Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Arte > Museus, o lugar “sagrado” da cultura

Museus, o lugar “sagrado” da cultura

Categoria: Arte
Visitas: 10
Museus, o lugar “sagrado” da cultura

A noção de museu tem apresentado conceitos distintos durante os últimos dois séculos. Na actualidade, parece consensual que se trata de instituições permanentes, que visam prestar serviço à sociedade e ao respectivo desenvolvimento, sem objectivos lucrativos, abertas ao público, e que angariam, preservam, investigam, revelam e patenteiam evidências materiais dos povos e das suas ambiências, com propósitos de estudo, educação e mero usufruto. Qualquer instituição, pública ou privada, tem uma missão específica, e a dos museus passa por congregar, acrescentar e divulgar referências patrimoniais e achados arqueológicos e etnográficos.

Os museus constituem importantes pontes de ligação com o passado e protegem os traços tangíveis de valores legados pelos antepassados dos mais diversos contextos histórico-culturais. As colecções museológicas, em conjunto com a herança de monumentos, formam uma fatia expressiva do que se considera património cultural. Sendo assim, os bens guardados nos museus funcionam, simultaneamente, como actores e instrumentos de diálogo intercultural. No entanto, muitas são as questões que se levantam aos profissionais dos museus, relativamente à elaboração, discussão e trabalho destes como um equipamento cultural diferenciado nos roteiros turísticos.

Acontece que os museus não devem ser apenas mais um ponto turístico, mas sim lugares de (quase) culto, onde as preocupações devem ir além do bom acolhimento e de um préstimo exímio. Na verdade, o ideal é que os museus sejam locais de troca, onde se encontrem opiniões e se estabeleçam laços e pontes que ajudem na formação de cidadãos mais conhecedores do seu papel na imensa assembleia universal. A vertente educacional dos museus é tão necessária e influente quanto a sua incumbência científica!

Os museus precisam de estabelecer uma diferença essencial entre o antes e o depois da visita. Sempre que surjam na mente do visitante muitas perguntas, quer dizer que se facilitou o conhecimento e se estimulou a criatividade e, deste modo, foi cumprida a missão dos museus, que vai muito além de escarafunchar em arquivos bolorentos de memórias perras ou de prestar homenagem a uma História moribunda e, ainda por cima, distante, impessoal, indiferente. Conservar os testemunhos ancestrais e fomentar a expressão de aspirações culturais é meio caminho andado para compreender transformações verificadas a nível dessa mesma cultura e da sociedade, conferindo protagonismo à identidade e à diversidade de um mundo em constante metamorfose.

As idas aos museus não dão, todavia, para aprender tudo. Nesta perspectiva, há que inflamar os espíritos do desejo de perscrutar livros e autores diversos, procurando contribuições filosóficas, sociológicas, antropológicas, biológicas, e tantas outras, cuja complementaridade proporcione a aproximação a outros povos e o respeito devido a civilizações divergentes. De facto, os museus devem ser espaços democráticos de conhecimento e de inclusão social, entendidos como um bem público.


Maria Bijóias

Título: Museus, o lugar “sagrado” da cultura

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 10

655 

Comentários - Museus, o lugar “sagrado” da cultura

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Raio Mata Três Pessoas No Brasil

Ler próximo texto...

Tema: Segurança
Raio Mata Três Pessoas No Brasil\"Rua
No dia 07 de novembro de 2014, três pessoas acabaram morrendo em decorrência de raios após as vítimas serem socorridas, mesmo depois de bastante tempo tentando reanimá-las.

Os três homens deram entrada no hospital com parada cardiorrespiratória e com muitas queimaduras. Esse incidente aconteceu na zona leste de São Paulo, as vitimas trabalhavam com ferro velho.

O Brasil é o país onde os raios estão mais presentes no mundo. São mais de 50 milhões de raios por ano. Esses raios atingem mais pessoas na zona rural, porém nas áreas urbanas ocorrem também só que com menos frequência.

Há pessoas que falam que raios não ocorrem duas vezes no mesmo lugar, mas isso é improvável, eles ocorrem sim! Tanto que nos últimos séculos, as tempestades aumentaram 90% por causa do aquecimento do planeta devido ao asfalto, que é uma das formas de poluição.

Alguns cuidados, nesses momentos, são importantes como: não ficar em área aberta, não usar o telefone e se vir uma tempestade, então permaneça no carro.

Os raios ocorrem no Brasil porque é um país tropical e de muito calor, por isso está em primeiro lugar em queda de raios. Nesse mesmo ano de 2014, um rapaz morreu usando o computador. Ele recebeu a eletricidade no momento em que o raio caiu na antena.

O estado de São Paulo lidera em quedas de raios. Um raio dura em média 1 segundo, e a queda de raios acontece por uma descarga elétrica que produz nuvens de chuva. Os relâmpagos ocorrem entre as nuvens e os raios pelo solo.

Algumas regiões tem tendência de cair mais raios, a descarga é visível a olho nu e é um fenômeno que produz um clarão. As mortes mais frequente são nas áreas urbanas, por isso não é seguro se proteger em baixo de árvores.

Pesquisar mais textos:

Gislene Santos Sousa

Título:Raio Mata Três Pessoas No Brasil

Autor:Gislene Santos Sousa(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios