Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Antiguidades > Bonecas Antigas – Uma arte para decorar

Bonecas Antigas – Uma arte para decorar

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Antiguidades
Visitas: 20
Comentários: 7
Bonecas Antigas – Uma arte para decorar

Os bonecos encantam qualquer criança. Existem para todos os gostos, desde os musculados e com armaduras fortes para os rapazes, quer singelas, delgadas e com vestidos cor-de-rosa para as meninas.

As bonecas vêm com marca, mas logo assim que desembrulhadas, elas passam a ser a Beatriz, ou a Vanessa, ou a Catarina ou a Mariana. Os rapazes tem menos o hábito de chamar os bonecos por nomes pomposos, mas conhecem os poderes quase alienígenas que os heróis de plástico são detentores.

As novas gerações usam os bonecos de forma descartável, e as gerações mais pequenas não acreditam quando os avós lhes contam que no tempo delas as bonecas eram feitas de cartão, pois não havia dinheiro e as barbies nem sequer eram conhecidas em Portugal.

Mas e se uma pessoa crescida comprar bonecas para ela própria? Parece-lhe estranho? Não se surpreenda. As bonecas de brinca que os adultos compram são cerca de 20 vezes mais caras que as bonecas normais. São bonecas de coleção, com história.

De vestidos feitos à mão com bordado Inglês, estas bonecas tem uma característica diferente das bonecas de plástico hoje em dia. Não dá para brincar com elas.

Não se conhecem histórias de fabrico de bonecas na pré-história, mas quando as monarquias já imperavam, começaram a ser feitas bonecas delicadas de corpo de pano ou de madeira e de cara de porcelana.

O boom destas bonecas foi entre o século IXX e XX, e somente as famílias mais abastadas podiam comprá-las. Com faces rosadas e de porte feminino e infantil, eram moldadas segundo a imagem que se tinha da criança menina ou bebé ideal.

Este tipo de bonecas (obviamente a maior parte feitas mais recentemente que o inicio do século XX), é hoje colecionado normalmente por senhoras que enfeitam e preenchem a vitrina da sala com tais obras.

Tais coleções são dignas de mostra na casa dos colecionadores tal a beleza da arte de saber construir brinquedos.

As faces são tão reais que há quem julgue estas bonecas um quanto assustadoras e até os cabelos das bonecas mais antigas são de pessoas humanas, tal intenção de copiar a realidade.

Quem coleciona estas bonecas, fá-lo pela sua beleza, e como qualquer colecionador que se possa gabar, a pesquisa, a procura e o querer saber mais, são elementos fundamentais para as melhores aquisições.

Apesar de terem sido fabricadas em quase todo o mundo (principalmente na Europa), as bonecas antigas criadas na França, são as mais requisitadas e consequentemente as mais caras.

Um colecionador destas pequenas obras de arte não olha (normalmente) a valores para adquirir uma nova boneca e como em qualquer obra de grande coleção, a estima e proteção são fundamentais para a preservação das peças.

Afinal, também os graúdos gostam de brincar com bonecas!


Carla Horta

Título: Bonecas Antigas – Uma arte para decorar

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 20

795 

Imagem por: gailf548

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 7 )    recentes

  • Judite A Rocha

    01-02-2015 às 00:57:30

    Estou satisfeita por ter encontrado em Portugal alguém (adulto) interessado em bonecas. Tenho uma pequena coleção de bonecas antigas e gasto horas infinitas na sua busca e em pesquisa sobre a história das mesmas.
    Se alguém souber de algum club ou associação de colecionadores de bonecas eu estaria interessada em juntar-me.

    ¬ Responder
  • SophiaSophia

    22-04-2014 às 15:20:34

    Essas bonecas antigas possuem materiais muito bem elaborados e mais duráveis. Com certeza, a Rua Direita admira esse tipo de arte.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoMaria

    04-02-2014 às 15:48:32

    Desculpe informá-la mas dezanove, (19) em números romanos escreve-se XIX e não IXX

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoCristiana

    24-07-2012 às 09:51:03

    Tenho desde pequena uma grande coleção de barbies. Ao contrario das miúdas da minha idade, eu não gostava de vesti-las e trocar-lhes as roupas. Deixava-as sempre intactas. Julgo que pensava que elas perderiam a sua identidade ou qualquer coisa assim.
    Tenho-as até hoje guardadas e são um bocadinho de mim que ali está.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoLurdes

    23-07-2012 às 11:37:15

    Tenho guardadas numa caixa algumas bonecas de porcelana antigas. Não comprei nenhuma delas e hoje em dia já nem as tenho em exposição. Guardo-as com cuidado e com estima, pois têm uma história muito bonita. Quando era miúda conheci uma senhora já idosa que não tinha filhas. Tinha um filho crescido e um neto da minha idade muito rapazola que naturalmente não gostava de bonecas. A senhora pedia-me para fazer pequenos recados na mercearia da rua e em troca deixava-me brincar com as bonecas de porcelana. Na altura eu nem imaginava o valor que elas tinham. Quando a senhora faleceu, a nora ofereceu-me algumas das bonecas que ainda hoje mantenho guardadas. Já quiseram comprar-me as bonecas, mas tenho-lhes tamanha estima que não consigo.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoCarla

    23-07-2012 às 11:36:55

    Tenho feito uma coleção para a minha filha de bonecas de pano. São as muito conhecidas Tildas. Umas bonecas compridas, esguias feitas á mão de uma forma absolutamente maravilhosa. Têm temas e no quarto dela já constam a jardineira, a princesa, o anjinho, a bailarina e a “consumista” (esta é uma que tem saquinhos como se tivesse ido ás compras). São dispendiosas, pois custam aproximadamente 60€ cada uma, que considerando que são de pano, poderiam ser um pouco mais baratas. No entanto, sei que o que ali se paga é a perfeição com que são feitas à mão. São maravilhosas.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoLeonor

    19-07-2012 às 12:05:42

    A minha mãe coleciona há muitos anos bonecas de pano. São verdadeiras obras de arte, pois têm pormenores absolutamente inacreditáveis. Antigamente eram compradas através de catalogo e levavam meses a cá chegar pois vinham de França. Nos dias de hoje e com a internet, a minha mãe descobriu uma loja em Lisboa que as vende e até arranja as que estão estragadas com o tempo. O custo é elevado pois uma das que comprou, custou há mais ou menos 30 anos aproximadamente 5 contos (5 mil escudos na moeda antiga).
    Tem pelas bonecas um orgulho quase fanático. Apesar de não lhes ligar muito, a verdade é que elas até são engraçadas.

    ¬ Responder

Comentários - Bonecas Antigas – Uma arte para decorar

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

A história da fotografia

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Fotografia
A história da fotografia\"Rua
A história e princípios básicos da fotografia e da câmara fotográfica remontam à Grécia Antiga, quando Aristóteles verificou que os raios de luz solar e com o uso de substâncias químicas, ao atravessarem um pequeno orifício, projetavam na parede de um quarto escuro a imagem do exterior. Este método recebeu o nome de câmara escura.

A primeira fotografia reconhecida foi uma imagem produzida em 1826 por Niepce. Esta fotografia foi feita com uma câmara e assente numa placa de estanho coberta com um derivado de petróleo, tendo estado exposta à luz solar por oito horas, esta encontra-se ainda hoje preservada.

Niepce e Louis –Jacques Mandé Daguerre inciaram em 1829 as suas pesquisas, sendo que dez anos depois foi oficializado o processo fotográfico o nome de daguerreótipo. Este processo consistia na utilização de duas placas, uma dourada e outra prateada, que uma vez expostas a vapores de iodo, formando uma pelicula de iodeto de prata sobre a mesma, ai era a luz que entrava na camara escura e o calor gerado pela luz que gravava a imagem/fotografia na placa, sendo usado vapor de mercúrio para fazer a revelação da imagem. Foi graças á investigação realizada por Friedrich Voigtlander e John F. Goddard em 1840, que os tempos de exposição e revelação foram encurtados.




Podemos dizer que o grande passo (não descurando muitas outras mentes brilhantes) foi dado por Richard Leach Maddox, que em 1871 fabricou as primeiras placas secas com gelatina, substituindo o colódio. Três anos depois, as emulsões começaram a ser lavadas com água corrente para eliminar resíduos.

A fotografia digital


Com o boom das novas tecnologias e com a capacidade de converter quase tudo que era analógico em digital, sendo a fotografia uma dessas mesmas áreas, podemos ver no início dos anos 90, um rápido crescimento de um novo mercado, a fotografia digital. Esta é o ideal para as mais diversas áreas do nosso dia a dia, seja a nível profissional ou pessoal.

As máquinas tornaram-se mais pequenas, mais leves e mais práticas, ideais para quem não teve formação na área e que não tem tempo para realizar a revelação de um rolo fotográfico, sem necessidade de impressão. Os melhores momentos da nossa vida podem agora ser partilhados rapidamente com os nossos amigos e familiares rapidamente usando a internet e sites sociais como o Facebook e o Twitter .

A primeira câmara digital começou a ser comercializada em 1990, pela Kodak. Num instante dominou o mercado e hoje tornou-se produto de consumo, substituindo quase por completo as tradicionais máquinas fotográficas.

Sendo que presentemente com o aparecimento do FullHD, já consegue comprar uma máquina com sensores digitais que lhe permitem, além de fazer fotografia, fazer vídeo em Alta-Definição, criando assim não só fotografias quase que perfeitas em quase todas as condições de luz bem como vídeo com uma qualidade até agora impossível no mercado do vídeo amador.

Tirar fotografias já é acessível a todos e como já não existe o limite que era imposto pelos rolos, “dispara-se” por tudo e por nada. Ter uma máquina fotográfica não é mais um luxo, até já existem máquinas disponíveis para as crianças. Muitas vezes uma fotografia vale mais que mil palavras e afinal marca um momento para mais tarde recordar.

Pesquisar mais textos:

Bruno Jorge

Título:A história da fotografia

Autor:Bruno Jorge(todos os textos)

Imagem por: gailf548

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    05-05-2014 às 03:48:18

    Como é bom viver o hoje e saber da história da fotografia. Isso nos dá a ideia de como tudo evoluiu e como o mundo está melhor a cada dia produzindo fotos mais bonitas e com qualidade!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios