Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Diga não ao sedentarismo

Diga não ao sedentarismo

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Saúde
Comentários: 3
Diga não ao sedentarismo

O sedentarismo assume-se, cada vez mais, como a doença da modernidade, com graves implicações para a saúde dos afetados, devido ao aumento das condições de conforto, de entretenimento e de lazer áudio e vídeo. Estima-se que cerca de 70% da população mundial seja sedentária e, como tal, esteja altamente predisposta a contrair doenças não contagiosas como diabetes, hipertensão, obesidade e cancro. Uma tal epidemia obriga, com carácter urgente, à alteração da forma contemporânea como se encara o exercício físico – é absolutamente necessário (tal como o é a alimentação ou a respiração) e não opcional.

É no trabalho e em casa que o sedentarismo se verifica e instala, mais entre os homens do que entre as mulheres, por motivos que se prendem com a divisão tradicional das tarefas: as mulheres, ainda hoje, são as fadas do lar e, como tal, acabam por combater mais o sedentarismo, pois passam parte do dia de pé, movimentando-se, a realizar tarefas como lavar louça, varrer, passar a ferro, etc. Os homens acabam por ceder mais às tentações do sofá, já que a televisão, o vídeo, a consola de jogos e, ultimamente, a televisão digital, surgem como tentações transponíveis apenas pela força de vontade.

E é mesmo aqui que reside a solução: mudar um mau hábito implica apenas uma dose moderada de força de vontade e a certeza de que, se não mudar, irá estar a comprometer seriamente a sua sobrevivência a longo prazo. As mudanças podem verificar-se nos seguintes aspetos: dedique 30 minutos do seu dia à prática exclusiva de exercício físico. Inicialmente, deverá encetar caminhadas que, progressivamente, se tornarão mais longas. Depois, poderá começar a correr, devagar. E vá, se assim o desejar, aumentando o ritmo, sempre de forma gradual e ouvindo o seu corpo – se se sentir mal ou demasiado cansado, reduza a atividade física. Outras alternativas passam pelo uso do elevador em detrimento das escadas, por evitar do uso de escadas rolantes ou do carro para deslocações curtas, por assumir tarefas domésticas – que acabam por se tornar agradáveis –, por encurtar o tempo dispendido em frente ao computador ou à TV, por estacionar o carro mais longe do que o habitual, por programar mais passeios ao ar livre, por utilizar a praia preferencialmente para fazer caminhadas e não para dormir, por passear mais com o seu cachorro e, finalmente, por adquirir um podómetro que lhe permitirá saber se deu, num dia, pelo menos 10 000 passos, a quantidade recomendada em média para uma pessoa saudável.

Já sabe: ponha-se a mexer e melhore consideravelmente a sua saúde, a médio e longo prazo!

Isabel Rodrigues

Título: Diga não ao sedentarismo

Autor: Isabel Rodrigues (todos os textos)

Visitas: 0

636 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 3 )    recentes

  • Briana AlvesBriana

    25-07-2014 às 03:02:53

    O sedentarismo é um mal que se a gente deixar - vira um hábito horrível! Espero que eu largue logo meu sedentarismo praticando atividade física como a caminhada. Também quero dizer "não" ao sedentarismo.

    ¬ Responder
  • nelson

    02-10-2012 às 08:49:06

    peco pra me enviarem um artigo de muitas paginas com o titulo o sedentarismo e suas implicacoes. agradecia o grande favor

    ¬ Responder
  • sabrinasabrina

    01-12-2009 às 12:06:37

    Acheii super interessante...Quandoo busqueii o que era sedentarismo..se nao fosse o trabalho escolar de educação fisica que estou fazendoo nem saberia o que era isto...eñtão espero que todos que leiam este artigoo saibam o quantooo ele e importante para todos nos..by:Biiná

    ¬ Responder

Comentários - Diga não ao sedentarismo

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Informática
Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?\"Rua
Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Bom, Não é de hoje que tecnologia vem surpreendendo a todos nós com grandes revoluções e os custos que diminuem cada vez mais.
Hoje em dia é comum ver crianças com smarthphones com tecnologia que a 10 anos atrás nem o celular mais moderno e caro do mercado tinha.
Com isso surgiram sugiram vários profetas da tecnologia e visionários, tentando prever qual será o próximo passo.

E os filmes retratam bem esse tema e usam essa formula que atrai a curiosidade das pessoas.
Exemplos:

Minority report - A nova lei de 2002 (Imagem)

Transcendence de 2014

Em Transcendence um tema mais conspiratório, onde um ser humano transcende a uma consciência artificial e assim se torna imortal e com infinita capacidade de aprendizagem.
Vale a pena ver tanto um quanto o outro filme. Algumas tecnologias de Minority Report, como utilizar computadores com as mãos (caso do kinect do Xbox 360 e One) e carros dirigidos automaticamente, já parecem bem mais próximo do que as tecnologias vistas em Transcendence, pois o foco principal do mesmo ainda é um tema que a humanidade engatinha, que é o cérebro humano, a máquina mais complexa conhecida até o momento.

Eu particularmente, acredito que em alguns anos teremos realmente, carros pilotados automaticamente, devido ao investimento de gigantes como o Google e o Baidu nessa tecnologia.

Também acho que o inicio da colonização de Marte, vai trazer grandes conquistas para humanidade, porém grandes desafios, desafios esses que vão nos obrigar a evoluir rapidamente nossa tecnologia e nossa forma de encarar a exploração espacial, não como um gasto, mas sim como um investimento necessário a toda humanidade e a perpetuação da sua existência.

A única salvação verdadeira para humanidade e para o planeta terra, é que seja possível o ser humano habitar outros planetas, seja localizando planetas parecidos com a terra ou mudando planetas sem condições para a vida em planetas habitáveis e isso só será possível com gente morando nesses planetas, como será o caso do Marte. O ser humano com a sua engenhosidade, aprendeu a mudar o ambiente a sua volta e assim deixou de ser nômade e da mesma forma teremos que aprender a mudar os mundos, sistemas, galáxias e o universo a nossa volta.

Espero que tenham gostado do meu primeiro texto.
Obrigado à todos!
Até a Próxima!


Pesquisar mais textos:

Érico da Silva Kaercher

Título:Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Autor:Érico da Kaercher(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios