Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Animais Estimação > E agora: Caso ou compro um cachorro?

E agora: Caso ou compro um cachorro?

Categoria: Animais Estimação
Visitas: 2
E agora: Caso ou compro um cachorro?

Com certeza, em algum momento d sua vida, você já ouviu a famosa pergunta: Caso ou compro uma bicicleta?

Essa pergunta se refere, geralmente, ao momento de refletir sobre a decisão de se casar, de finalmente assumir um grande compromisso com outra pessoa.

Eu sempre fui da opinião de que se você se faz essa pergunta a resposta é a bicicleta. Casamentos são passos extremamente importantes na vida não de uma, mas de duas pessoas! E se há alguma dúvida sobre a decisão a ser tomada então essa decisão terá que esperar, afinal, seria egoísmo mudar a vida de outra pessoa por algo que ainda não tem certeza. Acredito que quando a resposta é sim ela vem pronta, pode existir um medo natural diante do novo, mas há a certeza de querer experimentar!

Então não case! Mas não compre uma bicicleta, compre um cachorro!

Mas aí você irá perguntar: Por que eu deveria comprar um cachorro? E a resposta pode vir de várias formas! Cães são os melhores amigos do homem, todos sabemos disso, são companheiros, amorosos, amam incondicionalmente... Então pense: se você acabou de notar que não está pronto para um casamento, ai precisar de um cachorro que lhe dê carinho e faça companhia.

Cães gostam de dormir juntinho! Se você pensava em se casar porque não queria se sentir sozinha à noite, então adquira um cão! Eles podem te esquentar, te deixar mais seguro à noite, também cumprirão o papel de roubar o espaço na sua cama, eventualmente irão te empurrar, às vezes até incomodarão com roncos e pequenos chutes... Tal qual aconteceria se tivesse se casado!

Cães te esperarão voltar para casa todos os dias! E te receberão com alegria! Não te perguntarão onde estava, mas ainda assim te deixará preocupado com o horário de chegar em casa para lhe dar comida e lhe fazer companhia. Assim vai treinando a responsabilidade de viver com o outro sem a mesma pressão e cobrança.

Deverá fazer planejamento financeiro para ter um cão. Independente se foi comprado ou adotado, ele necessitará de visitas ao veterinário, ração, idas ao pet shop e etc. Irá se acostumar que o dinheiro que você ganha já não é só seu.

Cães irão te reconfortar quando precisar, sempre que precisar, seja te levando uma bolinha, abanando o rabinho, ou te olhando com todo amor do mundo... Assim como deve ser no casamento na hora de dar apoio ao cônjuge.

Aí você deve estar indignado nesse momento com a comparação. Cães não são como um relacionamento! Mas se aprender a se importar com seu amigo canino irá começar a pensar que a casa já não é só sua, começará a pensar em família...

Não acho que ele poderia substituir o casamento, mas será uma ótima companhia enquanto amadurece a ideia, enquanto se prepara para se doar a alguém mais além de a si mesmo. Mas, se a pessoa estiver pensando a mesma coisa, se também gostar de cães e souber conviver com eles, se tiver a noção de cuidar de alguém mais do que a si mesmo, se souber pensar nas necessidades de outro antes das suas, se for amoroso com um ser tão indefeso quanto um cachorrinho, se estiver acostumado com estas responsabilidades, então case com essa pessoa, aprendam a fazer dar certo e adotem um cão... para aumentar a família!


Carolina Borba

Título: E agora: Caso ou compro um cachorro?

Autor: Carolina Borba (todos os textos)

Visitas: 2

1 

Comentários - E agora: Caso ou compro um cachorro?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Raio Mata Três Pessoas No Brasil

Ler próximo texto...

Tema: Segurança
Raio Mata Três Pessoas No Brasil\"Rua
No dia 07 de novembro de 2014, três pessoas acabaram morrendo em decorrência de raios após as vítimas serem socorridas, mesmo depois de bastante tempo tentando reanimá-las.

Os três homens deram entrada no hospital com parada cardiorrespiratória e com muitas queimaduras. Esse incidente aconteceu na zona leste de São Paulo, as vitimas trabalhavam com ferro velho.

O Brasil é o país onde os raios estão mais presentes no mundo. São mais de 50 milhões de raios por ano. Esses raios atingem mais pessoas na zona rural, porém nas áreas urbanas ocorrem também só que com menos frequência.

Há pessoas que falam que raios não ocorrem duas vezes no mesmo lugar, mas isso é improvável, eles ocorrem sim! Tanto que nos últimos séculos, as tempestades aumentaram 90% por causa do aquecimento do planeta devido ao asfalto, que é uma das formas de poluição.

Alguns cuidados, nesses momentos, são importantes como: não ficar em área aberta, não usar o telefone e se vir uma tempestade, então permaneça no carro.

Os raios ocorrem no Brasil porque é um país tropical e de muito calor, por isso está em primeiro lugar em queda de raios. Nesse mesmo ano de 2014, um rapaz morreu usando o computador. Ele recebeu a eletricidade no momento em que o raio caiu na antena.

O estado de São Paulo lidera em quedas de raios. Um raio dura em média 1 segundo, e a queda de raios acontece por uma descarga elétrica que produz nuvens de chuva. Os relâmpagos ocorrem entre as nuvens e os raios pelo solo.

Algumas regiões tem tendência de cair mais raios, a descarga é visível a olho nu e é um fenômeno que produz um clarão. As mortes mais frequente são nas áreas urbanas, por isso não é seguro se proteger em baixo de árvores.

Pesquisar mais textos:

Gislene Santos Sousa

Título:Raio Mata Três Pessoas No Brasil

Autor:Gislene Santos Sousa(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios