Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Segurança > Segurança rodoviária é essencial

Segurança rodoviária é essencial

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Segurança
Visitas: 2
Comentários: 1
Segurança rodoviária é essencial

De todos os meios de transporte ao nosso dispor, o rodoviário é, sem dúvida, o mais perigoso e o que acarreta custos mais elevados em termos de vidas humanas. Diversas são as causas que estão na base destas estatísticas, mas cabe a cada um fazer a sua parte para as mitigar. Não vale a pena, e nem sequer é justo, colocar as culpas na falta de controlos rodoviários, no atraso tecnológico, nem no adiamento da melhoria das infraestruturas. Cada condutor (ou peão) é responsável pela sua vida e pela daqueles com quem se cruza na estrada. Afinal, o excesso de velocidade, o consumo de álcool, a não utilização dos cintos de segurança ou de capacete, a proteção insuficiente, o desrespeito dos tempos de condução e muitos outros, não podem ser imputados a nenhum Governo…!

As entidades competentes deviam, isso sim, apostar na formação contínua dos condutores particulares e promover mais campanhas de educação e sensibilização da população em geral. Na prática, o desrespeito dos condutores pela legislação de base em matéria de segurança rodoviária é a primeira causa de acidentes graves!

Sendo assim, e para ajudar a cumprir as diretivas e a reduzir os índices da sinistralidade, antes de iniciar viagem, sobretudo se for longa, o condutor deve: verificar as condições de segurança do seu veículo, nomeadamente o estado dos pneus, dos travões, da direção, da suspensão, dos dispositivos de sinalização, o estado de funcionamento dos limpa para-brisas e das escovas, dos piscas, os níveis de óleo, água, …, a focagem dos faróis e a existência de macaco e colete refletor.

Paralelamente, terá o cuidado de acondicionar corretamente a bagagem e estará consciente de que o cansaço, o sono, as refeições pesadas, os medicamentos, o álcool e certas doenças, entre outros fatores, prejudicam a aptidão para conduzir. Escolher o itinerário menos concorrido e perigoso também é boa ideia. Quando se fizerem viagens longas, o ideal é parar de vez em quando (de duas em duas horas) para descontrair um pouco, estimular a circulação e interromper o processo de condução.

Este simples gesto é suscetível de salvar vidas! Os desastres com veículos pesados dão-se, na sua maioria, por falta de respeito dos tempos de condução e de descanso.
Por outro lado, há quem conduza da mesma maneira no inverno e no verão, esquecendo-se de que o cenário muda completamente, desde as condições de aderência à visibilidade e a outras variáveis. As pessoas têm de se mentalizar que é fundamental, e até vital, adaptar a condução às contingências climatéricas, de tráfego, etcétera. As manobras perigosas, não manter a distância de segurança e arriscar ultrapassagens mal feitas estão também na origem de um grande número de ocorrências.

Os motociclistas devem recordar-se que o para-choques do seu veículo é o próprio corpo, pelo que o equipamento de proteção é essencial, mormente o capacete e as luvas. Todavia, o blusão (com proteção para os ombros, cotovelos e zona lombar), calças e botas específicas (de cano alto e preferentemente sem atacadores), bem como um fato impermeável são bastante importantes.

Naturalmente que a nível de Estado muita coisa podia ser feita: apoio ao progresso técnico, harmonização das medidas de segurança passiva, eliminação dos ângulos mortos dos veículos pesados, facilitação de circulação dos cidadãos com mobilidade reduzida, estabelecimento da obrigatoriedade de usar cintos de segurança nos transportes públicos, aperfeiçoamento na investigação e diagnóstico em caso de acidente (estudando os melhores procedimentos), …

Não obstante, cabe-nos a nós fazer o possível para evitar que muitos milhares de pessoas (quase 20 mil, só entre jovens dos 15 aos 24 anos, peões e ciclistas) percam a vida inutilmente na estrada ou em consequência dela.


Maria Bijóias

Título: Segurança rodoviária é essencial

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 2

795 

Imagem por: Argenberg

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    29-05-2014 às 06:18:51

    Isso é bem verdade! O zelo pela vida é o mais importante fator dentre uma sociedade. Por isso, as autoridades precisam fazer ao máximo para proporcionar segurança nas rodoviárias.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - Segurança rodoviária é essencial

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Superstições Náuticas

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Barcos
Superstições Náuticas\"Rua
Todos temos as nossas manias e superstições. Não que se trate de comportamentos compulsivos, mas a realidade é que mesmo para quem diz que não liga nenhuma a estas coisas, as superstições acompanham-nos.

Passar por baixo de uma escada, deixar a tesoura, uma porta de um armário ou uma gaveta aberta ou até deixar os sapatos em posição oposta ao correcto, são das superstições mais comuns. As Sextas-feiras 13 também criam alguma confusão a muita gente, mas muitos são os que já festejam e brincam com a data.

Somos assim mesmo, supersticiosos, uns mais do que outros, mas é uma essência que carregamos, mesmo que de forma inconsciente.

Existem no entanto profissões que carregam mitos mais assustadores do que outros, e por exemplos muitos actores não entram em palco sem mandar um “miminho” uns aos outros.

Caso de superstição de marinheiro é dos mais sérios e se julga que se trata só de casos vistos em filmes de piratas, desengane-se. Os marinheiros dos dias de hoje carregam superstições tão carregadas de emoção quanto os de outros tempos.

Umas mais caricatas do que outras, as superstições contam histórias e truques. Por exemplo, contra tempestades, muitos marinheiros colam uma moeda no mastro dos navios.

Tal como fazem os actores, desejar boa sorte a um marinheiro antes de embarcar, também não é boa ideia. Os miminhos dados antes de entrar em palco também servem para o efeito.

Dar um novo nome a um barco é uma péssima ideia para um marinheiro. Dizem que muitos há que não navegam em barcos rebaptizados.

Lembra-se que os piratas de outros tempos utilizavam brincos? Pois isto faz parte de uma superstição. Dizem que os brincos evitam que se afoguem.

Entrar com um pé direito na embarcação é sinal de bons ventos. Tal como acontece com muitos de nós, os marinheiros também não gostam de entrar de pé esquerdo.

Já desde remotos tempos se dia que assobiar traz tempestades. Ora aqui está um mote dos marinheiros, pelo que se assobiar numa embarcação, arrisca-se a ter chatices com o marinheiro.

Verdades ou mentiras, as superstições existem e se manter os seus próprios mitos acalma um marinheiro, então que assim seja. Venham as superstições náuticas que cá estamos para as ouvir.

Já agora uma curiosidade ainda maior. Dizem que se tocar a gola de um marinheiro passará a ter sorte. Será verdade ou foi um marinheiro que inventou?

Pesquisar mais textos:

Carla Horta

Título:Superstições Náuticas

Autor:Carla Horta(todos os textos)

Imagem por: Argenberg

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    17-06-2014 às 06:39:27

    Não acredito em superstições de forma alguma.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios