Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Alimentação > A Verdade Por Detrás Das Dietas!

A Verdade Por Detrás Das Dietas!

Categoria: Alimentação
Visitas: 12
A Verdade Por Detrás Das Dietas!

Fazer uma dieta equilibrada e manter um peso saudável nem sempre é tão fácil como parece, pois a resposta do organismo varia de pessoa para pessoa.

Tal como por optar por uma dieta relâmpago às vezes não é resposta para perder peso nem ficar em forma por longo tempo.

Há muita gente que ainda pensa que as dietas servem só para perder peso, contudo há vários motivos para seguir um regime alimentar, que vise a saude do organismo em geral ou específicamente a alguma doença.

Há por exemplo as dietas de desintoxicação, que se tornaram bem populares, cujo objetivo é remover toxinas e outras substâncias nocivas, ingerindo apenas água, vegetais e frutas, para deste modo purgar o corpo.

Neste caso, a perda de peso é uma consequência possível, mas não o seu objetivo principal.

Na verdade, as dietas funcionam das mais diferentes formas, consoante o objetivo de cada uma.

Por exemplo, uma dieta normal de perda de peso ou controlo, focar-se-á apenas em baixar a ingestão calórica para um nível mais baixo e apropriado, abaixo das necessidades diárias do indivíduo, o que naturalmente fará o corpo a usar as reservas de gordura que tem.

Com efeito, uma dieta específica elaborada, únicamente para um doente com ataques cardíacos, por exemplo, deverá ser rigorosamente planeada, a fim de garantir que os níveis de colestrol e gordura sejam baixos, para reduzir o risco de mais complicações cardíacas.

Em suma, o principal problema de muitas dietas rápidas e talvez populares é que tendem a ignorar o fato de que é importante fazer uma dieta equilibrada, que englobe todos os grupos alimentares, mas com moderação.
Considera-se que "uma alimentação inteligente", a par do equilibrio de grupos alimentares, e da "moderação", são cruciais para garantir o bem-estar do organismo.

Esta premissa, aliada a uma energia óptima para o bom funcionamento do corpo, bem como as vitaminas e minerais essenciais para a sua manutençao e regeneração celular, são o suficiente.

Mas, se o indivíduo não seguir uma dieta equilibrada e omita grupos alimentares vitais,ou não receba a quantidades suficientes de nutrientes, arrisca-se a contraír uma série de doenças.

A falta de algumas vitaminas são bastante prejudiciais, como por exemplo a vitamina C, que causa ainda hoje o escorbuto, gripes e diminuição das defesas.

Os vegetais, frutas e legumes são importantes mas há alimentos que são considerados " maus", ou seja, os altamente processados em açúcares refinados, os ricos em gorduras (nomeadamente trans) e os alimentos pobres em vitaminas e minerais. Estes porêm tendem a ser mais baratos e são um dos motivos crescentes para desenvolver a obesidade.

Do mesmo modo, podemos referir como alimentos "bons", o pão integral, alguns frutos e legumes. Contudo, a maior parte das vezes são ingeridos em quantidades excessivas.

A mestria de uma dieta, está pois em saber escolher os alimentos, na justa proporção, variedade e apenas a quantidade necessária.

O seu excesso, provoca involuntáriamente um acúmulo de peso, obesidade e toda a espécie de doenças, associadas à quantidade.


Pedro gil Ferreira

Título: A Verdade Por Detrás Das Dietas!

Autor: Pedro gil Ferreira (todos os textos)

Visitas: 12

602 

Comentários - A Verdade Por Detrás Das Dietas!

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios