Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Antiguidades > Quando um objecto se torna uma antiguidade

Quando um objecto se torna uma antiguidade

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Antiguidades
Visitas: 17
Quando um objecto se torna uma antiguidade

Nos Estados Unidos, com aliás noutros sítios, as antiguidades são avaliadas de distintas maneiras. No entender de uns, uma antiguidade consubstancia, tão-somente, algo que existe há mais de cem anos. Para outros, porém, este conceito apenas abrange peças fabricadas no máximo até ao ano 1700. Na Europa, muitos antiquários exibem, por exemplo, móveis com 400 ou 500 anos.

Efetivamente, a noção de antiguidade varia de acordo com diversos parâmetros e áreas de conhecimento e interesse. Não obstante, o valor de uma antiguidade contempla alguns padrões fixos, como a qualidade intrínseca do objeto e a sua raridade, o estado de conservação e restauro, a época a que pertence, a procedência, a marca, a matéria-prima utilizada e a sua valia decorativa. Ainda assim, as virtudes reconhecidas podem ser mais ou menos relativizadas pelas leis do mercado. Em acréscimo, os fatores comerciais resultarão numa avaliação muito diferente de outra de cariz mais sentimental, estimativo. Nesta perspetiva, uma peça modesta é suscetível de valer uma soma mensurável, enquanto que a um artigo raro e caro (do ponto de vista comercial) podem ser atribuídos preços baixíssimos.

Existem várias maneiras de identificar uma antiguidade. Tratando-se de mobílias, há que reparar nos encaixes (que, sendo feitos à mão, indicam que a peça terá data anterior a 1860), na simetria (no fabrico manual, as travessas, as ripas, os bilros e outros componentes de pequeno diâmetro não são uniformes), no tipo de madeira (móveis do século XVIII são, usualmente, de carvalho), nos acabamentos e noutros aspetos característicos.

Regra geral, os amantes de antiguidades são pessoas viajadas, com uma cultura acima da média, que integram as classes alta e média-alta (embora não seja taxativo), sendo que a maioria sabe exatamente aquilo que quer e consulta assessores especializados, técnicos ou colecionadores de confiança antes da compra, no sentido de reunir toda a informação possível. Adquirem antiguidades pelo prazer de terem em seu poder peças únicas, fragmentos vivos da História, relíquias assaz cobiçadas que ultrapassaram séculos ou, simplesmente, porque pretendem realizar um bom investimento.

Um filme, um livro, uma peça de teatro ou de roupa, uma pessoa célebre com interesse nesta área, viagens a certos países (com consequente apreensão da respetiva cultura), uma exposição, etcétera, são passíveis de despertar um desejo de procurar objetos de um determinado estilo ou período histórico.

Os objetos mais procurados são aqueles que evocam a fusão de culturas: peças indo-portuguesas, luso-japonesas, americanas de influência inglesa, … Os artigos de culto, artefactos de mobiliário e pintura, assim como obras com acentuada presença decorativa (casos das escultura budista e hindu) estão também nos lugares cimeiros da demanda.

A tendência actual é para comprar melhor e em menor quantidade, até porque se muda mais frequentemente de casa. Então, as peças de valor médio já quase não se comercializam, ao passo que as de nível superior se compram cada vez mais, mormente as de pequeno porte. É o que se poderia apelidar de “antiguidade concentrada”…


Maria Bijóias

Título: Quando um objecto se torna uma antiguidade

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 17

812 

Imagem por: pedrosimoes7

Comentários - Quando um objecto se torna uma antiguidade

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Dica caseira para remover manchas no rosto facilmente

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Beleza
Dica caseira para remover manchas no rosto facilmente\"Rua
Com a chegada do verão, os cuidados com a pele precisam ser intensificados. É claro que, independente da estação, os cuidados com a saúde e beleza são fundamentais. Mas, no verão, alguns problemas de pele, principalmente da face, tornam-se mais frequentes e, com isso, surgem algumas preocupações. A boa notícia é que, a maior parte dessas preocupações podem ser amenizadas ou até mesmo solucionadas com dicas caseiras de cuidado com a pele.

Logo, certos cuidados como o uso regular de bloqueador solar é importantíssimo, não só para evitar manchas no rosto e no corpo, como também, para evitar doenças graves como o temido câncer de pele. Por isso, a boa hidratação, a limpeza correta da face e o uso de cremes faciais com proteção contra os raios ultravioletas UVA e UVB não podem ser menosprezados.

Outro detalhe relevante é a escolha da alimentação. Para ter uma pele saudável e bonita é preciso evitar o uso de certos alimentos. Sabe-se que os conservantes, corantes e similares, que estão sempre presentes nos alimentos industrializados provocam alergias e outros problemas. Essas substâncias podem fazer surgir ou intensificar doenças como o melasma, aquelas manchas escuras na face. E, essas manchas são sensíveis ao calor do sol e, dependendo da pele, o tratamento exige bastante tempo e recursos financeiros para cuidados e acompanhamento dermatológico.

Mas, você pode preparar em casa uma loção para limpar a pele, reduzir ou até mesmo remover essas manchas escuras. Você vai precisar de um pêssego maduro, um pouco de hidratante facial e uma bisnaga de Bepantol, que é um creme com vitamina A.

Dicas para preparar seu creme removedor de manchas na pele:

Primeiramente, faça o creme de pêssego: é só bater no Mix o pêssego com um pouquinho de água. Para facilitar, amasse o pêssego com uma colher antes de bater no Mix. Depois, peneire a massa de pêssego para o creme ficar mais homogêneo. Em seguida, misture a terça parte da bisnaga de Bepantol ao pêssego com uma colher, preferencialmente de madeira ou de plástico. Com um algodão e com movimentos suaves, aplique a loção no rosto e deixe agir por 40 minutos. Depois lave com água abundante. Evite o uso de esfoliante porque a pele ficará muito sensível. Essa loção pode ser usada até três vezes na semana. Não use sobras de creme.

Pesquisar mais textos:

Zilma Silva

Título:Dica caseira para remover manchas no rosto facilmente

Autor:Zilma Silva(todos os textos)

Imagem por: pedrosimoes7

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios