Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Música > Como sobreviver a uma tempestade sonora

Como sobreviver a uma tempestade sonora

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Música
Visitas: 2
Comentários: 16
Como sobreviver a uma tempestade sonora

Os dias começam sempre da mesma maneira. A cidade mexe-se sempre ao mesmo ritmo, e dentro habitam sempre os mesmos habitantes em frenética rotina rumo aos mesmos sítios de sempre. Bem há algumas diferenças.

Hoje o céu cobriu-se de pássaros negros que voavam em sincronizada celebração, possivelmente pelo delírio terreno que fazia subir as vibrações até ao infinito.

E as pessoas deixaram-se levar por essas mesmas ondas sonoras. Sem quererem envolveram-se num registo único em que o silêncio era interrompido por ondas crescentes compostas de uma abnegada vontade de levar a perfeição até ao limite da resistência humana.

Cada um encontrou-se consigo mesmo na sua própria dimensão, de vontade própria, com a sua infinita capacidade de criação sem que fosse domesticado a um formato já gasto de tanto ser usado e ainda assim tão lucrativo!




E não podia terminar assim o delírio, a água, ela própria envolvendo toda a beleza e a destruição provocada pela mão perversa do ser humano, começou a elevar-se, gota por gota, enquanto uma guitarra e duas mãos assinaláveis, dedilhavam um conjunto de sons que faziam prescrever qualquer noção de maldade humana. Contraditório, mas o ser humano é assim mesmo...

E o que dizer de dias que começam em oníricas sensações de desapego pelos bens materiais, como se apenas fosse possível alcançar a felicidade pela natureza própria de cada um, por sua vez em absoluta comunhão com a mãe natureza.

E ainda assim as pessoas seguem absortas na sua vontade de viver sempre um pouco mais do mesmo, com limites impostos e impostos para todos os gostos, agudizando dentro das suas cabeças os insuportáveis silêncios ensurdecedores que aliviam apenas a culpa pelo seu egoísmo que as impede de ser cúmplices com a beleza de cada som que as rodeia.

Da mesma maneira que os dias assim começam, quando seguem caminho por direções imprevistas podem encontrar novos estímulos que levam os ouvidos a degustar as impossíveis notas saídas de espíritos que apenas circundam a dimensão em que elas vivem.

E à noite, quando se deitam, possivelmente com as dores de cabeça e a felicidade alcançada por mais um dia de rotina assassina, é possível, ainda assim, que se escutem os sons saídos das suas almas, presas aos corpos que se auto-limitam ao que lhes é impingido.


António Borges

Título: Como sobreviver a uma tempestade sonora

Autor: António Borges (todos os textos)

Visitas: 2

661 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 16 )    recentes

  • SophiaSophia

    13-05-2014 às 19:08:38

    Todos os dias temos tempestades que podemos passar e aprender com eles. Muito bom texto!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãorita crespo

    20-09-2012 às 11:11:13

    Já descobri como se vota! Espero que continues a dar vazão à tua vocação!

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoLuiza Caetano

    08-09-2012 às 13:45:26

    "E o que dizer de dias que começam em oníricas sensações de desapego pelos bens materiais, como se apenas fosse possível alcançar a felicidade pela natureza própria de cada um, por sua vez em absoluta comunhão com a mãe natureza."

    Concordo plenamente com esta tua postura literária, até porque comungo com ela no que se refere á fuga às habituais carneiradas com objetivos mais ou menos rotineiros. Sem criatividade nos seus caminhos de vulgaridade quotidiana. A imposição do Yes Sir tem muita força junto daqueles que não tem força, nem ânimo. Não estão nem aí para a sublime espiritualidade com a mãe natureza.
    PARABÉNS pelos textos que são excelentes e pela coragem de ires em frente. Muita Força e Muita Luz, Manuel Marques. Beijos.

    ¬ Responder
  • António BorgesAntónio Borges

    12-09-2012 às 10:13:53

    Obrigado pelas palavras, pela força, pelos elogios. É sempre um privilégio ter um comentário teu! Beijinhos e abraços!!!

    ¬ Responder
  • Dolores Jardim

    05-09-2012 às 21:24:26

    Boa-tarde, meu dileto amigo e autor que saudades!
    Como é gratificante ter diante de meus olhos um texto que realmente faz valer a pena.Ler, e reler e não querer que chegue o final, para poder sorver cada palavra que escreves com a realidade latente a que estamos convivendo.

    Amei intensamente este texto teu, pela veracidade que nele imprimiste, o que aliás é teu estilo.

    Parabéns e continua sempre assim, exatamente assim.

    Forte abraço e beijos
    Dolores Jardim

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoCarlos Fonseca

    05-09-2012 às 17:13:29

    Excelente este teu texto, gostei bastante,há muito tempo que não lia nada teu. Obrigado.

    Aceita o meu grande e fraterno abraço!

    ¬ Responder
  • TERESA AMARAL

    05-09-2012 às 16:38:23

    Boa tarde , como eh bom voltar a te ver por aqui e escrevendo, saudades dos teus textos, das tuas poesias, enfim saudades de ler algo que me diga alguma coisa. Ateh sempre meu amigo, bjo

    ¬ Responder
  • António BorgesAntónio Borges

    05-09-2012 às 21:38:11

    olá! obrigado pela visita! espero que voltes rápido, porque inundarei este sítio com estas pequenas crónicas de como sobreviver, sempre com uma canção portuguesa como inspiração!!! abraços!!!

    ¬ Responder
  • Virgínia de Sá

    05-09-2012 às 15:56:30

    Sou transportada para um Universo paralelo, o da escrita, que me faz lembrar a delícia que é essa excelente terapia de deixar à solta o nosso cavalo da imaginação. E como soltas esse cavalo!!! Ainda bem que voltaste. Abraço. Sempre.

    ¬ Responder
  • Paulo Vajão

    05-09-2012 às 14:46:52

    Não me surpreende a tua excelente escrita, um Forte Abraço!!!

    ¬ Responder
  • António BorgesAntónio Borges

    07-09-2012 às 00:04:32

    grande abraço amigo Paulo obrigado pela visita e pelos elogios!

    ¬ Responder
  • Paula Victorino

    05-09-2012 às 13:01:04

    Hoje a rotina obscura e asfixiante foi quebrada pelo poder da "PALAVRA" Saudades de te ler, meu amigo.
    Um beijinho imenso para ti, e os meus parabéns ao NERO eheheh....:)

    ¬ Responder
  • António BorgesAntónio Borges

    05-09-2012 às 14:55:16

    pelo Nero obrigado!!! :), pela visita ainda mais e não te esqueças de voltar!!! beijinhos!!!

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoElsa Pacheco

    04-09-2012 às 20:43:23

    Muito bonito! Parabéns!

    ¬ Responder
  • António BorgesAntónio Borges

    05-09-2012 às 11:33:57

    olá! obrigado pela visita, volta sempre é isso que dá alegria!!!

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoManuel

    05-09-2012 às 21:32:38

    obrigado amigo Carlos! grande abraço e volta sempre que os textos irão continuar!!!

    ¬ Responder

Comentários - Como sobreviver a uma tempestade sonora

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como cuidar de Plantas de interior

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Bricolage Jardim
Como cuidar de Plantas de interior\"Rua
Cada planta tem um comportamento diferente, vou colocar aqui alguns cuidados que servem para a maioria delas.

LUZ:

Os principais erros no cultivo de plantas de interior é a falta de luz.
Se elas estiverem em locais onde não há luz suficiente, isso pode ser corrigido com a instalação de luz artificial, existe no mercado lâmpada que imitam a luz natural.


TEMPERATURA:

Mudanças bruscas de temperatura retardam e até paralisa o crescimento da planta, bem como causa a queda de folhas.


UMIDADE:

A maioria das plantas necessita de uma umidade atmosférica adequada.
Normalmente notamos que a planta não está com a umidade correta quando acontece ficarem amarelas e a queda de folhas.


IRRIGAÇÃO:

Conselhos básicos:
Uma planta em fase de crescimento vai precisar de mais água que uma que está em fase de dormência, ou já atingiu o seu tamanho adulto.
Durante a floração a planta precisa de mais água que em sua fase de crescimento
Em ambientes internos mais quentes é evidente que a planta vai precisar de mais águas que em ambientes mais frios.
Para saber qual é o momento exato de molhar, enfie o dedo no substrato, se sentir ele seco, chegou a hora

FERTILIZANTE:

Para que a planta tenha um desenvolvimento harmonioso convém usar periodicamente de fertilizantes que podem ser líquido ou sólidos.
No mercado existe a venda fertilizante com fórmulas específicas para cada planta.
Após a utilização do fertilizante regue a planta.

LIMPEZA:

Faça regularmente a limpeza de folhas secas e caule, pois elas são bastante positivas não só esteticamente como para a saúde das plantas.
Se estiver acumulada muita poeira sobre as folhas, espane, e depois passe um pano húmido
Atenção: Existe algumas espécies, que tem as folhas aveludadas, tipo a Violeta Africana, Begônia Rex, etc. que não deve ser colocada água é só usar uma escovinha bem macia.

TROCA DE VASO:

De uma maneira geral após 1 ou 2 anos as plantas de interior devem ser colocadas em vasos de tamanho maior.
Isso deve ser feito porque as raízes passam a ocupar um grande espaço e também porque o substrato vai perdendo sua composição inicial.
A época mais adequada varia de planta para planta, algumas devem ser feitas na primavera e outras quando estão na fase de repouso.
Aproveite para obterem mudas, separando brotos e dividindo touceiras.

Pesquisar mais textos:

Miguel Pereira

Título:Como cuidar de Plantas de interior

Autor:Miguel Pereira(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Briana AlvesBriana

    13-10-2014 às 04:09:31

    Muito bom! É tão gratificante cuidar de plantas. A gente vê o quanto elas florescem quando são bem-cuidadas. Amei as dicas!

    ¬ Responder
  • Rua DireitaRua Direita

    18-04-2014 às 22:36:55

    Fantástico seu texto, a Rua Direita agradece!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios