Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Desporto > Não aposte nos ginásios apenas no Verão

Não aposte nos ginásios apenas no Verão

Categoria: Desporto
Visitas: 2
Comentários: 1
Não aposte nos ginásios apenas no Verão

Fazer desporto deveria ser uma condição ao longo do ano, não só porque nos deixa mais definidos, mas porque faz bem à saúde e à alma. A verdade é que poucos são os que seguem isto. Só quando os raios de sol nos começam a acordar pela manhã, é que nos apercebemos que está a chegar mais um Verão. Assim, a partir de Março começam a enchentes nos ginásios e quanto mais da moda este for melhor, porque começam-se logo a travar conhecimentos para possíveis aventuras de Verão. Desta forma alia-se desporto a prazer. Depois são cerca de quatro meses de trabalho intenso, porque há pouco tempo para ficar em forma. Senão não dá para depois desfilar naquela praia que é frequentada pelo pessoal do ginásio.

As bicicletas, as passadeiras, os steps… não têm descanso, trabalham tudo o que não trabalharam durante o restante ano. Além disso, as aulas de grupo ficam apinhadas, misturando cheiros intensos dos mais diversos tipos de perfume. Até escolher uma aula a frequentar tem muito que se diga. Há que ter em conta se é uma actividade da moda e para tal, deve ter um nome bem estranho e que termine em fit, em pump ou attack. Depois se o professor for interessante ainda melhor, quem sabe ele não repare em nós e ainda nos dá umas aulas privadas…

Por vezes, dá a sensação que a maioria das pessoas que frequentam os ginásios estão lá apenas para encher o ego ou então numa de competição, a ver quem tem mais músculos, o corpo mais bem delineado, os bíceps mais definidos, os glúteos mais espevitados, os gémeos mais torneados… É uma autêntica passerelle, só que com nome diferente. Além disso, também a indumentária escolhida tem um grande valor. Quanto mais pele mostrar, melhor! Calções curtos, calças bem justinhas, tops que deixem o umbigo à mostra, os ténis Nike acabados de serem lançados no mercado… Tudo isto são condições que não devem ser descuradas e para que possa ser visto como uma pessoa “cool” que pode pertencer ao grupo dos “mais in”.

Todos os anos o cenário repete-se e por mais que se ouça dizer que praticar desporto faz bem à saúde, essa ainda não é a principal preocupação da maioria das pessoas.

E acaba o Verão e lá voltam os ginásios a ficarem vazios…

Catarina Guedes Duarte

Título: Não aposte nos ginásios apenas no Verão

Autor: Catarina Guedes Duarte (todos os textos)

Visitas: 2

664 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Rafaela CoronelRafaela

    09-10-2014 às 13:31:42

    Também concordo com você! Praticar alguma atividade física é fundamental em qualquer época do ano e qualquer estação. É tão bom movimentar-se! O corpo agradece e a mente também!

    ¬ Responder

Comentários - Não aposte nos ginásios apenas no Verão

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Um caminho para curar o transtorno alimentar

Ler próximo texto...

Tema: Saúde
Um caminho para curar o transtorno alimentar\"Rua
De acordo com um relatório divulgado em novembro de 2014 pelo Comitê Permanente sobre o Status da Mulher, entre 600 mil a um milhão de canadenses cumprem os critérios diagnósticos para um transtorno alimentar em um dado momento. Problemas de saúde mental com ramificações físicas graves, anorexia e bulimia são difíceis de tratar.

Os programas públicos de internação frequentemente não admitem pacientes até que estejam em condição de risco de vida, e muitos respondem mal à abordagem em grupo. As clínicas privadas costumam ter listas de espera épicas e custos altos: um quarto custa de US$ 305 a US$ 360 por dia.


Corinne lutou juntamente com seus pais contra a bulimia e anorexia por mais de cinco anos. Duffy e Terry, pais de Corinne, encontraram uma clínica na Virgínia. Hoje, aos 24 anos, ela é saudável e está cursando mestrado em Colorado. Ela e seus pais acreditam que a abordagem holística, o foco individualizado e a estrutura imersiva de seu tratamento foram fundamentais para sua recuperação.

Eles sabem que tinham acesso a recursos exclusivos. "Tivemos sorte", diz Duffy. "Podíamos pagar por tudo." Mas muitos não podem.
A luta desta família levou-os a refletir sobre o problema nos Estados Unidos. Em 2013, eles fundaram a Water Stone Clinic, um centro privado de transtornos alimentares em Toronto. Eles fazem yoga, terapia de arte e participam na preparação de refeições, construindo habilidades na vida real com uma equipe de apoio empática. Os programas funcionam nos dias da semana das 8h às 14h, e até agora, não tem lista de espera. Porém essa abordagem é onerosa: aproximadamente US$ 650 por dia.

A família criou a Fundação Water Stone - uma instituição de caridade que fornece ajuda a pacientes que não podem pagar o tratamento. Os candidatos são avaliados por dois comitês que tomam uma decisão baseada na necessidade clínica e financeira. David Choo Chong foi o primeiro a se beneficiar da fundação. Ele havia tentado muitos programas, mas nenhum foi bem sucedido. A fundação pagou metade do tratamento. Dois anos depois, Choo Chong, feliz e estável diz "Water Stone me ajudou a encontrar quem eu sou".

Pesquisar mais textos:

Roberta Darc

Título:Um caminho para curar o transtorno alimentar

Autor:Roberta Darc(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios