Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Música > Como sobreviver a uma sociedade de consumo

Como sobreviver a uma sociedade de consumo

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Música
Comentários: 3
Como sobreviver a uma sociedade de consumo

Se a vontade fosse mais forte que o desejo podias sair nesta mesma estação, longe do rebuliço e das ofertas mirabolantes que apenas te esvaziam a carteira.

Claro, não compras, não desfrutas, já sabes que as consequências são sempre fatais, como a mulher que amas.

Penso que ficaria mal falar em homens fatais, é que teria de imaginá-los como a Jessica Rabbit e ela é única dentro dos seus sensuais pixeis que agradam tanto a miúdos e graúdos, aproveitas e procuras pelo dvd, pode ser que haja alguma edição especial com doze discos cheios de extras. Passas por uma loja de eletrodomésticos e aquela televisão ficava mesmo a matar lá na sala, só que tens de arranjar as unhas, o cabelo e as tuas amigas esperam-te.

Espera, desviei-me do assunto, mas o problema das sociedades de consumo são isso mesmo, a panóplia de cores e sabores, aromas e odores desviam-te tudo do devido sítio e acabas por nem ter vontade própria.

Voltando à estação, há um pequeno centro comercial, mas isso já tu sabias, está-te no sangue buscar sítios desses, com escadas para subir e descer, títulos apelativos de gente conhecida, algo que gostarias de ser, mas que não podes, não foi para isso que nasceste.




De tempos a tempos dizem-te que pertencer a uma sociedade dessas é um pecado, que és culpado dos teus atos tresloucados de gastar dinheiro em coisas supérfluas, de tal maneira que nem ficas com dinheiro para pagar as contas do costume. Espera, para isso há aquele cartaz com um menino de África, a morrer de fome e com um olhar suplicante. Pensas na sorte que tens, continuas o teu caminho, sem nada fazer, apenas pensando que és um filho de Deus com o menino, apenas mais afortunado.

Pensaste no menino, porventura já comido pelas moscas, dás graças tua pela sorte e segues caminho. Já te sentes bem e a sociedade de consumo agradece isso mesmo, deu-te as aparências, fez-te sentir culpado, para te lembrar a humanidade que te habita mas agora é tempo de a sustentares.

Para sobreviveres aos teus hábitos bastaria pensar pela tua cabeça, ou então segues os conselhos dos teus verdadeiros donos e baixas a cabeça, culpabilizas-te com a crise e aceitas o castigo, algo cíclico mas que não imaginarias que te tocasse no plo.

Então que esperas que te diga? Também gosto de ir cortar o cabelo embora não ligue assim tanto às unhas, e a Jessica Rabbit é possível que apareça por aí numa qualquer edição especial com o seu coelho a explicarem como foi fazerem o filme naquela altura. Espera... mas eles são apenas produto de uma sociedade de consumo e agora é pecado sequer gostar disso.


António Borges

Título: Como sobreviver a uma sociedade de consumo

Autor: António Borges (todos os textos)

Visitas: 0

601 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 3 )    recentes

  • SophiaSophia

    13-05-2014 às 20:02:25

    A cada dia está a aumentar o consumismo em nossa sociedade. Mesmo com tantas crises, desperdícios, o consumo ainda se encontra fortemente enlaçado em muitas pessoas. Agora, até nas crianças isso já é evidente, o que nos deixa tristes e preocupadas.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoDomingues

    06-09-2012 às 17:25:22

    Gostei do que li aqui, retrata de um modo geral o que na verdade somos todos, uma maquina que trabalha com o consumo tresloucado de coisas que servem para nada a não ser encher as nossas mãos de sacos para poder passar no shopping e disser EU COMPREI...
    Mas é como tudo, uns sãos mais que outros e então as mulheres com os seus brincos, perfumes e sapatos são demais.
    Deixo aqui o desafio de o ver a escrever mais textos como os que tem escrito por aqui.
    Abraço e até breve

    ¬ Responder
  • António BorgesAntónio Borges

    15-09-2012 às 01:06:40

    Caro Domingues, agradeço a visita e os elogios. Seguramente voltarei para escrever muitos mais textos, é algo que gosto muito de fazer!

    Abraço e volte sempre!

    ¬ Responder

Comentários - Como sobreviver a uma sociedade de consumo

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como fazer disfarces de Carnaval

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Vestuário
Como fazer disfarces de Carnaval\"Rua
O ano começa e depressa chega uma data muito ansiada principalmente pelos mais jovens: o desejado Carnaval!

Esta é uma data que os pequenos adoram e deliram com as fantasias. O problema maior é a despesa que os disfarces representam e no ano seguinte já não usarão o mesmo disfarce ou, no caso dos mais pequenos, já não lhes serve.
O melhor nesta data é mesmo reciclar e aprender a fazer disfarces caseiros utilizando truques mais económicos e materiais reciclados para preparar as fantasias dos pequenitos!

Uma sugestão para os meninos é o traje de pirata que pode facilmente ser criado a partir de peças que tenha em casa. Procure uma camisa de tamanho grande e, de preferência, de cor branca com folhos. Se não tiver uma camisa com estas características facilmente encontrará um modelo destes no guarda-vestidos de alguma familiar, talvez da avó.

Precisará de um colete preto. Na falta do colete pode utilizar um casaco preto que esteja curto, rasgue as mangas pelas costuras dos ombros. As calças devem ser velhas e pretas para poderem ser cortadas na zona das pernas para envelhecer a peça. Coloque um lenço preto ou vermelho na cabeça do menino e, de seguida, com um elástico preto e um pouco de velcro tape um dos olhos.

Para as meninas não faltam ideias originais para fazer disfarces bonitos e especiais para este dia. Uma ideia original é a fantasia de Flinstone. É muito fácil e prática de fazer e fica um disfarce muito bonito. Comece por arranjar um pedaço de tecido branco. Coloque o tecido em volta do corpo como uma toalha de banho e depois amarre num dos braços fazendo uma alça. Depois corte as pontas em ziguezague mantendo um lado mais comprido que o outro. Amarre o cabelo da menina todo no cimo da cabeça, como se estivesse a fazer um rabo-de-cavalo mas alteie-o mais. Com o auxílio de um pente frise o cabelo, pegando nas pontas e passando o pente em sentido contrário até que fique todo despenteado. Numa loja de disfarces compre um osso de plástico e prenda na fita da criança.

Pegue nos materiais, puxe pela imaginação e ponha mãos ao trabalho!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Como fazer disfarces de Carnaval

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    09-06-2014 às 04:01:21

    Não em carnaval, mas em bailes de fantasia, sempre usei o TNT. Eles são ótimos para trabalhar o corte, para costurar e deixa bem bonito!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios