Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Música > Festivais de música – vários em um

Festivais de música – vários em um

Categoria: Música
Visitas: 8
Comentários: 2
Festivais de música – vários em um

Os festivais de música são uma manifestação cultural cada vez mais enraizada na cultura do século XXI e que se caracterizam por concertos de diversas bandas num só evento.

Este tipo de eventos existem desde há algumas décadas. O primeiro grande festival teve lugar em Bethel, nos Estados Unidos e tinha o nome de Woodstock Music and Arts Fair ou, como é mais conhecido, Festival de Woodstock. Em 1969, e sob o lema de Paz e Amor, desfilaram neste festival nomes tão grandes e de diversos tipos musicais como Joan Baez, Ravi Shankar, Janis Joplin, Creedence Clearwater Revival, Grateful Dead ou ainda Jimmi Hendrix, que fez aqui a sua mais memorável actuação. Este festival juntou mais de 400.000 pessoas em três dias e tinha por objectivo demonstrar o poder de um movimento hippie e de contra cultura.

Nos primórdios, o objectivo dos festivais de música era apenas o de demonstrar ideologias emergentes e de unir as pessoas em volta de um ideal, usando para isso a música. Era usual eventos terem diversos problemas logísticos, principalmente porque eram realizados em zonas rurais com fracos acessos e escassez de recursos.

Na década de 1990, os festivais de música, essencialmente realizados no Verão, voltaram a surgir em força por diversas razões. Nesta altura, a indústria da música começou a sofrer graves convulsões devido à pirataria e aos downloads ilegais, começou a existir uma maior facilidade de transmissão e divulgação das bandas e, por consequência, um mercado para música ao vivo bastante superior. De modo a contrariar uma tendência descendente e a tentar manter lucros, muitas bandas começaram a optar por dar mais concertos e relegar a venda de discos para outro plano. Os festivais são uma óptima estratégia não só para divulgar novos materiais aos fãs de uma determinada banda, mas também para atingir novos públicos.
Quando existe um cartaz de quatro ou cinco bandas, nem todos vão ao festival para ver todas as bandas.
Assim, estes eventos são uma boa estratégia para mostrar a música a fãs de outras bandas e despertar assim a curiosidade, arrastando assim novos fãs.

Estes festivais de música são também uma óptima maneira de estabelecer contactos. As pessoas estão unidas num determinado espaço de volta de um elemento comum, seja ele a música ou outro objectivo que o evento tenha. Nos dias de hoje, já se assistiu à internacionalização dos festivais e é comum ver pessoas de diversos países unidos à volta de uma banda ou de um ideal.

Os festivais de música são, assim, um óptimo pretexto para ver a sua banda de eleição, mas também para conhecer novas músicas e pessoas.
Além de ser daquelas experiências que nunca esquecem…



Luís Seco Passadouro

Título: Festivais de música – vários em um

Autor: Luís Seco Passadouro (todos os textos)

Visitas: 8

648 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • SophiaSophia

    13-05-2014 às 20:24:22

    Adoro os festivais de música, pois vemos a variedade dos estilos e é possível aproveitar cada música e ritmo!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoFrancisco

    04-03-2009 às 22:17:02

    Altamente, fizeste um pequeno resume a minhas bandas preferidas.
    viva o rock!

    ¬ Responder

Comentários - Festivais de música – vários em um

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios