Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Música > Como adormecer em paz

Como adormecer em paz

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Música
Comentários: 2
Como adormecer em paz

Vale sempre a pena medir a distância que vai da alma aos tons desafinados, os que perturbam as audições finas e petulantes, aborrecidas. Apenas pensava que o pudesse fazer sozinho, no meio de uma qualquer normalidade que não me sujasse da excitação, coisa que havia deixado esquecido nas memórias bem antigas, como uma desintoxicação em que nunca te esqueces do sabor inicial do que, depois, te levou ao descalabro.

O violino e o saxofone, umas quantas cervejas da abadia velha e aparentemente votada ao desprezo do clero, é tudo quanto basta para te podermos escutar. Claro que teremos que conferir se a alma ainda pesa vinte e uma gramas e se chegaste à conclusão que a tua mãe tem sempre razão, os amigos são aquilo que tens nas épocas de roubo descarado, à tua alma, mas sobretudo à tua vontade de fazer parte do sistema, devidamente abonado e acompanhado pela outra parte do coração quase esgotado.




E assim se passou o concerto, a guitarra entrou a rasgar pela avenida curta do palco e as portas desconjuntaram-se, lá ficamos sem coração e a morte nunca foi sítio que desse tesão. Ainda assim a mulata bateu palmas e o chinês confundiu-se na cor da bandeira. Andava lá o fiscal, qual vaqueiro à antiga, a coletar chupitos aos espanhóis mais distraídos. E nós já fechávamos os olhos imaginando as dançarinas do ventre meneando-se à nossa frente. Como uma droga que regressava triunfante!

E quando tudo terminou, os laivos de qualquer coisa chegaram e ninguém bateu palmas, ficaram ali mesmo a dormir, uns dentro dos outros enquanto as melodias teimavam em entrar-lhes pelos sonhos a dentro.

No fim de tudo, abri os olhos e dei por mim na Catedral, um cavalo e um cura, cansados de tentar angariar fieis, dormiam junto do altar e a mãe da mulata falava-lhes da confissão, batendo forte no ombro do cura, que vociferava algo parecido com alguma praga bíblica.

De repente a mulata passou-se dos carretos e começou a despir-se, o cavalo acordou, o cura dançou e ouviam-se sirenes ao longe enquanto no altar dois anjos de óculos escuros evocavam putos a roubar maçãs. Será que alguma vez voltaríamos a nossa casa para dormir em paz?


António Borges

Título: Como adormecer em paz

Autor: António Borges (todos os textos)

Visitas: 0

603 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • António BorgesAntónio Borges

    15-09-2012 às 01:09:08

    Cara Sofia!

    Agradeço-lhe a visita e fico satisfeito de ter captado esse espírito maravilhoso dos Dead Combo!

    Obrigado e volte sempre que todos os textos que aqui colocar terão inspiração musical portuguesa...

    Abraço!

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoSofia Nunes

    12-09-2012 às 15:12:39

    Excelente texto, fazendo jus à excelência dos Dead Combo, esse verdadeiro tesouro português que deveria fazer corar todos aqueles que dizem que em Portugal não se faz boa música! Cada tema tem acordes fantásticos e surpreendentes, que revelam a mestria e a inspiração desses grandes músicos. Pena que ainda não saibamos valorizar o que bem se faz cá dentro… mas sempre foi assim: as massas serão sempre massas, irão sempre preferir música mais comercial.

    ¬ Responder

Comentários - Como adormecer em paz

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O meu instrumento musical avariou!

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Instrumentos Musicais
O meu instrumento musical avariou!\"Rua
É inevitável que, mais cedo ou mais tarde, um instrumento musical precise de reparação.

Mesmo que conheçamos bem o nosso instrumento e o consigamos arranjar, na maioria das vezes é necessário um técnico para o fazer com a melhor das qualidades.

Eventualmente, nem será necessário existir um problema com o instrumento, poderá ser apenas uma questão de manutenção. 

No caso de uma guitarra, por exemplo, qualquer instrumentista é perfeitamente capaz de substituir uma corda partida e tirar da guitarra o mesmo som que ela tinha.

No entanto, existem reparações, seja uma amolgadela no tampo ou uma tarraxa arrancada, que convêm ser feitas por técnicos especializados.

Por norma, as próprias casas que vendem instrumentos musicais efectuam essas reparações ou são capazes de aconselhar técnicos para as fazer.

Mediante o instrumento musical em questão, a reparação ou manutenção poderá ser mais cara. É sempre mais fácil arranjar um técnico que repare um piano do que um que arranje oboés.

Apesar de ser normal cuidar do nosso instrumento musical regularmente, os percalços acontecem todos os dias. Para os contornar, há sempre alguém que nos poderá aconselhar melhor do que nós próprios.

Apesar de poder sair mais caro, temos também a certeza de que o nosso instrumento foi arranjado por especialistas no assunto.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:O meu instrumento musical avariou!

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • luiz fabiano 18-02-2012 às 15:48:28

    boa tarde amigos preciso de um cabo flex da lcd da camera g70 se aulguem tiver mande um email obrigado

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios