Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Combata o colesterol

Combata o colesterol

Categoria: Saúde
Visitas: 4
Comentários: 3
Combata o colesterol

O colesterol é uma gordura (ou lípido) que existe no sangue e em todas as células do organismo. O colesterol é necessário para a produção de hormonas e vitaminas, constituição das células, funcionamento do sistema nervoso e formação de bílis. Em suma, ele é indispensável à vida.

A maior parte do colesterol é fabricado pelo fígado (cerca de 75 por cento), outra parte vem dos alimentos que ingerimos, como a manteiga, natas, queijo, banha, carne gorda, gema de ovo e o marisco. O colesterol é transportado no sangue por lipoproteínas (gordura e proteína), sendo as principais a LDL e a HDL.

O colesterol LDL, ou “mau colesterol” em grande quantidade no sangue pode levar à formação de placas de aterosclerose, enquanto o HDL, ou “bom colesterol” é mais benéfico, porque permite a eliminação do colesterol em excesso das artérias e o leva de volta para o fígado. Quando nas análises de sangue se mede o colesterol total, o valor inclui a soma do HDL e do LDL.

Os problemas de colesterol afectam pessoas com incapacidade de expulsar de modo correcto o colesterol em excesso, indivíduos que, devido a um mau funcionamento do fígado, produzem demasiado colesterol e aqueles que ingerem sem moderação alimentos ricos em colesterol ou em gorduras saturadas. Seja qual for o caso, o exagero de colesterol não utilizado passa para o sangue e, pouco a pouco, vai aderindo às artérias e veias, fazendo-as perder elasticidade e diminuir de diâmetro. Forma as referidas placas e o resultado pode ser fatal: um bloqueio total da circulação do sangue. A arteriosclerose mata milhares de pessoas todos os anos, mais do que todas as formas de cancro juntas.

O melhor remédio antes dos medicamentos no combate ao colesterol é muito simples, eficaz e comum a diversas patologias: exercício físico e alimentação equilibrada.

Assim, há que evitar as gorduras saturadas e o colesterol: gorduras animais, óleo de côco ou de palma. Por outro lado, centrar a dieta em produtos como os legumes, peixe (que se deve ingerir, pelo menos, quatro vezes por semana, por ser rico em ácidos gordos ómega 3, que protegem do colesterol), aves (três vezes por semana e sem pele), queijo baixo em gorduras (máximo 250 g semanalmente), fruta fresca (rica em fibras e vitaminas; duas peças por dia), cereais (como a aveia), sumos naturais sem açúcar, vegetais, pão integral, massa, arroz, batatas e azeite (rico em gorduras mono-insaturadas), leite magro (ou de soja). O feijão, a aveia e as maçãs têm muitas fibras que ajudam a diminuir o colesterol (mínimo de sete doses por semana).

De evitar ainda o marisco, o caviar, iogurtes com sabores, gelados, pudins, bebidas que contenham leite, natas, leite-creme, molhos com leite, batatas fritas, molhos de ovos ou queijo, chocolate e produtos de pastelaria.

A dieta alimentar deve ser complementada com exercícios aeróbicos – caminhar, correr, nadar, andar de bicicleta – (que fazem aumentar o colesterol HDL - protegendo de doenças cardiovasculares - e diminuem os triglicéridos), três vezes por semana, 20 a 30 minutos. No entanto, este plano de actividade física NUNCA deverá ser iniciado sem uma revisão médica preliminar, mormente quando se esteja diante de fumadores, antecedentes familiares de ataques cardíacos, hipertensão, diabetes do tipo I, sedentarismo, problemas cardíacos.



Maria Bijóias

Título: Combata o colesterol

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 4

762 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 3 )    recentes

  • Rafaela CoronelRafaela

    12-08-2014 às 22:24:17

    Achei bem interessante essa questão do colesterol. Penso que a vida é tão curta para nos preocuparmos com doenças e devemos cuidar muito de nossa saúde, principalmente, exercitando-se! A alimentação sadia é a chave para ter uma vida mais prolongada.

    ¬ Responder
  • joao marramaquejoao marramaque

    18-02-2010 às 23:31:42

    Relativamente ao consumo de marisco, os estudos não são consensuais, havendo mesmo alguns que dizem precisamente o contraro. De qualquer forma isto do marisco é uma falta questão não pelo mal que faz, mas pelo crise económica, lol.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãocatarina

    12-10-2009 às 21:32:41

    gostei muito deste artigo, está bem desenvolvido e muito bem organizado.

    ¬ Responder

Comentários - Combata o colesterol

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os descendentes de Eça

Ler próximo texto...

Tema: Literatura
Os descendentes de Eça\"Rua
Recentemente, por via da comunicação social, soubemos da entrega do prémio Leya, a um trineto de Eça de Queirós. Julgo que bastou essa noticia, para que todos ficássemos curiosos sobre os seus descendentes…esse mistério, como o Mistério da Estrada de Sintra, começou a adensar-se entre quem se interessa por estas coisas da literatura e da genealogia…então aqui deixo algumas notas que poderão ser importantes para quiçá, um dia, um qualquer jornalista, ou editor, se lembre, de conseguir reunir todos os seus descendentes vivos e se tire uma fotografia de família.

José Maria Eça de Queirós, escritor pródigo da nossa nação, contraiu matrimónio em 1886, com Emília de Castro Pamplona Resende, condessa de Resende, deixando à data de sua morte, em Paris, quatro filhos como seus descendentes e herdeiros diretos; foram eles António Eça de Queirós, Maria Eça de Queirós, Alberto Eça de Queirós e José Maria Eça de Queirós; portanto três meninos e uma menina.
Através do site Geneall.net, foi possível perceber as linhas genealógicas que se seguiram aos seus filhos. No entanto, nem todos os nomes dos seus bisnetos e trinetos estão aí presentes, com certeza por motivos de ordem pessoal, de resguardo da privacidade, motivos que não podemos questionar. Porém, é possível, pelo menos determinar a existência desses membros da família queirosiana.

De antemão sabemos que não houve descendência por parte de dois dos seus filhos, António Eça de Queirós e de Alberto Eça de Queirós.
Maria Eça de Queirós teve dois filhos, uma menina e um menino, porém a menina morreu muito nova, ficando apenas o menino, de seu nome Manuel Pedro Benedito de Castro, que mais tarde casou com Maria da Graça Salema de Castro, a mulher que se tornou a primeira diretora da Fundação Eça de Queirós, na casa de Tormes, pertença da família da esposa de Eça de Queirós. Como Manuel Pedro Benedito de Castro não teve filhos, sabemos que por este ramo, terminou a descendência do escritor.

Convém, entretanto, acrescentar aqui uma curiosidade. Depois do regresso a Portugal da viúva de Eça, ela e os filhos, foram residir para a casa da Granja, pertencente à família de Sophia de Mello Breyner. Inicialmente como esta casa costumava ser arrendada pela família de Sophia, Emília de Castro, arrendou-a, vindo a compra-la uns anos depois. Portanto, é aqui nesta casa que ela cria os seus filhos, e é onde, José Maria Eça de Queirós, um dos seus filhos, permanece após a sua morte, tendo criado aqui os seus filhos e netos, e tendo aqui também falecido.

Podemos então seguramente afirmar que a sua grande linha de descendência parte do seu filho, com o mesmo nome, José Maria Eça de Queirós, que teve também ele, atente-se à curiosidade, quatro filhos, neste caso, ao inverso, um menino, e três meninas, respetivamente de seus nomes, Manuel Eça de Queirós, Maria das Dores Eça de Queirós, Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós e Emília Maria de Castro Eça de Queirós. Esta ultima, Emília, teve ao que consta nove filhos, sendo que um deles, Afonso Maria Eça de Queirós Cabral, é quem atualmente preside à Fundação acima citada, depois da morte da primeira presidente, referida atrás, Maria da Graça Salema de Castro.

Manuel Eça de Queirós por sua vez teve seis filhos, Maria das Dores Eça de Queirós teve três filhos, e Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós, dois filhos. Somados, contabilizamos vinte, os bisnetos do famoso escritor. Seria interessante avançar um pouco mais nos ramos genealógicos e aflorar quem são ou pelo menos, quantos são os trinetos e tetranetos de Eça, por conseguinte fica aqui o desafio, pois é certo que porventura alguns destes descendentes não se conhecem, e nunca terão trocado qualquer impressão sobre o seu ascendente, para uns, bisavô, para outros trisavô, e ainda para outros, tetravô.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Os descendentes de Eça

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios