Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Ferramentas > Não seja marreta!

Não seja marreta!

Categoria: Ferramentas
Comentários: 1
Não seja marreta!

As ferramentas foram inventadas para facilitar a vida das pessoas. Não apenas daquelas que dependem delas para o seu sustento diário, mas de toda a gente. Estes preciosos utensílios auxiliam até nas pequenas tarefas domésticas do quotidiano. Não é que não se fizessem as coisas na mesma, mas seria necessário despender de um tempo e de um esforço bastante superiores. Pode tratar-se de um alicate de pontas para trabalhos delicados, moldes para a máquina de corte, uma tesoura em ziguezague, uma pistola de cola, enfim, uma infinidade de instrumentos que comportam funções distintas.

Há ferramentas com um carácter mais sério, lendário, porventura aterrador, outras apresentam pouca versatilidade; há-as mais leves e mais pesadas, suaves ou acutilantes. Não obstante os defeitos e virtudes de cada família de ferramentas, o importante é servir-se dos pontos positivos para executar as empreitadas que se têm em vista, ignorando os limites de umas e compensando-os com a eficácia de outras. A ferramentaria teria boas lições a dispensar ao mundo laboral tal como o conhecemos. Efectivamente, muitas vezes, as falhas não são perdoadas nem relativizadas; despede-se, sem dó nem piedade, invocando um qualquer erro, um trabalhador para pôr no seu lugar um asno sem a mínima experiência ou afiliação à empresa… Não se procura reconhecer o valor intrínseco do indivíduo nem detectar-lhe novas valias, eventualmente dotadas de vantagem acrescida.

É certo que as ferramentas dão poder aos homens. Por exemplo, elas ajudam o artista a expressar de forma mais perfeita e realista a sua arte, permitindo concretizar de maneira mais rigorosa as largas dadas à imaginação. Em contrapartida, elas exercem, igualmente, domínio e podem tornar escravos alguns dos seus utilizadores, que parecem nada saber fazer sem a sua presença. À semelhança do que acontece no seio da Humanidade, esta dependência não aporta benefícios, porque, segundo Abraham Maslow, «quando se dispõe unicamente de um martelo, tende-se a ver todos os problemas como um prego». Isto sugere uma capacitação para usar, e bem, as ferramentas, sejam elas de que natureza forem… A verdade é que nos transformamos no que fazemos!

A expansão das próprias capacidades e a supressão ou sublimação de determinadas limitações é, sem dúvida, um dos grandes benefícios da utilização das ferramentas. Inclusive os menos desenrascados ficam com fama de talentosos! Na prática, devem-no ao prolongamento das suas mãos, por assim dizer, mas o resultado final é que conta, não é? Como afirmou McLuhan, «os homens criam as ferramentas, e as ferramentas recriam os homens».

Maria Bijóias

Título: Não seja marreta!

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 0

627 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    04-05-2014 às 05:02:40

    Seu texto é bem conciso e adorei a reflexão de que não devemos ser marretas. A ferramenta nas mãos do ser humano podem ser úteis de maneira sensacional, basta usá-las adequadamente.

    ¬ Responder

Comentários - Não seja marreta!

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Dicas para decorar salas pequenas.

Ler próximo texto...

Tema: Decoração
Dicas para decorar salas pequenas.\"Rua
A realidade das grandes cidades é que a maioria das pessoas mora em espaços pequenos. É fato também que todos desejam ter um ambiente acolhedor e aconchegante para receber amigos. Em contrapartida, na medida em que os espaços encolhem, a quantidade de aparelhos eletrônicos que utilizamos aumenta cada vez mais. Há ainda quem use a sala como home-office.

Nesta busca de inspiração para organizar e incrementar sua sala, encontramos uma série de sites especializados e blogs com muitas, muitas ideias. O conceito de D.I.Y. (do it yourself) que significa "faça você mesmo” nunca esteve tão na moda. É uma alternativa para reduzir gastos com mão de obra e nada melhor do que criar um espaço com um toque todo seu. Inspirações e ideias não faltam. Hoje, de certa forma todos nos sentimos meio decoradores.

Mas planejar a decoração de uma sala pequena exige alguns cuidados para que o ambiente não fique entulhado de móveis, disfuncional ou até mesmo desagradável.

Confira algumas dicas para decorar sua sala com estilo e valorizando seu espaço:
Os espelhos, além da autocontemplação, causam efeitos interessantes. Aplicados, por exemplo, em uma parede inteira pode duplicar a amplitude do ambiente. Pode ser usado também em móveis, tetos, em diversos formatos e valorizar a luminosidade da decoração.

As cores tem poder de causar sensações. Em ambientes com pouco espaço, elas podem colaborar para que a sensação de amplitude possa tanto aumentar quanto diminuir. Para pintar as paredes de sua sala aposte em cores claras. O teto com uma cor mais clara que a das paredes, por exemplo, pode simular uma elevação do teto, já em uma cor mais escura, promoverá uma sensação de rebaixamento do teto.

A escolha e posição dos móveis são um aspecto muito importante. Opte por poucos móveis, nunca de tamanhos exagerados e posicione-os de forma que valorize o espaço. Móveis que misturam poucos materiais, baixos e com linhas retas proporcionam leveza ao ambiente.

Uma solução muito interessante para espaços pequenos é a utilização de prateleiras. Caixas para produtos horto frutícolas reformadas podem se tornar lindas prateleiras. Mas cuidado com a profundidade, para não atrapalhar na disposição de outros móveis e objetos.

Móveis multifuncionais ou móveis inteligentes são excelentes alternativas para uma sala pequena. Um bom exemplo são pufes, que podem ser usados como mesas de centro ou ficarem alojados debaixo de aparadores e quando recebemos visitas podem se transformar em assentos extras. Mesas dobráveis também são uma ótima opção.

Escolher o mesmo piso ou revestimento pode dar a impressão de área maior, de continuidade. Mudanças drásticas de um ambiente para outro pode causar a sensação de divisão e consequentemente fazer parecer menor.

Algumas outras dicas: um sofá retrátil ou reclinável garante muito mais conforto e ocupa o espaço de um sofá simples. Suporte ou painéis móveis para TV possibilitam que ela seja movida na direção desejável. Caso o ambiente tenha escadas, escolher um modelo de escadas vazadas evita divisões e pode se tornar uma peça de destaque na sala. E para as cortinas, escolha tecidos leves, lisas e sem estampas.

De qualquer forma, ouse, não tenha medo de arriscar, crie, não copie, só assim será seu!

Luciana Santos.

Outros textos do autor:
Dicas para decorar salas pequenas.

Pesquisar mais textos:

Luciana Maria dos Santos

Título:Dicas para decorar salas pequenas.

Autor:Luciana Maria Santos(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Carlos Rubens Neto 16-06-2016 às 16:20:24

    Excelente matéria! Parabéns Luciana ;)

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios