Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Animais Estimação > 10 dicas incríveis para cuidar de gatos filhotes e adultos

10 dicas incríveis para cuidar de gatos filhotes e adultos

Categoria: Animais Estimação
Visitas: 22
10 dicas incríveis para cuidar de gatos filhotes e adultos

Gatos são animais excepcionais, autênticos, independentes, curiosos, meigos e muito carinhosos.
Esses felinos possuem personalidade forte, são leais aos seus próprios sentimentos, mostram-se pouco submissos e, no entanto, podem ser muito apegados aos donos.
Os gatos são extremamente higiênicos, fazem sua própria limpeza do pelo e cuidam para que a urina e as fezes fiquem sempre enterradas, na terra ou em areias higiênicas.
Apesar de tanta independência os gatos precisam de cuidados específicos para que tenham uma vida longa, confortável e saudável.

1.Gatos também precisam de alimentação equilibrada.

Grande parte dos felinos domesticados é alimentada unicamente com rações secas, tanto pela comodidade para os donos (facilidade de compra e de armazenamento), quanto pelo fato de o animal se adaptar rapidamente a esse tipo de alimento.
As rações de boa qualidade não possuem corantes químicos (que são prejudiciais à saúde dos gatos) e apresentam na sua fórmula porcentagens de proteína bruta entre 32 e 36%, para filhotes, e entre 28 a 31% para gatos adultos.
Essas informações devem estar impressas nas embalagens das rações e devem ser as norteadoras para a escolha dos melhores alimentos para os felinos.
De toda forma, é importante complementar a alimentação com alguns itens naturais como fígado de galinha, peixes e legumes, que ajudam a limpar os restos de ração que se acumulam nos dentes dos animais e equilibram melhor a dieta dos gatos.
As carnes só devem ser servidas após permanecerem três dias congeladas. O congelamento auxilia na eliminação de parasitas e protozoários que podem transmitir toxoplasmose aos animais.
Ossos não devem ser oferecidos aos gatos, pois podem prender na garganta do animal, causando asfixia ou perfuração interna.

2.Sal, cebola e alho não podem ser consumidos por gatos.

Gatos não podem consumir sal, cebola e nem alho, já que esses temperos causam anemia nos felinos, mesmo quando consumidos em quantidades bem pequenas.

3.Medicamentos para gatos, só sendo para gatos.

A maioria dos medicamentos utilizados para tratar humanos é tóxica aos felinos, como a dipirona sódica e os anti-inflamatórios.
Se o animalzinho está doente, procure ajuda de um veterinário.

4.Água sanitária, limpadores multiuso e desinfetantes são tóxicos aos gatos.

Gatos são muito sensíveis ao cheiro de alguns produtos de limpeza como água sanitária, limpadores multiuso e desinfetantes em geral. Quando inalam esses produtos, os felinos podem ser intoxicados, apresentando prostração e vômito intenso.
A intoxicação pode levar o gatinho à morte, e por isso é importante mantê-lo longe dos ambientes limpos com os produtos identificados (até que o cheiro do produto seja amenizado), bem como deixar as embalagens desses itens de limpeza fechadas e em lugar seguro.

5.Excesso de peso também faz mal para os gatos.

O sobrepeso prejudica os hábitos normais dos gatos, como brincar, se limpar e ainda pode comprometer o fígado e rins do animal, além das funções cardíacas.
Geralmente esses felinos não têm um grande controle sobre sua saciedade e podem comer grandes quantidades de alimento muito mais por terem sido habituados a isso, e bem menos por necessidade.
Manter o hábito de fornecer ao animal quantidades certas de alimento, em períodos determinados do dia ajuda no controle do peso, mantendo a saúde em dia.

6.Infecção urinária é comum em gatos.

Os gatos consomem diariamente pouca água, e esse hábito, quando associado a uma dieta formada unicamente por rações secas, contribui para o surgimento de infecções urinárias que podem levar o animal ao óbito.
Se o gato está urinando com muita freqüência, se está fazendo muito esforço para urinar e se a urina está apresentando cor mais avermelhada é importante levá-lo com rapidez ao veterinário.
Pode-se prevenir a infecção urinária oferecendo alimentos úmidos como patês para gatos, e também umedecendo a ração seca com pequenas quantidades de água.
Alguns grãos de ração seca colocados em recipientes de água espalhados pela casa também podem estimular o gato a consumir mais água que o habitual.
Gatos adoram água limpa e por isso é importante ainda trocá-la diariamente.

7.É necessário castrar seu gatinho.

A procriação indiscriminada de animais (gatos e cachorros) contribui para criar no país um quadro de superpopulação e de abandono.
A castração auxilia na diminuição desse problema.
Gatos castrados são mais tranquilos e calmos, e não se reproduzem de forma indiscriminada.
A castração deve ser realizada somente por veterinários, e deve ocorrer depois que o animalzinho alcançar um ano de vida.

8.Toxoplasmose não é doença exclusiva de gato.

A toxoplasmose é uma doença infecciosa, transmitida por protozoários que podem estar hospedados em homens, felinos, cães, aves e outros animais.
Pode-se contrair toxoplasmose através do consumo de carnes, verduras, ou legumes contaminados, pelo contato com a terra sem a proteção de luvas, e pelo contato com as fezes de animais contaminados. A forma mais comum de se contrair a doença é através da ingestão de carnes contaminadas.
Não é todo felino que transmite a toxoplasmose e essa doença não é inerente ao animal em questão, como muitas pessoas pensam.
Os gatos só podem transmitir a toxoplasmose se estiverem contaminados e isso só ocorre se consumirem carnes contaminadas.
Se contaminados os gatos podem transmitir a toxoplasmose através das fezes, e para que uma pessoa contraia a doença é necessário o contato com as fezes do animal.
Saber da procedência da carne e congelá-la por três dias antes de oferecer ao animal reduz muito as chances de contágio.
Lavar as mãos sempre que fizer a limpeza da caixa de areia também diminui as possibilidades de se contrair toxoplasmose.
A limpeza constante da caixa de areia contribui muito para evitar o contágio dessa doença.

9.A caixinha de areia deve ser limpa semanalmente.

Se o gato utiliza a caixinha de areia higiênica para urinar e defecar, é importante promover a limpeza constante desse recipiente tanto para a saúde dele, quanto para a saúde do dono, uma vez que o excesso de urina e fezes pode atrair insetos (formigas, baratas e mosquitos) além de deixar o ambiente com mau cheiro.
As fezes devem ser retiradas da caixa diariamente e jogadas no lixo.
Semanalmente a areia deve ser completamente trocada e a caixa lavada, utilizando-se uma mistura de água fervente com água sanitária, que auxilia no extermínio de protozoários transmissores de doenças como a toxoplasmose.
Essa mistura (água sanitária e água fervente) deve ser colocada na caixa de areia vazia e deve permanecer por 10 minutos. Após esse tempo a caixa pode ser esfregada com uma vassoura e enxaguada com água limpa.
Depois de seca é só introduzir a areia higiênica novamente na caixa.

10.Transporte, só em caixa apropriada.

Gatos são animais que se assustam facilmente com barulhos, ambientes ou pessoas estranhas, e por isso mesmo transportá-los dentro de sacolas, mochilas ou de caixas de papelão abertas os coloca em grande perigo.
Um gatinho assustado pode fugir e não ser encontrado nunca mais.
A forma mais segura de transporte é utilizando uma caixa apropriada (à venda em lojas de produtos para animais), mas há também disponíveis no mercado coleiras com proteção peitoral que podem ser presas em qualquer ponto estável, como cintos de seguranças de automóveis, ou mesmo no braço de quem está transportando o animalzinho.

Aproveitem nossas dicas para manter a saúde e o bem estar do seu gatinho sempre em dia.


Danília Oliveira Gonçalves

Título: 10 dicas incríveis para cuidar de gatos filhotes e adultos

Autor: Danília Oliveira Gonçalves (todos os textos)

Visitas: 22

107 

Comentários - 10 dicas incríveis para cuidar de gatos filhotes e adultos

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como fazer disfarces de Carnaval

Ler próximo texto...

Tema: Vestuário
Como fazer disfarces de Carnaval\"Rua
O ano começa e depressa chega uma data muito ansiada principalmente pelos mais jovens: o desejado Carnaval!

Esta é uma data que os pequenos adoram e deliram com as fantasias. O problema maior é a despesa que os disfarces representam e no ano seguinte já não usarão o mesmo disfarce ou, no caso dos mais pequenos, já não lhes serve.
O melhor nesta data é mesmo reciclar e aprender a fazer disfarces caseiros utilizando truques mais económicos e materiais reciclados para preparar as fantasias dos pequenitos!

Uma sugestão para os meninos é o traje de pirata que pode facilmente ser criado a partir de peças que tenha em casa. Procure uma camisa de tamanho grande e, de preferência, de cor branca com folhos. Se não tiver uma camisa com estas características facilmente encontrará um modelo destes no guarda-vestidos de alguma familiar, talvez da avó.

Precisará de um colete preto. Na falta do colete pode utilizar um casaco preto que esteja curto, rasgue as mangas pelas costuras dos ombros. As calças devem ser velhas e pretas para poderem ser cortadas na zona das pernas para envelhecer a peça. Coloque um lenço preto ou vermelho na cabeça do menino e, de seguida, com um elástico preto e um pouco de velcro tape um dos olhos.

Para as meninas não faltam ideias originais para fazer disfarces bonitos e especiais para este dia. Uma ideia original é a fantasia de Flinstone. É muito fácil e prática de fazer e fica um disfarce muito bonito. Comece por arranjar um pedaço de tecido branco. Coloque o tecido em volta do corpo como uma toalha de banho e depois amarre num dos braços fazendo uma alça. Depois corte as pontas em ziguezague mantendo um lado mais comprido que o outro. Amarre o cabelo da menina todo no cimo da cabeça, como se estivesse a fazer um rabo-de-cavalo mas alteie-o mais. Com o auxílio de um pente frise o cabelo, pegando nas pontas e passando o pente em sentido contrário até que fique todo despenteado. Numa loja de disfarces compre um osso de plástico e prenda na fita da criança.

Pegue nos materiais, puxe pela imaginação e ponha mãos ao trabalho!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Como fazer disfarces de Carnaval

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    09-06-2014 às 04:01:21

    Não em carnaval, mas em bailes de fantasia, sempre usei o TNT. Eles são ótimos para trabalhar o corte, para costurar e deixa bem bonito!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios