a mulher que se tornou a primeira diretora da Fundação Eça de Queirós, na casa de Tormes, pertença da família da esposa de Eça de Queirós. Como Manuel Pedro Benedito de Castro não teve filhos, sabemos que por este ramo, terminou a descendência do escritor.

Convém, entretanto, acrescentar aqui uma curiosidade. Depois do regresso a Portugal da viúva de Eça, ela e os filhos, foram residir para a casa da Granja, pertencente à família de Sophia de Mello Breyner. Inicialmente como esta casa costumava ser arrendada pela família de Sophia, Emília de Castro, arrendou-a, vindo a compra-la uns anos depois. Portanto, é aqui nesta casa que ela cria os seus filhos, e é onde, José Maria Eça de Queirós, um dos seus filhos, permanece após a sua morte, tendo criado aqui os seus filhos e netos, e tendo aqui também falecido.

Podemos então seguramente afirmar que a sua grande linha de descendência parte do seu filho, com o mesmo nome, José Maria Eça de Queirós, que teve também ele, atente-se à curiosidade, quatro filhos, neste caso, ao inverso, um menino, e três meninas, respetivamente de seus nomes, Manuel Eça de Queirós, Maria das Dores Eça de Queirós, Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós e Emília Maria de Castro Eça de Queirós. Esta ultima, Emília, teve ao que consta nove filhos, sendo que um deles, Afonso Maria Eça de Queirós Cabral, é quem atualmente preside à Fundação acima citada, depois da morte da primeira presidente, referida atrás, Maria da Graça Salema de Castro.

Manuel Eça de Queirós por sua vez teve seis filhos, Maria das Dores Eça de Queirós teve três filhos, e Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós, dois filhos. Somados, contabilizamos vinte, os bisnetos do famoso escritor. Seria interessante avançar um pouco mais nos ramos genealógicos e aflorar quem são ou pelo menos, quantos são os trinetos e tetranetos de Eça, por conseguinte fica aqui o desafio, pois é certo que porventura alguns destes descendentes não se conhecem, e nunca terão trocado qualquer impressão sobre o seu ascendente, para uns, bisavô, para outros trisavô, e ainda para outros, tetravô.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Os descendentes de Eça

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Imagem por: Giarc80HC

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios