Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Ferramentas > Uma ferramenta articulada

Uma ferramenta articulada

Categoria: Ferramentas
Uma ferramenta articulada

Um alicate é uma ferramenta articulada cuja função consiste em multiplicar a força exercida por quem o está a manusear, numa perspectiva de a fazer incidir sobre o objecto desejado.

Os alicates foram inventados na Europa cerca do ano 2000 a.C. para tornar possível agarrar em coisas quentes, especialmente ferro nas, então muito usuais, fundições.

As ilustrações mais antigas destacam Hefaistos (deus da forja na mitologia grega) em plena actividade.

Num esforço de adaptação aos tempos modernos, bem se podiam imaginar algumas figuras do panorama político que se consideram acima de tudo e todos, autênticos deuses portanto, a ostentar obras acabadinhas de “fundir”, encontrando-se ainda “quentinhas”, como é o caso do computador Magalhães, essa maravilha da tecnologia mundial, que quase era açambarcada como galhardete.

Quando se “fundem” mentiras, a única força que os alicates multiplicam é, inevitavelmente, a da desconfiança…

Ao menos, estes instrumentos possuem uma cabeça, que é algo que, manifestamente, falta a imensa gente. A par de braços que trabalhem e da articulação, no caso de ideias lógicas, formando um conjunto harmonioso de componentes cujo funcionamento devolvesse a segurança da manipulação!

Bom, resta o conforto de o emprego dos alicates ser extensível ao universo das ferraduras.

Levantando a ponta das calças de muitos engravatadinhos era, indubitavelmente, o que sobreviria. Ou não constituíssem elas o calçado dos burros…


Rua Direita

Título: Uma ferramenta articulada

Autor: Rua Direita (todos os textos)

Visitas: 0

611 

Imagem por: seeks2dream

Comentários - Uma ferramenta articulada

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Receptores digitais

Ler próximo texto...

Tema: TV HIFI
Receptores digitais\"Rua
Os receptores digitais são instrumentos que têm a função de receber sinal por via de canais digitais.

De acordo com a sua função, estes canais poderão ser satélite ou por cabo. Actualmente, já existem bastantes serviços de televisão por cabo que funcionam apenas com estes receptores, uma vez que é através deles que se consegue ter acesso não só aos canais de serviço, mas também a pacotes codificados.

O serviço de recepção de canais por satélite é um sistema independente para o qual é necessário ter um disco receptor satélite de modo a poder ter canais digitais fora dos serviços prestados pelos operadores de televisão digital.

Este instrumento permite que os próprios ecrãs sem tecnologia digital passem a usufruir desta através destes receptores. No entanto, a melhor qualidade só é garantida com um ecrã já com esta tecnologia.

Os receptores digitais permitem também aceder a uma multiplicidade de serviços, desde que devidamente configurados. Por exemplo, com estes receptores, é possível aceder a menus específicos de pausa de emissão para depois ser continuada, de serviços on-demand ou acesso a portais específicos, entre outros.

Esta pequena caixinha permite ao seu utilizador usufruir da televisão a um novo nível, de modo a que possa ter todas as comodidades no conforto do lar. 

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Receptores digitais

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Imagem por: seeks2dream

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    04-06-2014 às 06:53:28

    Gostei dos receptores digitais. Bom texto abordando isso.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios