Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Antiguidades > Aprenda a comprar em leilões

Aprenda a comprar em leilões

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Antiguidades
Visitas: 14
Aprenda a comprar em leilões

Um leilão é uma alternativa de compra e venda de tudo e mais alguma coisa: imóveis, carros, joias, brinquedos, móveis, etcétera, quer novos, quer usados, quer em estado de sucata. Também denominados de hasta pública, os leilões constituem a mais antiga forma de negociação conhecida, sendo o leiloeiro a personagem principal. Ele é, de facto, o administrador dos bens em transação, sendo contratado pelos respetivos vendedores, e devidamente habilitado para efetuar leilões.

Fica com o objeto apregoado quem fizer a maior licitação, isto é, a oferta mais alta. O valor do bem é pré-definido através de avaliação, e é a partir dele que o potencial interessado deve lançar ofertas. Nos avisos e editais deverão constar as datas e locais de visitação dos objetos, que permitirá examiná-los antes do leilão. É aconselhável que se avaliem os bens com o auxílio de técnicos especializados, uma vez que eles são vendidos da forma como estão, sem azo a reclamações ou desistências a posteriori.

Para ir a um leilão não é preciso convite. Por necessidade jurídica, ele é aberto a qualquer pessoa, individual ou coletiva. Com o intuito de aprender ou comprar, é útil visitar previamente a exposição.

A indumentária deve estar de acordo com o local, o ambiente, a hora do dia e o tipo de pessoas presentes no leilão. Atrasos à chegada revelam pouca educação e menos interesse, e podem ser aniquiladores de ótimos negócios. Chegar um pouco antes do início e registar-se para fazer licitações ou para receber convites de outros leilões é boa ideia. Atenção às bebidas! Embora grátis, elas costumam sair muitíssimo caras a quem abusa (o álcool potencia o descontrolo) …

As licitações devem ser bastante claras, mas não escandalosas, e restritas às posses reais do comprador (que será responsabilizado civilmente pelo seu comprometimento, que funciona com um contrato) e ao valor da peça. Licitações demasiado diminutas são indicadoras de ignorância ou constituem insultos, assim como cobrir ofertas de outros com um acréscimo de poucos cêntimos.

Também na Internet é possível participar em leilões. Aqui, podem encontrar-se artigos novos ou usados a preços bastante inferiores aos do mercado tradicional. Não ter de sair de casa para comprar algo que pode estar a milhas de distância constitui, sem dúvida, uma grande vantagem, mas é sempre útil entrar em contacto com o vendedor e pedir esclarecimentos e informações detalhadas. Todavia, a confiança é uma questão premente, passível de ser contornada através da escolha de sites que ofereçam algumas garantias acerca dos participantes.

Quem nunca tenha utilizado um site de leilões on-line deve ler o ficheiro de ajuda do site antes de fazer uma licitação. Adicionalmente, é preciso compreender a declaração de privacidade do site e o acordo de utilizador. Por exemplo, há muitos sites que não admitem a anulação de um negócio. Há que verificar a existência de seguros e garantias.

As informações que se conseguirem recolher sobre o vendedor podem revelar-se valiosíssimas. É de desconfiar se um vendedor der um número de telefone errado ou solicitar o envio do pagamento para um apartado. Do mesmo modo, causam suspeição uma encomenda com data de expedição superior a 20 dias após a receção do pagamento e a prática de preços muito inferiores a outros leilões para artigos similares (que podem ser indício de menor qualidade ou de produtos roubados).

Pesquisar acerca do artigo pretendido e comparar preços de peças semelhantes noutros leilões ou em lojas on-line conferem mais segurança e avontade na negociação. Não se podem tocar os objetos antes da compra, mas, depois desta, é só esperar que eles sejam entregues.


Maria Bijóias

Título: Aprenda a comprar em leilões

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 14

807 

Imagem por: unforth

Comentários - Aprenda a comprar em leilões

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como fazer disfarces de Carnaval

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Vestuário
Como fazer disfarces de Carnaval\"Rua
O ano começa e depressa chega uma data muito ansiada principalmente pelos mais jovens: o desejado Carnaval!

Esta é uma data que os pequenos adoram e deliram com as fantasias. O problema maior é a despesa que os disfarces representam e no ano seguinte já não usarão o mesmo disfarce ou, no caso dos mais pequenos, já não lhes serve.
O melhor nesta data é mesmo reciclar e aprender a fazer disfarces caseiros utilizando truques mais económicos e materiais reciclados para preparar as fantasias dos pequenitos!

Uma sugestão para os meninos é o traje de pirata que pode facilmente ser criado a partir de peças que tenha em casa. Procure uma camisa de tamanho grande e, de preferência, de cor branca com folhos. Se não tiver uma camisa com estas características facilmente encontrará um modelo destes no guarda-vestidos de alguma familiar, talvez da avó.

Precisará de um colete preto. Na falta do colete pode utilizar um casaco preto que esteja curto, rasgue as mangas pelas costuras dos ombros. As calças devem ser velhas e pretas para poderem ser cortadas na zona das pernas para envelhecer a peça. Coloque um lenço preto ou vermelho na cabeça do menino e, de seguida, com um elástico preto e um pouco de velcro tape um dos olhos.

Para as meninas não faltam ideias originais para fazer disfarces bonitos e especiais para este dia. Uma ideia original é a fantasia de Flinstone. É muito fácil e prática de fazer e fica um disfarce muito bonito. Comece por arranjar um pedaço de tecido branco. Coloque o tecido em volta do corpo como uma toalha de banho e depois amarre num dos braços fazendo uma alça. Depois corte as pontas em ziguezague mantendo um lado mais comprido que o outro. Amarre o cabelo da menina todo no cimo da cabeça, como se estivesse a fazer um rabo-de-cavalo mas alteie-o mais. Com o auxílio de um pente frise o cabelo, pegando nas pontas e passando o pente em sentido contrário até que fique todo despenteado. Numa loja de disfarces compre um osso de plástico e prenda na fita da criança.

Pegue nos materiais, puxe pela imaginação e ponha mãos ao trabalho!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Como fazer disfarces de Carnaval

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Imagem por: unforth

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    09-06-2014 às 04:01:21

    Não em carnaval, mas em bailes de fantasia, sempre usei o TNT. Eles são ótimos para trabalhar o corte, para costurar e deixa bem bonito!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios