Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Animais Estimação > Desvendando mitos caninos

Desvendando mitos caninos

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Animais Estimação
Comentários: 1
Desvendando mitos caninos

Existem muitos mitos sobre os cães que as pessoas acreditam ser verdade. Entre essas afirmações estão a de que, quando está com febre, o focinho do animal fica quente; que a vermifugação deve ser frequente; que os cães avisam quando ficam doentes ou que os vira-latas são mais saudáveis do que as raças puras.

O dono deve sempre estar atento às necessidades do seu cão. Quando ele dorme, a temperatura do focinho aumenta, e nem sempre isto é sinal de febre que, muitas vezes, aparece sem qualquer vestígio. A febre é real quando o focinho estiver seco, e o animal se mostrar sem fome e beber muita água. A indisposição é outro sinal. O cão fica deitado, sem vontade de caminhar, brincar ou mesmo ir à rua. O sinal mais importante é quando ele parece abatido e desanimado.

Cuidar bem da saúde dos cãezinhos é essencial, seja de porte grande, médio ou pequeno. Mas a vermifugação, na verdade, só deve ser frequente em cães que vivem na rua. Estes correm maior risco de contrair doenças, carrapatos, pulgas e percevejos, se andam por lugares freqüentados por outros cães de rua. O banho é outro fator importante, quando deve-se usar sabonetes e xampus, indicados pelo veterinário, para manter o asseio corporal.

Ao contrário do que se diz, os cães tentam esconder a doença para se mostrarem fortes. Geralmente, quando o dono percebe, a doença já está bem avançada. Muitas vezes o cão se alimenta e bebe água normalmente, o que, em muitos casos, dificulta a procura pelo diagnóstico e a consequente cura. Há males que só serão descobertos pelo médico através de exames de sangue, raio X ou utrassonografias. Por isso, é muito importante para a vida saudável dos cães a sua ida ao veterinário.

É comum ouvir que os vira-latas seriam superiores aos cães de raça em relação à sua saúde. Os cães de raça não são mais fracos, mas envelhecem mais rápido. Os vira-latas estão menos sujeitos a enfermidades corriqueiras a algumas raças, entretanto, não são invulneráveis, embora seu sistema imunológico responda melhor, em virtude de sua forma de vida.

Vira-lata ou cão de raça, pouco importa. O que conta mesmo para que seu animal seja saudável e tenha longevidade, será a atenção e o carinho que você dispensa para ele, e o quanto de energia e recursos está disposto a oferecer em troca da mais duradoura e fiel amizade.


Helena

Título: Desvendando mitos caninos

Autor: Helena Helena (todos os textos)

Visitas: 0

773 

Imagem por: Goldemberg Fonseca

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Beatriz Gonçalves

    20-09-2012 às 00:34:54

    tenho um cachorro vira latas, esta desanimado, sonolento, corpo gelado e focinho muito seco, sera que esta com alguma doença?

    ¬ Responder

Comentários - Desvendando mitos caninos

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os 10 melhores queijos holandeses

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Alimentação
Os 10 melhores queijos holandeses\"Rua
Os holandeses são conhecidos como “cabeças de queijo”. A partir daí, podemos notar e concluir que não são apenas amantes de queijo, mas também grandes produtores.
O queijo está presente na Holanda há milhares de anos, desde os tempos de Júlio César, que ficou encantado com os queijos que encontrou no local. Desde então, os queijos holandeses dividem espaço com as flores como símbolo da cultura da Holanda, gerando a maior parte do combustível econômico do país.

Os holandeses fabricam 650 milhões de quilos de queijo por ano, exportando dois terços desse volume para outros países. São os maiores exportadores de queijo do mundo.
Além disso, cada cidadão da Holanda come por ano, em média, 15 quilos de queijo.

Conheça os 10 melhores tipos de queijos holandeses:

1- Queijo Gouda
O queijo recebe o nome da cidade onde é produzido e é responsável por dois terços de toda a produção de queijos da Holanda. É o mais famoso e copiado no mundo.
Trata-se de um queijo macio e cremoso, em formato circular, com os famosos furinhos no meio. Pode-se encontrar variações no tempero, como especiarias e ervas finas. Possui um nível elevado de gordura de 48%, mas que garante o sabor único, úmido e macio do queijo. É considerado um dos melhores queijos do mundo.

2- Queijo Edam
É facilmente reconhecido por possuir no seu interior a coloração amarelo claro e camadas vermelhas ou alaranjadas nas partes mais externas. Possui um sabor picante e é mais seco se comparado com o tipo Gouda. Por esses motivos, possui menos gordura, 40%.

3- Queijo Leiden
Possui menor teor de gordura em comparação com os anteriores por se tratar de leite coado na fabricação do queijo. É mais firme e robusto, com consistência mais rígida. Pode conter especiarias em seu interior. Possui maturação mais prolongada e é prensado, o que o torna mais firme. Além de conter pimenta cominho na preparação da sua massa, dando um sabor mais do que especial ao queijo.

4- Queijo Maasdammer
Queijo com sabor de nozes fabricado na cidade de Maasdam. Também possui os famosos buracos no seu interior e um sabor peculiar e distinto. Possui estrutura firme, consistente, devido a sua cura precoce, de aproximadamente quatro semanas.

5- Queijo Cablanca
Esse queijo de cabra é classificado de duas maneiras: um tipo é fresco e mole, mais suave e cremoso; o outro é semiduro e curado, semelhante ao aspecto dos queijos gouda.
Os primeiros possuem sabor agradável e leve, por serem mais frescos. Enquanto os segundos possuem sabor mais forte e cítrico.

6- Queijo Boerenkaas

Queijo feito essencialmente de forma artesanal, o que o torna um queijo único e exclusivo, além de mais caro que os demais. Pelo menos metade do leite utilizado na fabricação desse queijo deve ser originário de vacas que são criadas na própria fazenda produtora. Além disso, o restante do leite utilizado não pode ser proveniente de mais do que duas fazendas diferentes e próximas ao local original de produção do queijo.

7- Queijo Defumado
Esse tipo de queijo é um pouco diferente dos demais. É fabricado e praticamente finalizado, após isso, é derretido e novamente prensado em formato de embutidos. É geralmente vendido por fatia, em formato de linguiça.

8- Queijo de cravo da Frísia
É um queijo preparado de leite desnatado na região da Frísia.
Além do cominho, leva na fabricação da sua massa pitadas de cravo. Isso garante a esse queijo um sabor forte, seco e rústico. Sua consistência é firme.



9- Queijo Parrano
É um queijo de vaca que possui um sabor que combina com doces aromas.
É um queijo feito nos moldes dos queijos italianos, parecido com a textura do parmesão. Por isso mesmo, é bastante usado na gastronomia italiana.

10 – Queijo Graskaas

Esse queijo é especial pois é feito a partir do primeiro leite produzido pelas vacas após retornarem da pastagem, depois de passarem o inverno trancadas nos celeiros.

Pesquisar mais textos:

Filipe Mixa

Título:Os 10 melhores queijos holandeses

Autor:Filipe Mixa(todos os textos)

Imagem por: Goldemberg Fonseca

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios