Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Ferramentas > Calibrador de temperatura

Calibrador de temperatura

Categoria: Ferramentas
Comentários: 8
Calibrador de temperatura

O homem sempre buscou desvendar o Universo, a capacidade humana de pesquisar, testar, explicar fenômenos faz parte do ser humano que precisa obter respostas lógicas. Medir tempo, distância, altura, largura e temperatura, levou o homem a criar instrumentos de medição. Essas medições precisam ser calibradas, ou seja; o equipamento de medição de temperatura para que funcione e ofereça resultado preciso da medição, precisa de um calibrador de temperatura para comparar e ajustar o medidor. Existem diferentes modelos de calibrador de temperatura disponível no mercado, um calibrador mede ph e º C, tem calibrador portátil elétrico, para uso com bateria e pillhas, mutipla função, calibrador industrial, etc.

Os calibradores para medição em laboratório medem até cerca de 650º C, os calibradores usados em laboratório podem fazer medição on-line com o uso de um software com capacidade para memorização de dados.

Todos os medidores de temperatura, por meio de sensores, são produzidos com um linite de tolerância de erro, quando é necessário fazer uma verificação da curva para saber se o sensor está dentro da faixa chamada tolerância, precisa-se do calibrador de temperatura para aferir essa precisão da curva. Para fazer a calibração, o procedimento é definir calibração primária e secundária. Na calibração primária se usa ponto fixo da escala internacional, já para a escala secundária, que é a mais comum e a mais utilizada, que é a medição comparatória, em ambos os casos, a utilização básica é a mesma. Mesmo a calibração secundária sendo a mais usada, a calibração primária é mais acertiva.

Para executar quaquer trabalho que exija um sensor de temperatuta, é preciso excluir os fatores de temperatura do ambiente que possam influenciar os sensores, essa compensação não calibra um sensor, sem o auxílo de um calibrador, a medição pode oferecer uma medição inezata. Com um calibrador de temperatura, é possível construir uma tabela de temperatura e armazena-la na memória do microcontrolador.

Ao longo dos tempos, ciêntistas desenvolveram sistemas de medição que nos favorecem até hoje, quer seja um simples termômetro que usamos em casa para medir a temperatura corporal que indica se estamos com febre, sabemos que febre é um dos principais sintomas de infecção, o que quer dizer que atua na área da saúde. Medidores para temperatura ambiental, que indicam o grau do ambiente em que estão instalados ou os portáteis quando utilizados, dando ao homem a opotunidade de acompanhar as mudanças térmicas, entre outros medidores, porém para tal aferição medida por esses sensores serem a mais precisa possível, só mesmo com a aferição de um calibrador de temperatura.


Sílvia Baptista

Título: Calibrador de temperatura

Autor: Sílvia Baptista (todos os textos)

Visitas: 0

711 

Imagem por: akeg

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 8 )    recentes

  • Wallace RandalWallace Randal

    06-10-2012 às 18:21:01

    Olá Sílvia Baptista, tudo bem? Muito informativo e bem escrito seu texto! Fico muito impressionado com a quantidade de conhecimento que podemos adquirir passando alguns minutos do nosso dia visualizando as publicações contidas aqui. Achei incrível seu texto, mas não conheço muito do assunto. A necessidade do homem de medir as coisas à sua volta é antiga, e a partir dela nosso conhecimento cresceu até termos nossos acervos de hoje em dia (bibliotecas, internet, etc.).

    ¬ Responder
  • Wallace RandalWallace Randal

    06-10-2012 às 18:20:53

    Olá Sílvia Baptista, tudo bem? Muito informativo e bem escrito seu texto! Fico muito impressionado com a quantidade de conhecimento que podemos adquirir passando alguns minutos do nosso dia visualizando as publicações contidas aqui. Achei incrível seu texto, mas não conheço muito do assunto. A necessidade do homem de medir as coisas à sua volta é antiga, e a partir dela nosso conhecimento cresceu até termos nossos acervos de hoje em dia (bibliotecas, internet, etc.).

    ¬ Responder
  • Wallace RandalWallace Randal

    06-10-2012 às 18:20:44

    Olá Sílvia Baptista, tudo bem? Muito informativo e bem escrito seu texto! Fico muito impressionado com a quantidade de conhecimento que podemos adquirir passando alguns minutos do nosso dia visualizando as publicações contidas aqui. Achei incrível seu texto, mas não conheço muito do assunto. A necessidade do homem de medir as coisas à sua volta é antiga, e a partir dela nosso conhecimento cresceu até termos nossos acervos de hoje em dia (bibliotecas, internet, etc.).

    ¬ Responder
  • Anne TeixeiraAnne Teixeira

    05-10-2012 às 16:53:30

    Em laboratórios de pesquisa onde são usados gases e materiais que precisam estar em vácuo, é super importante ter um calibrador de temperatura para que o equipamento seja ajustado sempre que possível. Isso evita que com dados descalibrados os procedimentos sejam realizados. Consequentemente, evitamos acidentes aos pesquisadores que trabalham no processo.Além disso, calibradores também ajudam em climatizadores de ar nas residências.

    ¬ Responder
  • Lucas SouzaLucas Souza

    01-10-2012 às 19:46:32

    Devido aos grandes gênios da física, esse aparelho existe hoje. Depois de muito estudo e diversos experimentos, os modelos mais simples desse aparelho foram criados, aparelhos esses capazes de medir a temperatura de um ambiente. Em suas diversas escalas, esses instrumentos são necessários nos mais variados usos e áreas do mundo, dentro dos computadores, de um supermercado, de um hospital, sempre haverá um calibrador de temperatura. Concordo com o Nilson, belo texto Silvia Baptista, parabéns!

    ¬ Responder
  • Nilson EmpreendedorNilson Uemoto

    01-10-2012 às 01:16:08

    ótimo texto que nos explica detalhes do funcionamento de um calibrador de temperatura.Para quem não sabia para que servia esse aparelho, o texto foi bem no ponto esclarecendo dúvidas de como utilizar da melhor maneira o calibrador de temperatura.Num mundo em que cada vez mais o homem busca medidas exatas e os instrumentos de medição cada vez ficam mais modernos e precisos, o calibrador de temperatura dá o ajuste exato para a eficiência da medição.

    ¬ Responder
  • Sofia NunesSofia Nunes

    24-09-2012 às 23:57:46

    Acho interessante que inicie o seu texto referindo-se à ideia, na qual já nem reparamos, de que o ser humano sente necessidade de perceber, explicar e se possível controlar o mundo que o rodeia. E assim surgiu a noção de tempo, de espaço e claro, de temperatura, que é a temática do seu texto.

    ¬ Responder
  • Daniela VicenteDaniela Vicente

    23-09-2012 às 21:51:21

    as sondas de temperatura têm de ser calibradas e estou de acordo que seja usado sondas em determinados trabalhos. desde reparações de ar condicionado, estufas, e até alguns trabalhos de soldadura. não é um tema muito interessante , mas é um aspecto que as pessoas devem ter conhecimento. o que conhecimento não faz mal a ninguém. parabéns por isso.

    ¬ Responder

Comentários - Calibrador de temperatura

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os descendentes de Eça

Ler próximo texto...

Tema: Literatura
Os descendentes de Eça\"Rua
Recentemente, por via da comunicação social, soubemos da entrega do prémio Leya, a um trineto de Eça de Queirós. Julgo que bastou essa noticia, para que todos ficássemos curiosos sobre os seus descendentes…esse mistério, como o Mistério da Estrada de Sintra, começou a adensar-se entre quem se interessa por estas coisas da literatura e da genealogia…então aqui deixo algumas notas que poderão ser importantes para quiçá, um dia, um qualquer jornalista, ou editor, se lembre, de conseguir reunir todos os seus descendentes vivos e se tire uma fotografia de família.

José Maria Eça de Queirós, escritor pródigo da nossa nação, contraiu matrimónio em 1886, com Emília de Castro Pamplona Resende, condessa de Resende, deixando à data de sua morte, em Paris, quatro filhos como seus descendentes e herdeiros diretos; foram eles António Eça de Queirós, Maria Eça de Queirós, Alberto Eça de Queirós e José Maria Eça de Queirós; portanto três meninos e uma menina.
Através do site Geneall.net, foi possível perceber as linhas genealógicas que se seguiram aos seus filhos. No entanto, nem todos os nomes dos seus bisnetos e trinetos estão aí presentes, com certeza por motivos de ordem pessoal, de resguardo da privacidade, motivos que não podemos questionar. Porém, é possível, pelo menos determinar a existência desses membros da família queirosiana.

De antemão sabemos que não houve descendência por parte de dois dos seus filhos, António Eça de Queirós e de Alberto Eça de Queirós.
Maria Eça de Queirós teve dois filhos, uma menina e um menino, porém a menina morreu muito nova, ficando apenas o menino, de seu nome Manuel Pedro Benedito de Castro, que mais tarde casou com Maria da Graça Salema de Castro, a mulher que se tornou a primeira diretora da Fundação Eça de Queirós, na casa de Tormes, pertença da família da esposa de Eça de Queirós. Como Manuel Pedro Benedito de Castro não teve filhos, sabemos que por este ramo, terminou a descendência do escritor.

Convém, entretanto, acrescentar aqui uma curiosidade. Depois do regresso a Portugal da viúva de Eça, ela e os filhos, foram residir para a casa da Granja, pertencente à família de Sophia de Mello Breyner. Inicialmente como esta casa costumava ser arrendada pela família de Sophia, Emília de Castro, arrendou-a, vindo a compra-la uns anos depois. Portanto, é aqui nesta casa que ela cria os seus filhos, e é onde, José Maria Eça de Queirós, um dos seus filhos, permanece após a sua morte, tendo criado aqui os seus filhos e netos, e tendo aqui também falecido.

Podemos então seguramente afirmar que a sua grande linha de descendência parte do seu filho, com o mesmo nome, José Maria Eça de Queirós, que teve também ele, atente-se à curiosidade, quatro filhos, neste caso, ao inverso, um menino, e três meninas, respetivamente de seus nomes, Manuel Eça de Queirós, Maria das Dores Eça de Queirós, Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós e Emília Maria de Castro Eça de Queirós. Esta ultima, Emília, teve ao que consta nove filhos, sendo que um deles, Afonso Maria Eça de Queirós Cabral, é quem atualmente preside à Fundação acima citada, depois da morte da primeira presidente, referida atrás, Maria da Graça Salema de Castro.

Manuel Eça de Queirós por sua vez teve seis filhos, Maria das Dores Eça de Queirós teve três filhos, e Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós, dois filhos. Somados, contabilizamos vinte, os bisnetos do famoso escritor. Seria interessante avançar um pouco mais nos ramos genealógicos e aflorar quem são ou pelo menos, quantos são os trinetos e tetranetos de Eça, por conseguinte fica aqui o desafio, pois é certo que porventura alguns destes descendentes não se conhecem, e nunca terão trocado qualquer impressão sobre o seu ascendente, para uns, bisavô, para outros trisavô, e ainda para outros, tetravô.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Os descendentes de Eça

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Imagem por: akeg

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios