Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Animais Estimação > Dicas para impedir que seu cão fuja

Dicas para impedir que seu cão fuja

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Animais Estimação
Visitas: 4
Comentários: 1
Dicas para impedir que seu cão fuja

Todo o cuidado é pouco com o seu cãozinho. Temos acompanhado nos noticiários que a perda de animais está aumentando a cada mês e com isso, os donos sofrem muito com o desaparecimento dos bichinhos, assim como os próprios animais que antes estavam acostumados com uma vida de mimos, casa, água fresca, boa alimentação, cama macia e muito amor.

A vida de um cão nas ruas é um martírio, sofrem todo o tipo de privação e em muitas vezes são agredidos com chutes por pessoas que se sentem ameaçadas, ou feridos por outros cães.

Alguns simples cuidados podem evitar o desaparecimento dos animais de estimação, nesse artigo, focaremos o cachorro que é o nosso tema central.

Antes de levar o cão para o passeio, verifique se a coleira e o guia estão perfeitos, se o cachorro for de porte pequeno, use peiteiras, não machucam e o pescoço fica livre, mesmo que seja um bichinho que costuma ficar no colo.

Os cães, seguindo seu instinto natural, mesmo quando é levado para passear diariamente, é natural que ao ver o portão aberto tenha vontade de sair, a intenção dele não é ir embora, mas sim olhar a rua e é aí que ele pode desaparecer ao tentar espantar outro cachorro que possa estar passando, um gato ou até mesmo uma pessoa estranha. Para evitar que isso aconteça, o primeiro passo é não acreditar que ele sempre obedecerá ao dono, eles são muito rápidos, por isso antes de abrir o portão, conduza o cachorro para um local que ele não consiga sair até que seja solto. Construa um cercado com telas que suportem o peso do cão, caso não tenha espaço, colocar um elo de metal de espessura grossa com uma corrente, não toma altera o espaço e o cachorro ficará seguro para não fugir.

Verificar a altura do muro é outra providência que deve ser tomada se for baixo de modo que o animal possa saltar. A solução para quem quer economizar e manter o muro com a mesma altura é adicionar um alambrado galvanizado, esse não enferruja, para completar a altura. Desse modo o cão não conseguirá pular.

Os fabricantes de telas galvanizadas, entendendo que o alambrado deve estar em sintonia com a fachada da casa, passaram a produzir telas coloridas sem alterar a qualidade.

São simples dicas que podem impedir o desaparecimento do seu fiel amigo.

Cuide bem do seu cão!


Sílvia Baptista

Título: Dicas para impedir que seu cão fuja

Autor: Sílvia Baptista (todos os textos)

Visitas: 4

792 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãoandreia filipa bernardo oliveira

    02-10-2014 às 19:02:30

    eu amo muito os cães. adorote.te muito

    ¬ Responder

Comentários - Dicas para impedir que seu cão fuja

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios