Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Beleza > O reflexo da beleza

O reflexo da beleza

Categoria: Beleza
O reflexo da beleza

A beleza constitui um tema por vezes polémico, não só porque os gostos são subjectivos e raramente geram consenso, como pelo facto de para uns representar uma prioridade à qual vale a pena subjugar recursos e disponibilidade, e no entender de outros não passar de mera vaidade e pura perca de tempo.

Normalmente os extremos neste campo são demarcados pela dicotomia homem / mulher.
Enquanto elas adoram passar tardes, para não dizer dias inteiros, num centro comercial e “babam” para tudo o que é roupa e sapatos que lhes agradem, assim como malas e toda a espécie de acessórios, eles perdem a paciência no carro ou a dar voltas sem fim às imediações não mercantis que conseguirem encontrar. Há quem se alargue tanto na despesa efectuada, que um tal volume de negócio quase dispensaria as diversas entidades mundiais de terem de cortar nos juros para tentar o equilíbrio em época de crise; bastaria organizar uma excursão de meia dúzia destas pessoas às grandes capitais do consumo!...

Naturalmente que o veredicto final das compras será sempre dado pelo espelho, umas vezes simpático e aliado, noutras ocasiões reles inimigo. Não obstante, ele é, certamente, o espectador mais pachorrento de acessos de euforia, quando devolve ou até excede as expectativas, e de crises de choro compulsivo, naqueles momentos em que a verdade mais dói. Para verificar se o seu espelho goza de boa saúde, é só ver se ele tem os reflexos em dia…

São muitos os recursos que o mercado oferece àqueles que desejam ficar mais belos.
Contrariando a tendência de até recentemente, na actualidade constata-se que um crescente número de homens manifesta preocupação com a sua imagem, lançando mão de um conjunto de iniciativas que os façam sentir melhor na sua própria pele.
Efectivamente, os metrossexuais vão engrossando o rol de potenciais consumidores de produtos de beleza, incluindo maquilhagem. Neste domínio existe um vasto espectro de tonalidades, consistências, durabilidade e preços. É claro que as carteiras não logram todas dos mesmos rendimentos, pelo que diante de eventuais dificuldades há que apelar à criatividade, como se fazia no decurso da Segunda Guerra Mundial, em que se recorria à fuligem para fazer de eyeliner e ao sumo de beterraba para servir de rouge e batom. Pelo menos, devia ser agradável lambê-lo…

Independentemente da hipotética disparidade que possa haver entre o que se desejava embelezar e o realmente possível, o mais importante é não maquilhar valores, princípios, propósitos, trilhos esboçados. A beleza requer, como premissa essencial, um fundo sólido onde possa assentar…



Maria Bijóias

Título: O reflexo da beleza

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 0

623 

Comentários - O reflexo da beleza

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios