Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Animais Estimação > Cuide do seu canário

Cuide do seu canário

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Animais Estimação
Visitas: 22
Cuide do seu canário

Se tiver adquirido recentemente ou está a planear para breve ter um canário, deve aprender tudo o que puder sobre os cuidados deste pássaro. Algumas áreas de cuidados que vai querer considerar são a gaiola, a limpeza, a alimentação e a interação necessária.

Para uma ave, a gaiola não tem de ser grande. Ela deve ter, pelo menos, 30 a 40cm de lado. Para dois pássaros a gaiola deve ser um pouco maior. A gaiola de plástico deve ter um reservatório no fundo para impedir que as cascas das sementes e as fezes caiam ao chão.

A gaiola desta dimensão é pequena o suficiente para colocar em praticamente qualquer lugar, mas deve estar num local que esteja longe da luz solar direta. Também deve estar numa divisão muito frequentada para que o pássaro tenha muitas oportunidades de interagir consigo. Ele será capaz de observar as pessoas, mesmo quando elas não estiverem a prestar-lhe atenção. Isso fará com que o canário se sinta menos solitário.

A gaiola terá de ser cuidadosamente limpa, pelo menos, uma vez por semana. Você pode deixar que o pássaro voe em torno da casa durante o tempo que dedica à limpeza e manutenção da gaiola. Retire todos os brinquedos e lave-os. Lave os recipientes para alimentação e, finalmente, toda a gaiola. Altere o revestimento que entretanto utilizou para forrar o fundo da gaiola.
Diariamente também terá de fazer um pouco de limpeza. Remova produtos que a ave rejeitou e as cascas de sementes. Durante a estação de muda de pena precisará remover as penas também.

Deve ajudar a ave a limpar-se pulverizando-a diariamente com uma névoa fina de água. Isto deve ser feito na parte da manhã para que o pássaro esteja devidamente seco quando o dia arrefecer pelo final da tarde e noite. Verifique pontualmente se é necessário cortar as garras do seu canário. Segure o pássaro na mão com uma garra entre o dedo anelar e o polegar; segure-a até um pouco abaixo do vaso sanguíneo com a outra mão. Em seguida, passe para a próxima garra. Um osso rico em cálcio amarrado ao lado da gaiola vai dar ao pássaro o cálcio de que precisa, além de ajudar a manter o bico saudável.

Pode comprar muitos tipos de alimento de pássaro nas lojas de animais. Procure um rico em sementes de capim, sementes com um pouco de óleo e alguns citrinos. Estas misturas irão conter todos os nutrientes que o seu canário irá precisar. Mantenha os alimentos num recipiente coberto para evitar que fique estragado. Isso também irá mantê-lo longe dos insetos.

O pássaro provavelmente também aprecia alguns alimentos frescos, como alface e cenoura ralada. Apenas remova qualquer parte não consumida diariamente.

Um pássaro que é mantido por si só pode ficar sozinho. Um pássaro solitário, provavelmente, ficará doente e pode até morrer. Por isso, é importante que o pássaro não esteja só. Pode, claro, comprar dois pássaros, mas é possível ter apenas um que seja perfeitamente feliz. O melhor brinquedo será um espelho para que a ave fique de frente para si mesma e a cantar também, pensando que precisa fazê-lo entreter este 'outro pássaro'.

Ocasionalmente, você pode querer brinquedos alternativos, através da substituição de um dos brinquedos existentes por um novo. Você pode alternar os brinquedos a cada duas semanas. Não coloque muitos brinquedos na gaiola, pois isso pode sobrecarregar o pássaro.

Além disso, a ave vai precisar de um pouco de atenção humana a cada dia. Você pode tirá-lo da gaiola e falar com ele. Você pode até mesmo ensiná-lo a falar, repetindo a mesma palavra insistentemente. A ave deve ter pelo menos 10 minutos de tempo de vôo livre a cada dia. Certifique-se de que a sua casa é segura e mantenha-se vigilante enquanto ele está fora da gaiola.

Poderá ser um momento divertido do dia, enquanto observa o seu canário em pleno voo na sua sala de estar!


Ruben Duarte

Título: Cuide do seu canário

Autor: Ruben Duarte (todos os textos)

Visitas: 22

771 

Comentários - Cuide do seu canário

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os descendentes de Eça

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Literatura
Os descendentes de Eça\"Rua
Recentemente, por via da comunicação social, soubemos da entrega do prémio Leya, a um trineto de Eça de Queirós. Julgo que bastou essa noticia, para que todos ficássemos curiosos sobre os seus descendentes…esse mistério, como o Mistério da Estrada de Sintra, começou a adensar-se entre quem se interessa por estas coisas da literatura e da genealogia…então aqui deixo algumas notas que poderão ser importantes para quiçá, um dia, um qualquer jornalista, ou editor, se lembre, de conseguir reunir todos os seus descendentes vivos e se tire uma fotografia de família.

José Maria Eça de Queirós, escritor pródigo da nossa nação, contraiu matrimónio em 1886, com Emília de Castro Pamplona Resende, condessa de Resende, deixando à data de sua morte, em Paris, quatro filhos como seus descendentes e herdeiros diretos; foram eles António Eça de Queirós, Maria Eça de Queirós, Alberto Eça de Queirós e José Maria Eça de Queirós; portanto três meninos e uma menina.
Através do site Geneall.net, foi possível perceber as linhas genealógicas que se seguiram aos seus filhos. No entanto, nem todos os nomes dos seus bisnetos e trinetos estão aí presentes, com certeza por motivos de ordem pessoal, de resguardo da privacidade, motivos que não podemos questionar. Porém, é possível, pelo menos determinar a existência desses membros da família queirosiana.

De antemão sabemos que não houve descendência por parte de dois dos seus filhos, António Eça de Queirós e de Alberto Eça de Queirós.
Maria Eça de Queirós teve dois filhos, uma menina e um menino, porém a menina morreu muito nova, ficando apenas o menino, de seu nome Manuel Pedro Benedito de Castro, que mais tarde casou com Maria da Graça Salema de Castro, a mulher que se tornou a primeira diretora da Fundação Eça de Queirós, na casa de Tormes, pertença da família da esposa de Eça de Queirós. Como Manuel Pedro Benedito de Castro não teve filhos, sabemos que por este ramo, terminou a descendência do escritor.

Convém, entretanto, acrescentar aqui uma curiosidade. Depois do regresso a Portugal da viúva de Eça, ela e os filhos, foram residir para a casa da Granja, pertencente à família de Sophia de Mello Breyner. Inicialmente como esta casa costumava ser arrendada pela família de Sophia, Emília de Castro, arrendou-a, vindo a compra-la uns anos depois. Portanto, é aqui nesta casa que ela cria os seus filhos, e é onde, José Maria Eça de Queirós, um dos seus filhos, permanece após a sua morte, tendo criado aqui os seus filhos e netos, e tendo aqui também falecido.

Podemos então seguramente afirmar que a sua grande linha de descendência parte do seu filho, com o mesmo nome, José Maria Eça de Queirós, que teve também ele, atente-se à curiosidade, quatro filhos, neste caso, ao inverso, um menino, e três meninas, respetivamente de seus nomes, Manuel Eça de Queirós, Maria das Dores Eça de Queirós, Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós e Emília Maria de Castro Eça de Queirós. Esta ultima, Emília, teve ao que consta nove filhos, sendo que um deles, Afonso Maria Eça de Queirós Cabral, é quem atualmente preside à Fundação acima citada, depois da morte da primeira presidente, referida atrás, Maria da Graça Salema de Castro.

Manuel Eça de Queirós por sua vez teve seis filhos, Maria das Dores Eça de Queirós teve três filhos, e Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós, dois filhos. Somados, contabilizamos vinte, os bisnetos do famoso escritor. Seria interessante avançar um pouco mais nos ramos genealógicos e aflorar quem são ou pelo menos, quantos são os trinetos e tetranetos de Eça, por conseguinte fica aqui o desafio, pois é certo que porventura alguns destes descendentes não se conhecem, e nunca terão trocado qualquer impressão sobre o seu ascendente, para uns, bisavô, para outros trisavô, e ainda para outros, tetravô.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Os descendentes de Eça

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios