Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Beleza > Aloé Vera, a planta da beleza e da saúde

Aloé Vera, a planta da beleza e da saúde

Categoria: Beleza
Visitas: 8
Comentários: 13
Aloé Vera, a planta da beleza e da saúde

O Aloé é uma planta nativa de África, que cresce espontaneamente nos trópicos. É cultivado um pouco por todo o mundo, mas sobretudo na Índia ocidental e na zona costeira da Venezuela.

Detentor de uma história milenar, que inclui rainhas, faraós, imperadores, místicos e personagens bíblicas, o Aloé, não já visto como um deus, continua a ser admirado na sua beleza selvagem e proclamado como tratamento eficaz de saúde e beleza, quando ingerido ou em uso tópico, com aplicações tão difusas que podem ir de efeitos laxantes a tonicidade capilar, participando até em máscaras para tirar manchas da cara e em preparações para refrescar queimaduras superficiais.

O Aloé desinfecta e ajuda a cicatrizar as feridas, activa a circulação sanguínea (descongestionando as artérias da gordura em excesso e eliminando restos de cálcio, debelando placas de aterosclerose e, consequentemente, taquicardia, angina de peito, enfartes e tensão alta) e a linfática, as funções renais, hepáticas e biliares, e minora as dores reumáticas. No domínio da dermatologia, a sua acção compreende a seborreia, o herpes, o acne, a psoríase, eczemas e micoses. O Aloé Vera Barbadensis Miler, uma das únicas duas espécies que se prestam ao consumo humano, é aproveitado como bebida, regulando de forma extraordinária o trânsito intestinal, para além de ser energético, nutritivo, revigorante, digestivo e purificante.

Paralelamente, o Aloé Vera actua na inibição de dores musculares, ósseas, enxaqueca e artrose; em patologias respiratórias, como asma, bronquite, rinite, tuberculose e constipações; na luta contra a fadiga, o stress e a depressão, a diabetes, a anemia e a queda de cabelo; ajuda no tratamento de úlceras, gastrites e queimaduras; fortalece o sistema imunitário dos portadores do HIV; regenera as células, pelo que se aplica sobre cicatrizes; possuindo características anti-inflamatórias, é útil em golpes, entorses, artrite e picadas de insectos; por ser digestivo, alivia a azia, a flatulência, etcétera.

Existem, basicamente, dois produtos essenciais do Aloé Vera: o gel (que resulta da folha) e o aloés, logrado do sumo desidratado da folha. Estes dois produtos detêm empregos, contra-indicações e recomendações distintas.

O gel, por exemplo, não deve ser usado em cesarianas nem depois de cirurgia através laparoscopia, por estar provado em algumas pesquisas que atrasa o processo de cicatrização. No que respeita ao aloés, com atributos nomeadamente laxativos, a limitação de uso refere-se a casos de obstrução intestinal, moléstias inflamatórias (doença de Crohn, colite ulcerosa), hemorróidas, complicações renais, apendicite, dor abdominal de que não se conhece a proveniência, menstruação e crianças com menos de 12 anos. Aconselha-se ainda que não se utilize o aloés mais do que oito a dez dias seguidos sem consultar um médico e que não se recorra a ele durante a gravidez e a amamentação, nem em concomitância com o alcaçuz (raiz doce) ou com medicamentos para o coração, diuréticos e corticosteróides (por causa, sobretudo, da perda de potássio).

O Aloé Vera cresce em todo o lado, podendo ser criado num jardim ou num vaso. No sentido de beneficiar de todas as virtudes da planta, há que recorrer a um Aloé Vera com mais de três anos de vida.


Maria Bijóias

Título: Aloé Vera, a planta da beleza e da saúde

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 8

761 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 13 )    recentes

  • Teresa Maria Batista GilTeresa Maria Batista Gil

    03-10-2012 às 10:14:44

    Em especial o xarope de aloé vera, dos franciscanos do convento de Montariol é muito indicado para problemas digestivos, fígado, intestinos e pele.As curas de cancro realizadas no convento de Montariol, são muito conhecidas e há quem se desloque até ao convento para consultas e adquirir o xarope.

    ¬ Responder
  • Teresa Maria Batista GilTeresa Maria Batista Gil

    03-10-2012 às 10:11:44

    No Algarve há grandes plantações de aloé vera. Deste modo também há empresas que comercializam a planta em cosméticos faciais e corporais de grande qualidade.Eu pessoalmente já usei o creme de aloé vera para o rosto e corpo e acho que traz inúmeros benefícios.O suco ou xarope de aloé é muito bom para desintoxicar o organismo e pode curar até o cancro.

    ¬ Responder
  • Nilson EmpreendedorNilson Uemoto

    03-10-2012 às 05:58:01

    O suco de Aloé Vera tem inúmeros benefícios para a saúde e todos deveriam experimentar.A maneira mais comum de consumir a Aloé Vera é através de sucos que contém o gel da planta.Como muito bem exposto no título do texto, a Aloé Vera realmente é a planta da saúde e beleza.Já tomei durante um bom tempo o suco de Aloé Vera e nesse tempo notei uma boa melhora na pele e também muito mais disposição.

    ¬ Responder
  • Cristina SousaCristina Sousa

    29-09-2012 às 14:10:49

    Já li muitos artigos sobre as caraterísticas do cato Aloé Vera, tanto para fins cosméticos como para fins medicinais. A flor deste cato é muito bonita, bem como o próprio. Pois a minha mãe tem destes catos na casa dela. O efeito deste cato no jardim é bonito, porque não é um cato muito grande.

    ¬ Responder
  • Pedro gil FerreiraPedro gil Ferreira

    27-09-2012 às 18:17:10

    Normalmente tenho em casa uma planta alóé vera. è uma planta que dura muito é verdinha e refresca o ambiente.Mas, a importância do aloé é bem maior devid a ser considerada uma planta que cura.O gel da folha é bom para passar nas queimaduras, aliviando a dor e refrescando.Contudo esta planta dá para problemas internos e externos, e tem grande aplicação na cosmética.

    ¬ Responder
  • Nilson EmpreendedorNilson Uemoto

    27-09-2012 às 06:02:02

    Essa planta realmente é muito benéfica a saúde, tomei durante um bom tempo suco de Aloe Vera e sentia grandes benefícios como cicatrização de feridas mais rápido,melhora no sistema imunológico e circulatório, intestino funcionando como um relógio e muitos outros benefícios.Como tenho problemas de estomago, o suco me fazia muito bem diminuindo a má digestão e a sensação de estomago pesado

    ¬ Responder
  • Lucas SouzaLucas Souza

    25-09-2012 às 17:17:59

    Eu não conheço muito sobre produtos de beleza a ponto de saber exatamente a função que o Aloé Vera proporciona para a saúde. Mas, depois de ler esse texto pude entender melhor a sua importância, tanto na beleza quanto na saúde das pessoas. Já imaginava que essa substância fosse de tal importância, pois conheci um colega que fez um trabalho de conclusão de seu curso técnico em química sobre ele, muito interessante. Obrigado, boa escrita!

    ¬ Responder
  • Adriana SantosAdriana dos Santos da Silva

    24-09-2012 às 14:53:21

    Não conhecia os benefícios que a planta Aloé Vera proporciona para nós. Tanto na beleza quanto na saúde, ela é de muita importância, isso pude ver em seus textos excelentes. Eu só conhecia em produtos de shampoo, tintura, e demais produtos, mas dessa forma é a primeira vez. Ela é uma planta de grande utilidade, de alta performance, devemos apostar nela e garantir uma maior beleza em nós! Muito bom seu texto, pude conhecer melhor.

    ¬ Responder
  • Teresa Maria Batista GilTeresa Maria Batista Gil

    24-09-2012 às 14:40:33

    O leitor concorda que o aloé vera é a planta dos milagres?. Com efeito ele assim é designado por muitos.Senão vejamos: ele aplica-se em xaropes, em perfumes, em cosméticos faciais e corporais,produtos capilares, gel e comprimidos.Nas queimaduras o gel da folha´traz resultados surpreendentes, para não dizer autênticos milagres.

    ¬ Responder
  • Carla HortaCarla Horta

    23-09-2012 às 20:32:04

    Muitos são os produtos que se baseiam e utilizam aloé vera. Os seus benefícios são inúmeros e vastos e até o aroma é perfeito. Um bom texto este, bastante informativo e bastante acessível de compreensão. Parabéns mais uma vez pelas informações importantes.

    ¬ Responder
  • Sofia NunesSofia Nunes

    23-09-2012 às 14:01:07

    Os cremes feitos a partir da planta do Aloé Vera são imensamente benéficos para a pele, tendo efeitos a vários níveis (não só ao nível das queimaduras, como muitos tendem a pensar). Conhecia, de facto, os seus efeitos estéticos, uma vez que tem potentes efeitos regeneradores. Porém, só com o seu texto aprendi que também comporta vantagens ao nível da saúde no sentido mais estrito. Foi uma completa surpresa descobrir que pode reduzir o stress.

    ¬ Responder
  • Gabriela TorresGabriela Torres

    23-09-2012 às 00:30:38

    Aloé Vera,é uma planta que encontramos em vários lugares.Desde remédios a hidratantes corporais.Ela tem várias qualidades,que são muito bem aproveitadas tanto na indústria de remédios como a indústria da beleza.

    ¬ Responder
  • Quinta de Santo Antónioalegria ale g

    22-04-2012 às 17:16:27

    gostei

    ¬ Responder

Comentários - Aloé Vera, a planta da beleza e da saúde

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os descendentes de Eça

Ler próximo texto...

Tema: Literatura
Os descendentes de Eça\"Rua
Recentemente, por via da comunicação social, soubemos da entrega do prémio Leya, a um trineto de Eça de Queirós. Julgo que bastou essa noticia, para que todos ficássemos curiosos sobre os seus descendentes…esse mistério, como o Mistério da Estrada de Sintra, começou a adensar-se entre quem se interessa por estas coisas da literatura e da genealogia…então aqui deixo algumas notas que poderão ser importantes para quiçá, um dia, um qualquer jornalista, ou editor, se lembre, de conseguir reunir todos os seus descendentes vivos e se tire uma fotografia de família.

José Maria Eça de Queirós, escritor pródigo da nossa nação, contraiu matrimónio em 1886, com Emília de Castro Pamplona Resende, condessa de Resende, deixando à data de sua morte, em Paris, quatro filhos como seus descendentes e herdeiros diretos; foram eles António Eça de Queirós, Maria Eça de Queirós, Alberto Eça de Queirós e José Maria Eça de Queirós; portanto três meninos e uma menina.
Através do site Geneall.net, foi possível perceber as linhas genealógicas que se seguiram aos seus filhos. No entanto, nem todos os nomes dos seus bisnetos e trinetos estão aí presentes, com certeza por motivos de ordem pessoal, de resguardo da privacidade, motivos que não podemos questionar. Porém, é possível, pelo menos determinar a existência desses membros da família queirosiana.

De antemão sabemos que não houve descendência por parte de dois dos seus filhos, António Eça de Queirós e de Alberto Eça de Queirós.
Maria Eça de Queirós teve dois filhos, uma menina e um menino, porém a menina morreu muito nova, ficando apenas o menino, de seu nome Manuel Pedro Benedito de Castro, que mais tarde casou com Maria da Graça Salema de Castro, a mulher que se tornou a primeira diretora da Fundação Eça de Queirós, na casa de Tormes, pertença da família da esposa de Eça de Queirós. Como Manuel Pedro Benedito de Castro não teve filhos, sabemos que por este ramo, terminou a descendência do escritor.

Convém, entretanto, acrescentar aqui uma curiosidade. Depois do regresso a Portugal da viúva de Eça, ela e os filhos, foram residir para a casa da Granja, pertencente à família de Sophia de Mello Breyner. Inicialmente como esta casa costumava ser arrendada pela família de Sophia, Emília de Castro, arrendou-a, vindo a compra-la uns anos depois. Portanto, é aqui nesta casa que ela cria os seus filhos, e é onde, José Maria Eça de Queirós, um dos seus filhos, permanece após a sua morte, tendo criado aqui os seus filhos e netos, e tendo aqui também falecido.

Podemos então seguramente afirmar que a sua grande linha de descendência parte do seu filho, com o mesmo nome, José Maria Eça de Queirós, que teve também ele, atente-se à curiosidade, quatro filhos, neste caso, ao inverso, um menino, e três meninas, respetivamente de seus nomes, Manuel Eça de Queirós, Maria das Dores Eça de Queirós, Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós e Emília Maria de Castro Eça de Queirós. Esta ultima, Emília, teve ao que consta nove filhos, sendo que um deles, Afonso Maria Eça de Queirós Cabral, é quem atualmente preside à Fundação acima citada, depois da morte da primeira presidente, referida atrás, Maria da Graça Salema de Castro.

Manuel Eça de Queirós por sua vez teve seis filhos, Maria das Dores Eça de Queirós teve três filhos, e Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós, dois filhos. Somados, contabilizamos vinte, os bisnetos do famoso escritor. Seria interessante avançar um pouco mais nos ramos genealógicos e aflorar quem são ou pelo menos, quantos são os trinetos e tetranetos de Eça, por conseguinte fica aqui o desafio, pois é certo que porventura alguns destes descendentes não se conhecem, e nunca terão trocado qualquer impressão sobre o seu ascendente, para uns, bisavô, para outros trisavô, e ainda para outros, tetravô.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Os descendentes de Eça

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios