Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Alimentação > Beba água: combata a desidratação!

Beba água: combata a desidratação!

Categoria: Alimentação
Comentários: 1
Beba água: combata a desidratação!

A água é o maior constituinte do organismo humano, variando a sua percentagem em função da quantidade de massa muscular e de tecido adiposo. O tecido muscular é o que comporta as células com maior concentração de água. O peso corporal de um homem tem à volta de 54 por cento de água e o das mulheres ostenta um valor próximo dos 49 por cento.

A importância da água é extrema, uma vez que todo o nosso metabolismo tem como base mecanismos reactivos que se processam em soluções aquosas. Ela transporta nutrientes e elimina produtos tóxicos provenientes da actividade do nosso corpo.

Perdemos, diariamente, água pela urina, pelas fezes, pelo suor e pelo ar que sai dos pulmões, num total de cerca de dois litros. Esta perda tem de ser reposta, sob pena de se entrar em desidratação. Para tal, é preciso ingerir, directa e indirectamente (através de alimentos e outros líquidos – fruta, legumes, iogurtes, leite, sumos), pelo menos, tanta água como a que se perde.

Morre-se mais depressa ficando sem beber do que sem comer. É possível sobreviver algumas semanas sem comida, mas poucos dias sem água. De facto, o desequilíbrio do balanço hídrico pode revelar-se um problema muito grave e até fatal. Normalmente, a sede aparece como o primeiro sintoma de desidratação, avançando-se rapidamente para situações mais preocupantes, que englobam náuseas, comprometimento do desempenho físico, dificuldade em manter a temperatura do corpo estável e de concentração, e diminuição do rendimento laboral. Em estados mais severos, a desidratação é passível de desencadear fraqueza, espasmos musculares e mesmo delírio. Com uma perda de água que ronde os 11 por cento do peso corporal é provável que ocorram falhas na função renal e com 20 por cento a morte pode ser o desfecho.

Ante circunstâncias que fomentem a desidratação (prática de desporto, temperaturas altas, altitudes elevadas, diarreia ou vómitos, ambientes de reduzida humidade) deve incrementar-se a ingestão de líquidos, mormente água. Como em tudo, «mais vale prevenir do que remediar»!

No Verão, há que beber muita água ao longo do dia (entre 1,5 e três litros). Convém ter em atenção que as bebidas alcoólicas desidratam e que as bebidas açucaradas não são eficazes para hidratar. Utilizar roupas pouco apertadas e de cores claras nos dias mais quentes ajuda a não transpirar tanto e, consequentemente, a perder menos líquidos. As crianças e os idosos têm necessidades acrescidas, pelo que se recomenda oferecer-lhes água várias vezes ao dia.

Mantenha-se especialmente atento (a) aos sinais de desidratação: dores de cabeça, pele áspera e seca, cansaço, dores musculares e articulares, prisão de ventre, boca e lábios secos, urina pouco abundante e com cor e cheiro intensos. Na dúvida, afogue a desidratação!



Maria Bijóias

Título: Beba água: combata a desidratação!

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 0

650 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • williamwilliam

    29-08-2009 às 17:44:31

    quero uma coisa que fale sobre o funcionamentoO da desidrataçao no organismo de uma pessoa...
    e ate agora nao achei..

    ¬ Responder

Comentários - Beba água: combata a desidratação!

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios