Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Animais Estimação > 10 dicas incríveis para cuidar de gatos filhotes e adultos

10 dicas incríveis para cuidar de gatos filhotes e adultos

Categoria: Animais Estimação
Visitas: 22
10 dicas incríveis para cuidar de gatos filhotes e adultos

Gatos são animais excepcionais, autênticos, independentes, curiosos, meigos e muito carinhosos.
Esses felinos possuem personalidade forte, são leais aos seus próprios sentimentos, mostram-se pouco submissos e, no entanto, podem ser muito apegados aos donos.
Os gatos são extremamente higiênicos, fazem sua própria limpeza do pelo e cuidam para que a urina e as fezes fiquem sempre enterradas, na terra ou em areias higiênicas.
Apesar de tanta independência os gatos precisam de cuidados específicos para que tenham uma vida longa, confortável e saudável.

1.Gatos também precisam de alimentação equilibrada.

Grande parte dos felinos domesticados é alimentada unicamente com rações secas, tanto pela comodidade para os donos (facilidade de compra e de armazenamento), quanto pelo fato de o animal se adaptar rapidamente a esse tipo de alimento.
As rações de boa qualidade não possuem corantes químicos (que são prejudiciais à saúde dos gatos) e apresentam na sua fórmula porcentagens de proteína bruta entre 32 e 36%, para filhotes, e entre 28 a 31% para gatos adultos.
Essas informações devem estar impressas nas embalagens das rações e devem ser as norteadoras para a escolha dos melhores alimentos para os felinos.
De toda forma, é importante complementar a alimentação com alguns itens naturais como fígado de galinha, peixes e legumes, que ajudam a limpar os restos de ração que se acumulam nos dentes dos animais e equilibram melhor a dieta dos gatos.
As carnes só devem ser servidas após permanecerem três dias congeladas. O congelamento auxilia na eliminação de parasitas e protozoários que podem transmitir toxoplasmose aos animais.
Ossos não devem ser oferecidos aos gatos, pois podem prender na garganta do animal, causando asfixia ou perfuração interna.

2.Sal, cebola e alho não podem ser consumidos por gatos.

Gatos não podem consumir sal, cebola e nem alho, já que esses temperos causam anemia nos felinos, mesmo quando consumidos em quantidades bem pequenas.

3.Medicamentos para gatos, só sendo para gatos.

A maioria dos medicamentos utilizados para tratar humanos é tóxica aos felinos, como a dipirona sódica e os anti-inflamatórios.
Se o animalzinho está doente, procure ajuda de um veterinário.

4.Água sanitária, limpadores multiuso e desinfetantes são tóxicos aos gatos.

Gatos são muito sensíveis ao cheiro de alguns produtos de limpeza como água sanitária, limpadores multiuso e desinfetantes em geral. Quando inalam esses produtos, os felinos podem ser intoxicados, apresentando prostração e vômito intenso.
A intoxicação pode levar o gatinho à morte, e por isso é importante mantê-lo longe dos ambientes limpos com os produtos identificados (até que o cheiro do produto seja amenizado), bem como deixar as embalagens desses itens de limpeza fechadas e em lugar seguro.

5.Excesso de peso também faz mal para os gatos.

O sobrepeso prejudica os hábitos normais dos gatos, como brincar, se limpar e ainda pode comprometer o fígado e rins do animal, além das funções cardíacas.
Geralmente esses felinos não têm um grande controle sobre sua saciedade e podem comer grandes quantidades de alimento muito mais por terem sido habituados a isso, e bem menos por necessidade.
Manter o hábito de fornecer ao animal quantidades certas de alimento, em períodos determinados do dia ajuda no controle do peso, mantendo a saúde em dia.

6.Infecção urinária é comum em gatos.

Os gatos consomem diariamente pouca água, e esse hábito, quando associado a uma dieta formada unicamente por rações secas, contribui para o surgimento de infecções urinárias que podem levar o animal ao óbito.
Se o gato está urinando com muita freqüência, se está fazendo muito esforço para urinar e se a urina está apresentando cor mais avermelhada é importante levá-lo com rapidez ao veterinário.
Pode-se prevenir a infecção urinária oferecendo alimentos úmidos como patês para gatos, e também umedecendo a ração seca com pequenas quantidades de água.
Alguns grãos de ração seca colocados em recipientes de água espalhados pela casa também podem estimular o gato a consumir mais água que o habitual.
Gatos adoram água limpa e por isso é importante ainda trocá-la diariamente.

7.É necessário castrar seu gatinho.

A procriação indiscriminada de animais (gatos e cachorros) contribui para criar no país um quadro de superpopulação e de abandono.
A castração auxilia na diminuição desse problema.
Gatos castrados são mais tranquilos e calmos, e não se reproduzem de forma indiscriminada.
A castração deve ser realizada somente por veterinários, e deve ocorrer depois que o animalzinho alcançar um ano de vida.

8.Toxoplasmose não é doença exclusiva de gato.

A toxoplasmose é uma doença infecciosa, transmitida por protozoários que podem estar hospedados em homens, felinos, cães, aves e outros animais.
Pode-se contrair toxoplasmose através do consumo de carnes, verduras, ou legumes contaminados, pelo contato com a terra sem a proteção de luvas, e pelo contato com as fezes de animais contaminados. A forma mais comum de se contrair a doença é através da ingestão de carnes contaminadas.
Não é todo felino que transmite a toxoplasmose e essa doença não é inerente ao animal em questão, como muitas pessoas pensam.
Os gatos só podem transmitir a toxoplasmose se estiverem contaminados e isso só ocorre se consumirem carnes contaminadas.
Se contaminados os gatos podem transmitir a toxoplasmose através das fezes, e para que uma pessoa contraia a doença é necessário o contato com as fezes do animal.
Saber da procedência da carne e congelá-la por três dias antes de oferecer ao animal reduz muito as chances de contágio.
Lavar as mãos sempre que fizer a limpeza da caixa de areia também diminui as possibilidades de se contrair toxoplasmose.
A limpeza constante da caixa de areia contribui muito para evitar o contágio dessa doença.

9.A caixinha de areia deve ser limpa semanalmente.

Se o gato utiliza a caixinha de areia higiênica para urinar e defecar, é importante promover a limpeza constante desse recipiente tanto para a saúde dele, quanto para a saúde do dono, uma vez que o excesso de urina e fezes pode atrair insetos (formigas, baratas e mosquitos) além de deixar o ambiente com mau cheiro.
As fezes devem ser retiradas da caixa diariamente e jogadas no lixo.
Semanalmente a areia deve ser completamente trocada e a caixa lavada, utilizando-se uma mistura de água fervente com água sanitária, que auxilia no extermínio de protozoários transmissores de doenças como a toxoplasmose.
Essa mistura (água sanitária e água fervente) deve ser colocada na caixa de areia vazia e deve permanecer por 10 minutos. Após esse tempo a caixa pode ser esfregada com uma vassoura e enxaguada com água limpa.
Depois de seca é só introduzir a areia higiênica novamente na caixa.

10.Transporte, só em caixa apropriada.

Gatos são animais que se assustam facilmente com barulhos, ambientes ou pessoas estranhas, e por isso mesmo transportá-los dentro de sacolas, mochilas ou de caixas de papelão abertas os coloca em grande perigo.
Um gatinho assustado pode fugir e não ser encontrado nunca mais.
A forma mais segura de transporte é utilizando uma caixa apropriada (à venda em lojas de produtos para animais), mas há também disponíveis no mercado coleiras com proteção peitoral que podem ser presas em qualquer ponto estável, como cintos de seguranças de automóveis, ou mesmo no braço de quem está transportando o animalzinho.

Aproveitem nossas dicas para manter a saúde e o bem estar do seu gatinho sempre em dia.


Danília Oliveira Gonçalves

Título: 10 dicas incríveis para cuidar de gatos filhotes e adultos

Autor: Danília Oliveira Gonçalves (todos os textos)

Visitas: 22

107 

Comentários - 10 dicas incríveis para cuidar de gatos filhotes e adultos

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como cuidar de Plantas de interior

Ler próximo texto...

Tema: Bricolage Jardim
Como cuidar de Plantas de interior\"Rua
Cada planta tem um comportamento diferente, vou colocar aqui alguns cuidados que servem para a maioria delas.

LUZ:

Os principais erros no cultivo de plantas de interior é a falta de luz.
Se elas estiverem em locais onde não há luz suficiente, isso pode ser corrigido com a instalação de luz artificial, existe no mercado lâmpada que imitam a luz natural.


TEMPERATURA:

Mudanças bruscas de temperatura retardam e até paralisa o crescimento da planta, bem como causa a queda de folhas.


UMIDADE:

A maioria das plantas necessita de uma umidade atmosférica adequada.
Normalmente notamos que a planta não está com a umidade correta quando acontece ficarem amarelas e a queda de folhas.


IRRIGAÇÃO:

Conselhos básicos:
Uma planta em fase de crescimento vai precisar de mais água que uma que está em fase de dormência, ou já atingiu o seu tamanho adulto.
Durante a floração a planta precisa de mais água que em sua fase de crescimento
Em ambientes internos mais quentes é evidente que a planta vai precisar de mais águas que em ambientes mais frios.
Para saber qual é o momento exato de molhar, enfie o dedo no substrato, se sentir ele seco, chegou a hora

FERTILIZANTE:

Para que a planta tenha um desenvolvimento harmonioso convém usar periodicamente de fertilizantes que podem ser líquido ou sólidos.
No mercado existe a venda fertilizante com fórmulas específicas para cada planta.
Após a utilização do fertilizante regue a planta.

LIMPEZA:

Faça regularmente a limpeza de folhas secas e caule, pois elas são bastante positivas não só esteticamente como para a saúde das plantas.
Se estiver acumulada muita poeira sobre as folhas, espane, e depois passe um pano húmido
Atenção: Existe algumas espécies, que tem as folhas aveludadas, tipo a Violeta Africana, Begônia Rex, etc. que não deve ser colocada água é só usar uma escovinha bem macia.

TROCA DE VASO:

De uma maneira geral após 1 ou 2 anos as plantas de interior devem ser colocadas em vasos de tamanho maior.
Isso deve ser feito porque as raízes passam a ocupar um grande espaço e também porque o substrato vai perdendo sua composição inicial.
A época mais adequada varia de planta para planta, algumas devem ser feitas na primavera e outras quando estão na fase de repouso.
Aproveite para obterem mudas, separando brotos e dividindo touceiras.

Pesquisar mais textos:

Miguel Pereira

Título:Como cuidar de Plantas de interior

Autor:Miguel Pereira(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Briana AlvesBriana

    13-10-2014 às 04:09:31

    Muito bom! É tão gratificante cuidar de plantas. A gente vê o quanto elas florescem quando são bem-cuidadas. Amei as dicas!

    ¬ Responder
  • Rua DireitaRua Direita

    18-04-2014 às 22:36:55

    Fantástico seu texto, a Rua Direita agradece!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios