Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Beleza > Como cuidar de unhas fracas e quebradiças

Como cuidar de unhas fracas e quebradiças

Categoria: Beleza
Visitas: 2
Como cuidar de unhas fracas e quebradiças

Cuidados com alimentação são essenciais para prevenir unhas fracas e quebradiças.

Há tempos, as unhas tomaram o lugar dos cabelos entre as partes do corpo que mais recebem cuidados femininos. Mulheres tentam a todo custo livrarem-se do “pesadelo” das unhas fracas e quebradiças, aplicando esmaltes, óleos e cremes que prometem milagres. Mas nem todos os problemas podem ser resolvidos assim.

Como tratar unhas fracas e quebradiças
As unhas são formadas por camadas espessas de queratina e minerais e precisam ser nutridas e cuidadas de forma externa e interna. Elas podem ser alvo de ataques de fungos e guardar uma série de bactérias. Além disso, elas ainda servem como sinalizador de doenças e avarias no corpo humano.

O primeiro caminho para tratar de unhas fracas e quebradiças é a alimentação. O reforço na ingestão dos nutrientes que compõem as unhas é fundamental para seu fortalecimento. Invista em Ferro, Cálcio, Zinco e vitaminas do Complexo B. Estes elementos, quando combinados, potencializam a ligação das moléculas de queratina.

E o melhor é que não é difícil de incluir todos estes nutrientes na dieta. O Ferro, por exemplo, está nos ovos, nos vegetais verde-escuros e na carne vermelha. O Zinco se encontra nas nozes e nas ostras, enquanto o Cálcio é abundante no leite e nos seus derivados. Já as vitaminas do Complexo B estão no limão, no mamão e na pera.

Como prevenir unhas fracas e quebradiças

Mas nem sempre a alimentação basta, e aí um reforço extra é sempre bem-vindo. As unhas, como qualquer coisa que seja formada por células, necessita respirar. Quando você pinta suas unhas, se cria uma barreira entre a unha e o ar, que abafa as células. Tente deixar ao menos um dia na semana suas unhas livres de esmaltes ou bases.

Unhas fracas e quebradiças também precisam de hidratação. Aposte nas bases fortalecedoras com compostos de queratina e em cremes hidratantes para suas mãos. Os umectantes contidos nestes produtos irão penetrar nas unhas e fornecerão uma espécie de suplemento para o crescimento.

Salão de beleza

Por serem tão importantes para a estética e a autoestima feminina, as unhas precisam de cuidados na hora de ser pintadas, lixadas, polidas e cortadas. Procure não utilizar removedores de esmalte à base de acetona para retirar os resíduos. A acetona é um complexo químico muito forte, e deixa as unhas fracas e quebradiças.

Procure sempre cortar e lixar as pontas de suas unhas. Esta prática faz com que as partes mais frágeis e desgastadas da sua unha sejam removidas e permite que células mais fortes e jovens cresçam. Quanto às cutículas, peça à sua manicure que não corte toda a pele. São elas que realizam a proteção das unhas.

O que as unhas sinalizam

As unhas servem ao corpo como espaço para mostrar aquilo que falta e aquilo que é excessivo. Manchas pequenas e brancas podem sinalizar muito açúcar, e o lugar da unha onde se encontram mostra o período em que o excesso ocorreu. Listras ou ranhuras verticais indicam que a pessoa ingeriu muito sal em um tempo recente.

Fique atento também às doenças: unhas fracas e quebradiças podem ser sintomas de psoríase, hipertireoidismo e anemia.

Parte 1 de 3: Praticando a Boa Higiene
Certifique-se de lavar seus pés diariamente. Os pés tendem a ficar mais sujos e mais suados que as outras partes do corpo. Portanto, é importante ter bons hábitos de higiene. Se você tomar banhos pela manhã e evitá-los durante a noite, ao menos crie o hábito de lavar os pés ao chegar em casa após o período da tarde. Além de isso ser um sinal de boa higiene, ter tal atitude lhe impedirá de levar sujeira à cama.
Lave-os com sabão e água morna. Isso removerá o suor, a sujeira e as bactérias dos pés. Fique atento aos espaços entre os dedos. Seque seus pés gentilmente com uma toalha logo em seguida.
Mantenha as unhas limpas também. Se você caminhar por aí usando sandálias no verão, pode ser que suas unhas acabem ficando sujas. Arranje algum tempo para limpá-las todos os dias ao lavar os pés.
Anúncio


Hidrate seus pés todos os dias. Adicione loções ou cremes à sua rotina. Uma maneira de obter pés hidratados e macios é esfregar um pouco de loção ou de geleia de petróleo neles antes de dormir, colocando meias logo em seguida. Quando você acordar pela manhã, descobrirá que seus pés estão muito macios e livres do ressecamento! Lembre-se apenas de jamais permitir que a área entre os dedos fique excessivamente hidratada, já que isso causa o crescimento de fungos.
Utilize os calçados certos para cada ocasião. Seus pés permanecerão saudáveis se você usar calçados específicos para manter os pés limpos, secos e numa temperatura confortável. Você veste o resto do seu corpo para permanecer confortável de acordo com o clima, e o mesmo deve se aplicar aos pés.
Mantenha-os frescos no verão com sandálias e com calçados que respirem. Se usar sapatos que lhe façam sentir calor no verão, você poderia acabar obtendo uma infecção fúngicas ou chulé.
Mantenha-os aquecidos no inverno com botas impermeáveis e meias. Se você usar sapatos que não mantenham seus pés quentes, acabará desenvolvendo ulcerações.
Livre-se de odores. O odor é um problema que muitas pessoas têm de encarar, visto que os pés produzem mais suor que o resto do corpo e tendem a acumular bactérias criadoras de mau cheiro. Se seu chulé saiu de seu controle, há algumas medidas a serem tomadas para cheirar melhor sem maiores problemas.
Tente trocar suas meias regularmente. Se seus pés tendem a suar muito durante o dia, trazer um par extra de meias poderia ajudar a diminuir o odor que se acumula. Troque suas meias quando elas ficarem úmidas com o suor.
Mantenha seus sapatos limpos. Algumas vezes, o odor piora quando o suor e as bactérias se acumulam nos calçados. Então, sempre que você calça tais sapatos/tênis, o problema se arrasta. Usar meias com os sapatos, limpá-los de vez em quando e comprar calçados novos sempre que necessário são maneiras de reduzir o odor.
Experimente talcos para pés. Há muitos produtos feitos para manter seus pés secos e livres de odor. Experimente passar talco para pés, para bebês ou o simples talco em pó em seus sapatos antes de calçá-los.
Mantenha os pés secos. Pé de atleta e outros fungos tendem a crescer em condições úmidas. Algumas mudanças em sua rotina de higiene podem livrá-lo do estresse que é trabalhar com essas aflições desagradáveis, que normalmente causam feridas que coçam. Faça o seguinte para manter seus pés limpos e secos:
Troque as meias regularmente. Esse é o melhor método de prevenção contra todos os tipos de problemas relacionados aos pés, de odor a fungos. Meias úmidas são ambientes perfeitos para o crescimento de fungos – portanto, troque-as regularmente, especialmente se você suar muito.
Use talcos para os pés. Muitas pessoas passam talco nos sapatos para mantê-los secos e limpos!
Banhe-se com segurança. Se você se banha em um vestiário ou em outro espaço público, tome precauções para não contrair o fungo de alguém. Chuveiros tipicamente são ambientes que podem concentrar fungos e bactérias. Não é uma boa ideia pisar num chuveiro público sem proteger os pés.
Use chinelos ou calçados de banho quando estiver lavando o corpo em vestiários ou em outros lugares públicos.
Também é importante não compartilhar sapatos com outras pessoas. Se você for um atleta, não compartilhe meias e outros equipamentos atléticos.
Apare suas unhas apropriadamente. Após um certo número de semanas, apare suas unhas para mantê-las saudáveis e fortes. Apará-las da maneira errada faz com que surjam as unhas encravadas, que podem ser bem dolorosas. Apare-as de maneira retilínea, em vez de ficar formando curvas. Você deve evitar tentar apará-las de maneira a deixá-las curtas, visto que isso poderia gerar unhas encravadas ou em infecções. [1]
Se você realmente prefere um formato redondo, e não o quadrado, use uma lixa para amaciar as pontas e criar uma curvatura nas extremidades. Assim, você acaba com uma unha reta e com extremidades arredondadas.
Parte 2 de 3: Fazendo Pedicure em Si
Faça um tratamento de pedicure em seus próprios pés a cada duas semanas. Pintar as unhas não precisa ser, necessariamente, parte de uma rotina de pedicure. Porém, pedicures regulares realmente fazem a diferença para quem quer manter os pés macios e livres de ressecamento e de pele endurecida. Suas unhas ficarão limpas e bonitas. Você não precisa gastar muito dinheiro ou contratar um/uma pedicure profissional no salão de beleza. Com algumas ferramentas, você pode fazer seu próprio tratamento no conforto de sua casa!
Comece com uma massagem. Se você costuma ficar levantado por longos períodos de tempo e seus pés tendem a doer, massageie-os antes de começar seu tratamento. Ainda que esse passo não seja de todo necessário, é uma boa maneira de mimar a si mesmo. Se você já houver separado um tempinho para tratar de seus pés, por que não massageá-los?
Massageie as solas. Use os polegares para pressionar as solas de seus pés, fazendo movimentos circulares. Isso ajudará a aliviar os músculos rígidos dessa região. [2]
Alongue os dedos dos pés. Um a um, gentilmente puxe seus dedos para frente e para trás para alongá-los e para aliviar dores.

Deixe seus pés de molho por 5-10 minutos em uma tigela grande com água morna. Como mimo adicional, você pode querer algumas gotas de óleos essenciais à água, ou alguns sais, para manter os pés cheirosos e suavizar a pele endurecida. O tempo indicado aqui não passa de uma sugestão – você pode querer deixar os pés de molho por muito mais tempo para relaxar, ou caso a pele endurecida precise de hidratação extra.
Esfolie seus pés com um esfoliante para remover a pele morta e seca. A esfoliação também hidratará seus pés. A pele dos pés é mais grossa, e para mantê-la macia e suave, é importante remover células mortas através da esfoliação. Passe a escova nos pés, massageando-os, utilizando movimentos circulares, e enxugue-os logo em seguida. Para esfoliar a pele endurecida nos calcanhares e na parte aos fundos dos pés, use uma lixa ou uma pedra-pomes. Certifique-se de utilizar movimentos gentis ao lixá-los, e jamais os esfregue com muita força. Se você tiver calos duros, experimente um raspador de calos para removê-los de seus calcanhares e das laterais dos pés. Isso impedirá os calos de ficarem maiores e causarem dor.
cuide das unhas. Aparar as unhas enquanto elas ainda estão macias (após deixar os pés de molho) fica fácil. Lembre-se de apará-las de maneira a deixá-las retilíneas, e não curtas demais. Use palitos de unha ou empurradores de cutículas para colocar as cutículas de volta na pele. Finalmente, passe um pouco de óleo para cutículas nas suas unhas para hidratar a área. Isso impedirá as cutículas de se romperem.
Corte as unhas de maneira a deixá-las retilíneas, e não em curva. Isso impedirá que unhas encravadas surjam. Se você preferir uma forma arredondada, use uma lixa para aparar as pontas e dar uma curvatura a elas. Assim, você conseguirá uma unha retilínea com extremidades arredondadas. Certifique-se de que as unhas estejam cortadas e lixadas no tamanho certo – curtas, mas não o suficiente para machucá-lo.
Lembre-se de incluir as cutículas também. Ainda que você não deva cortar suas cutículas, caso deseje isso, é possível aplicar óleo de cutículas às unhas para amaciar e hidratar as extremidades endurecidas. Após isso, você deve empurrar as cutículas com um palito de unhas para criar uma área suave e aberta, pronta para polimentos. Certifique-se de não empurrar com muita força para não correr o risco de cortar a cutícula e expor os pés a infecções fúngicas. Algumas pessoas também preferem pular completamente este passo e deixar as cutículas intactas. Isso é aceitável, também.
Hidrate seus pés. Como seus pés sempre acabam muito desgastados, é importante hidratá-los de veze em quando. Após deixar os pés de molho, esfoliar a pele e aparar as unhas, use uma loção ou creme para proteger essas belezuras. Espalhe-os pelo topo e por baixo dos pés, incluindo entre os dedos.
Se você tem uma tendência de obter calos, considere um creme muito rico. Isso manterá sua pele úmida e desacelerará o crescimento de novos calos.
Se seus calcanhares tendem a rachar em climas secos, use meias após hidratar os pés antes de dormir.
Aplique esmalte se quiser. Se você gostaria de terminar sua seção de pedicure com um belo toque final, aplique esmalte da cor de sua escolha. Se quiser um tratamento mais duradouro, comece com uma camada base clara. Permita que ela seque e pinte sua unha com a cor escolhida usando o método das “três pinceladas”. O método consiste em usar uma pincelada para cada lado e uma no meio. Isso garante que o esmalte seja uniformemente aplicado à unha inteira. Finalize com uma camada clara no topo para manter o esmalte no lugar e impedi-lo de rachar. [3]
Use separadores de dedos para manter os dedos distanciados um do outro. Isso facilita o processo de pintura e impede que uma camada fresquinha de esmalte manche outro dedo.
Remova o esmalte após alguns dias para não criar manchas. Se você deixar o esmalte nas unhas por tempo demais, acabará encontrando-as amareladas após remover a camada de tinta! [4]
Acetona, o ingrediente ativo na maioria dos esmaltes, possui um efeito ressecador fortíssimo. Considere usar um removedor de esmalte que não contenha acetona.
Parte 3 de 3: Abordando Problemas nos Pés
Trate uma unha encravada. Esse é um problema que você pode resolver por conta própria em casa. Tome cuidado com o equipamento utilizado, visto que a unha encravada pode ficar infeccionada facilmente. Comece ao cortar a unha de maneira a deixá-la retilínea. Levante gentilmente a parte encravada e deslize uma pequena bola de algodão sob ela para impedir que o problema se alargue. Troque o algodão todos os dias até resolver o problema.
Proteja a unha durante o processo de recuperação. Você pode querer enfaixá-la para impedir o surgimento de infecções.
Se você vir sinais de infecções, procure um médico.
Trate infecções fúngicas. Se você possuir um machucado que coça, é provável que ele seja um pé de atleta. Há muitos cremes que podem ser usados para tratar o pé de atleta e outros fungos. Use o creme de acordo com as instruções do produto até o machucado desaparecer e seu pé parecer melhor. No meio-tempo, certifique-se de trocar de meias regularmente.
Se o problema não desaparecer após alguns dias, procure um médico.
O fungo nas unhas é de um tipo diferente, e é muito mais difícil de tratar. Se suas unhas estiverem amareladas/acastanhadas e rachadas, procure um médico para conseguir um medicamento que possa ajudar.
Livre-se de joanetes antes que eles saiam de seu controle. Um joanete surge quando o osso da lateral do pé é pressionado e começa a apontar para fora. Esse problema pode se tornar muito doloroso se você não agir para corrigir o problema. Joanetes normalmente são problemas genéticos, mas também podem ser causados por sapatos com bico muito fino (como sapatilhas de balé e saltos altos).
Certifique-se de que seu calçado não esteja causando problema. Pode ser hora de trocar essas sapatilhas por tênis confortáveis.
Use protetores de joanete. Eles podem ser comprados em algumas farmácias. Você os coloca sobre o joanete para impedi-lo de se esfregar contra os calçados.
Considere opções cirúrgicas. Se você tem um joanete muito doloroso, pode querer considerar a cirurgia, visto que não há nada que possa ser feito para fazê-lo sumir por conta própria.
Procure um podologista se sentir dores. Se você sentir uma dor que não desaparece, é importante procurar ajuda médica.
Há muitos ossos nos pés que podem se fraturar facilmente.
Caminhar com um pé machucado pode exacerbar o problema.


Poliana de Amorim

Título: Como cuidar de unhas fracas e quebradiças

Autor: Poliana de Amorim (todos os textos)

Visitas: 2

226 

Comentários - Como cuidar de unhas fracas e quebradiças

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os descendentes de Eça

Ler próximo texto...

Tema: Literatura
Os descendentes de Eça\"Rua
Recentemente, por via da comunicação social, soubemos da entrega do prémio Leya, a um trineto de Eça de Queirós. Julgo que bastou essa noticia, para que todos ficássemos curiosos sobre os seus descendentes…esse mistério, como o Mistério da Estrada de Sintra, começou a adensar-se entre quem se interessa por estas coisas da literatura e da genealogia…então aqui deixo algumas notas que poderão ser importantes para quiçá, um dia, um qualquer jornalista, ou editor, se lembre, de conseguir reunir todos os seus descendentes vivos e se tire uma fotografia de família.

José Maria Eça de Queirós, escritor pródigo da nossa nação, contraiu matrimónio em 1886, com Emília de Castro Pamplona Resende, condessa de Resende, deixando à data de sua morte, em Paris, quatro filhos como seus descendentes e herdeiros diretos; foram eles António Eça de Queirós, Maria Eça de Queirós, Alberto Eça de Queirós e José Maria Eça de Queirós; portanto três meninos e uma menina.
Através do site Geneall.net, foi possível perceber as linhas genealógicas que se seguiram aos seus filhos. No entanto, nem todos os nomes dos seus bisnetos e trinetos estão aí presentes, com certeza por motivos de ordem pessoal, de resguardo da privacidade, motivos que não podemos questionar. Porém, é possível, pelo menos determinar a existência desses membros da família queirosiana.

De antemão sabemos que não houve descendência por parte de dois dos seus filhos, António Eça de Queirós e de Alberto Eça de Queirós.
Maria Eça de Queirós teve dois filhos, uma menina e um menino, porém a menina morreu muito nova, ficando apenas o menino, de seu nome Manuel Pedro Benedito de Castro, que mais tarde casou com Maria da Graça Salema de Castro, a mulher que se tornou a primeira diretora da Fundação Eça de Queirós, na casa de Tormes, pertença da família da esposa de Eça de Queirós. Como Manuel Pedro Benedito de Castro não teve filhos, sabemos que por este ramo, terminou a descendência do escritor.

Convém, entretanto, acrescentar aqui uma curiosidade. Depois do regresso a Portugal da viúva de Eça, ela e os filhos, foram residir para a casa da Granja, pertencente à família de Sophia de Mello Breyner. Inicialmente como esta casa costumava ser arrendada pela família de Sophia, Emília de Castro, arrendou-a, vindo a compra-la uns anos depois. Portanto, é aqui nesta casa que ela cria os seus filhos, e é onde, José Maria Eça de Queirós, um dos seus filhos, permanece após a sua morte, tendo criado aqui os seus filhos e netos, e tendo aqui também falecido.

Podemos então seguramente afirmar que a sua grande linha de descendência parte do seu filho, com o mesmo nome, José Maria Eça de Queirós, que teve também ele, atente-se à curiosidade, quatro filhos, neste caso, ao inverso, um menino, e três meninas, respetivamente de seus nomes, Manuel Eça de Queirós, Maria das Dores Eça de Queirós, Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós e Emília Maria de Castro Eça de Queirós. Esta ultima, Emília, teve ao que consta nove filhos, sendo que um deles, Afonso Maria Eça de Queirós Cabral, é quem atualmente preside à Fundação acima citada, depois da morte da primeira presidente, referida atrás, Maria da Graça Salema de Castro.

Manuel Eça de Queirós por sua vez teve seis filhos, Maria das Dores Eça de Queirós teve três filhos, e Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós, dois filhos. Somados, contabilizamos vinte, os bisnetos do famoso escritor. Seria interessante avançar um pouco mais nos ramos genealógicos e aflorar quem são ou pelo menos, quantos são os trinetos e tetranetos de Eça, por conseguinte fica aqui o desafio, pois é certo que porventura alguns destes descendentes não se conhecem, e nunca terão trocado qualquer impressão sobre o seu ascendente, para uns, bisavô, para outros trisavô, e ainda para outros, tetravô.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Os descendentes de Eça

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios