Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Alimentação > Roda dos Alimentos e alimentação moderna

Roda dos Alimentos e alimentação moderna

Categoria: Alimentação
Visitas: 20
Comentários: 1
Roda dos Alimentos e alimentação moderna

Nem em todos os aspectos da vida modernização é sinónimo de progresso. Isto é especialmente válido para a alimentação hodierna que, embora poupe tempo e trabalho, agride sobremaneira a saúde dos indivíduos. Perdem-se bons hábitos em nome das melhorias socioeconómicas e permitem-se alterações alimentares que podem custar, em última análise, a própria qualidade de vida.

A publicidade, audaciosa, agressiva, apelativa, acena com novos sabores, uma escolha variada, pretensas vantagens dos produtos, facilidades e, por vezes, falsos benefícios nutricionais. Todavia, a verdade é que se assiste, de uma forma assustadoramente crescente, a dietas deficientes em frutos, hortícolas e leguminosas secas e ricas em gorduras e proteínas.

Para filtrar e confirmar a informação que lhe é fornecida, o consumidor tem de estar bastante vigilante, ser crítico e, sempre que lhe restem dúvidas, tirá-las junto de um profissional credenciado. Esclarecido, ele será, com toda a certeza, mais exigente relativamente ao que escolhe e ingere, e estará mais preparado para enveredar por uma alimentação saudável, com a consequente diminuição do risco de vir a padecer de enfermidades evitáveis ou, pelo menos, adiáveis.

A Roda dos Alimentos está dividida em sete grupos. São todos fundamentais à saúde, embora em proporções variáveis, pelo que o tamanho das “fatias” difere. A água encontra-se no centro por ser um elemento comum a todos os grupos, e deve ingerir-se entre 1,5 a três litros por dia. Os cereais, derivados e tubérculos consubstanciam a categoria da qual se aconselha comer mais porções. Seguem-se os hortícolas, a fruta, o leite e os lacticínios, carne, peixe e ovos, as leguminosas e, finalmente, as gorduras e os óleos. A base de uma alimentação saudável assenta nos hortícolas, nos frutos, nos cereais e nas leguminosas, dada a sua riqueza em fibras, vitaminas e sais minerais.

Não obstante, os vegetarianos também deverão ter atenção à quantidade de gordura presente nos seus pratos, sobretudo quando estes incluam queijo, óleo ou molhos cremosos.

A manteiga e a margarina contêm tipos de gordura diferentes, mas em quantidades idênticas, pelo que a sua utilização deverá ser moderada. E, ao contrário do que se pensa, o sumo de limão (boa fonte de vitamina C) não dissolve a gordura em alimentos gordos. Para a eliminar, só removendo-a efectivamente ou seleccionando carne mais magra.

Existem alimentos processados pertencentes a todos os grupos alimentares. Contudo, é preciso cuidado com os aditivos, passíveis de lhes provocarem transformações. Assim, uns são abundantes em proteínas, outros em hidratos de carbono e há-os, igualmente, fartos em gordura.



Maria Bijóias

Título: Roda dos Alimentos e alimentação moderna

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 20

803 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • isabela

    02-07-2013 às 12:37:18

    o texto fala bobre olimento pessoau



    ¬ Responder

Comentários - Roda dos Alimentos e alimentação moderna

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios