Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Automóveis > Como trocar o óleo do carro?

Como trocar o óleo do carro?

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Automóveis
Visitas: 2
Comentários: 4
Como trocar o óleo do carro?

Uma preocupação importante em relação ao bom funcionamento do carro é a hora de trocar o óleo e como fazer essa troca. O óleo é o responsável pela vida do motor do carro. É ele que lubrifica as peças, evitando contato e atrito entre elas e prolongando a funcionalidade do automóvel. A troca de óleo é imprescindível na manutenção do carro e um aspeto importante a ser levado em consideração é usar o óleo correto para cada tipo de carro. Isto é facilmente encontrado no manual do proprietário e deve ser seguido. Cada tipo de óleo tem uma quilometragem adequada até a sua troca. É fundamental ler o manuel do óleo para estabelecer essa conexão.

O óleo adequado é aquele que é viscoso, pois a lubrificação com essa textura evita o atrito das peças do motor. Normalmente o que se faz é completar o óleo quando ele está abaixo do limite, o que não é o indicado. O recomendado é que se troque todo o lubrificante para evitar a sujeira e os resíduos dos combustíveis fósseis. As indicações para o melhor tipo de óleo devem ser retiradas do manual do carro. Essas informações vem através das siglas SAE, que se refere a viscosidade adequada e API, que diz respeito ao desempenho desse óleo.

Basicamente existem três tipos de óleo. O óleo mineral multiviscoso, mais facilmente encontrado no mercado, é recomendado para todos os tipos de motores. Se não for feita a troca na quilometragem adequada de cinco mil quilômetros, falhas começam a aparecer. Existe também o óleo semissintético, que mistura base sintética e mineral e é indicado para motores mais potentes. A troca do óleo nessa caso é indicada com oito mil quilômetros percorridos. E o óleo sintético é indicado para carros esportivos. A troca desse tipo de óleo é recomendado para vinte mil quilômetros, contudo é indicado que sempre se confira a taxa de óleo.

Normalmente a medição do óleo é feita em postos de gasolina. O correto antes de fazer essa medição é esperar pelo menos três minutos a fim de que todo o óleo vá para o reservatório, permitindo a sua correta visualização. A medida em que se usa o automóvel, o nível do óleo vai baixando, então o adequado é que se vá nivelando até o momento indicado para a troca do óleo.

Quando chega o momento da troca do óleo duas são as opções: ou levá-lo em uma autorizada ou em uma mecânica para fazer essa troca ou em casa mesmo realizar a tarefa que deve seguir alguns passos bastante determinados e importantes. Em casa os passos são os seguintes: primeiro ligar o carro por alguns segundos, depois desligá-lo, deixá-lo parado e freado, levantá-lo com um macaco, sempre se certificando de que o carro está imóvel. Após é necessário pegar uma bacia em que será colocado o óleo usado. Essa bacia deverá ser colocada embaixo do tampão de drenagem, situado no cárter (depósito de óleo) do carro. Após deve-se retirar esse tampão e deixar o óleo sair. Depois de esvaziar o cárter, é aconselhado que o tampão seja limpo e colocado novamente, deixando-o firme.

Depois tem que se encontrar a posição do filtro, retirá-lo com a junta de borracha que fica entre ele e o motor . O ideal é limpar o filtro com um pano e umedecer com óleo novo a junta do filtro e colocá-los no lugar. Por último é só acrescentar o óleo novo. Para isso, deve-se abrir a tampa na parte de cima e colocar o óleo com um funil. A quantidade de óleo é indicada no manual do proprietário. Deve-se deixar o óleo alguns minutos e após fazer a medição. É aconselhável ligar o carro novamente e de novo fazer a medição do óleo que deve estar entre as medidas MIN e MAX. Caso não esteja é só acrescentar mais óleo até a medida MAX.

Por fim é só abaixar o carro e a troca foi feita. É importante lembrar que o óleo usado é poluente e que deve ser depositado em um local adequado. Uma dica é deixá-lo em oficinas especializadas.


Rosana Fernandes

Título: Como trocar o óleo do carro?

Autor: Rosana Fernandes (todos os textos)

Visitas: 2

798 

Imagem por: jeffwilcox

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 4 )    recentes

  • SophiaSophia

    22-04-2014 às 16:42:01

    Fantástica essas dicas de como trocar o óleo do carro. Realmente, é algo de suma importância no carro. A Rua Direita sugere que a pessoa deve fazer regularmente.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoDaniela Vicente

    11-09-2012 às 21:55:12

    O texto é muito informativo. Estando está em falta pequenos pormenores, tais como: o tipo de combustivel que o carro usa, a idade do carro e o clima do país (essencialmente devido à variação de temperatura), claro que hoje em dia e cada vez mais o fabricante tem em atenção estes pormenores entre outros mais minuciosos.Também não deve esquecer que consoante a idade do carro a mudança do filtro de óleo também deve ser realizada.

    ¬ Responder
  • william brazwilliam braz

    11-01-2012 às 01:05:41

    gostei muito da informação sobre a troca de oléo

    ¬ Responder
  • Carlos HenriqueCarlos Henrique

    06-11-2010 às 13:25:41

    Muito boa estas dicas, gostaria de receber novas dicas.

    ¬ Responder

Comentários - Como trocar o óleo do carro?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Pulp Fiction: 20 anos depois

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Arte
Pulp Fiction: 20 anos depois\"Rua
Faz hoje 20 anos que estreou um dos mais importantes ícones cinematográficos americanos.

Pulp Fiction é um marco do cinema, que atirou para a ribalta Quentin Tarantino e as suas ideias controversas (ainda poucos tinham visto o brilhante “Cães Danados”).

Repleto de referências ao cinema dos anos 70 e com uma escolha de casting excepcional, Pulp Fiction conquistou o público com um discurso incisivo (os monólogos bíblicos de Samuel L. Jackson são um exemplo disso), uma violência propositadamente mordaz e uma não linearidade na sucessão dos acontecimentos, tudo isto, associado a um ritmo alucinante.

As três narrativas principais entrelaçadas de dois assassinos, um pugilista e um casal, valeram-lhe a nomeação para sete Óscares da Academia, acabando por vencer na categoria de Melhor Argumento Original, ganhando também o Globo de Ouro para Melhor Argumento e a Palma D'Ouro do Festival de Cannes para Melhor Filme.

O elenco era composto por nomes como John Travolta, Samuel L. Jackson, Bruce Willis, Uma Thurman e (porque há um português em cada canto do mundo) Maria de Medeiros.

Para muitos a sua banda sonora continua a constar na lista das melhores de sempre, e na memória cinéfila, ficam eternamente, os passos de dança de Uma Thurman e Travolta.

As personagens pareciam ser feitas à medida de cada actor.
Para John Travolta, até então conhecido pelos musicais “Grease” e “Febre de Sábado à Noite”, dar vida a Vincent Vega foi como um renascer na sua carreira.

Uma Thurman começou por recusar o papel de Mia Wallace, mas Tarantino soube ser persuasivo e leu-lhe o guião ao telefone até ela o aceitar.

Começava ali uma parceria profissional (como é habitual de Tarantino) que voltaria ao topo do sucesso com “Kill Bill”, quase 10 anos depois.

Com um humor negro afiadíssimo, Tarantino provou em 1994 que veio para revolucionar o cinema independente americano e nasceu aí uma inspirada carreira de sucesso, que ainda hoje é politicamente incorrecta, contradizendo-se da restante indústria.

Pulp Fiction é uma obra genial. Uma obra crua e simultaneamente refrescante, que sobreviveu ao tempo e se tornou um clássico.
Pulp Fiction foi uma lição de cinema!

Curiosidade Cinéfila:
pulp fiction ou revista pulp são nomes dados a revistas feitas com papel de baixa qualidade a partir do início de 1900. Essas revistas geralmente eram dedicadas às histórias de fantasia e ficção científica e o termo “pulp fiction” foi usado para descrever histórias de qualidade menor ou absurdas.

Pesquisar mais textos:

Carla Correia

Título:Pulp Fiction: 20 anos depois

Autor:Carla Correia(todos os textos)

Imagem por: jeffwilcox

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios