Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Mas afinal o que é isso de H1N1?

Mas afinal o que é isso de H1N1?

Categoria: Saúde
Comentários: 5
Mas afinal o que é isso de H1N1?

H1N1 é um novo subtipo de vírus da gripe que atinge os humanos. Têm genes associados ao vírus do porco, das aves e das pessoas, tendo uma combinação única.

Os sintomas são equivalentes aos da gripe sazonal, febre alta, tosse, arrepios de frio, fadiga, dores no corpo, na cabeça e na garganta, vómitos e diarreia, porém a componente gastrointestinal é muito mais acentuada.

Este vírus que está a provocar a histeria mundial pode ficar no organismo de 24 a 48 horas, até que surjam os primeiros sintomas. Propaga-se através das pessoas e pelo ar, mas sendo apenas eficaz em distâncias inferiores a um metro. A forma mais fácil de se espalhar é pelos espirros, pela tosse, pelas secreções nasais ou dos olhos. Se não se tiver cuidado e se tocar em alguma superfície contaminada e de seguida mexer nos olhos, boca ou nariz, o vírus pode-se disseminar facilmente.

Não há muito a fazer para que um humano se proteja do vírus, porém pode atenuar o contágio ao dormir o necessário, comer bem e gerir o stress, já que com isto se consegue manter o sistema imunitário de boa saúde. Além disso, deve-se também lavar as mãos com sabão várias vezes ao dia. Este vírus é sensível aos medicamentos Tamiflu e Relenza, porém estes deixaram de estar à venda nas farmácias para evitar casos de auto-medicação e porque desta forma torna-se mais complicado detectar as pessoas que estejam afectadas.

Com estas substâncias, o período de duração da doença encurta, uma vez que impedem a replicação no organismo. Mas para fazer este efeito, têm que ser tomados nas primeiras 24 a 48 horas, após o surgir dos sintomas. Estima-se que o vírus não sobreviva fora do corpo mais do que algumas horas. Até agora ainda são poucos os casos de mortalidade, porém as precauções foram rapidamente accionadas pelo facto de se tratar de um novo vírus causador de gripe nos humanos, além de que ao se tratar de um organismo desconhecido, para o qual ninguém no mundo apresenta imunidade, fez temer o surgimento de uma nova pandemia. Até porque um novo vírus tem a capacidade de infectar pessoas mesmo fora do período sazonal da gripe.

A verdade é que a histeria começa a alargar-se e a corrida às farmácias já se iniciou. Mas o melhor é ter calma e não pensar muito nisso, porque se fossemos a pensar constantemente em doenças, deixaríamos de viver e passaríamos a viver prisioneiros dos nossos medos.


Catarina Guedes Duarte

Título: Mas afinal o que é isso de H1N1?

Autor: Catarina Guedes Duarte (todos os textos)

Visitas: 0

781 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 5 )    recentes

  • Rafaela CoronelRafaela

    18-07-2014 às 23:04:03

    Muito bom esse esclarecimento. É importante sabermos o que está por trás de um vírus que nos acomete apenas no ar. Como é o caso deste, H1N1.

    ¬ Responder
  • sarasara

    01-10-2009 às 11:28:47

    eu axo qe a gripe ha e apenas mais uma gripe qe apenas demora mais tempo a corar ...

    ¬ Responder
  • ricardoricardo

    29-06-2009 às 21:33:02

    muito bom texto catarina, o principio é o principal, sobre o h1n1.

    Parabéns pela matéria,sucesso!

    Atenciosamente

    Ricardo Netto

    ¬ Responder
  • WalquiriaWalquiria

    25-06-2009 às 20:26:11

    As autoridades alegam não haver motivo para pânico.
    Mas como não temer algo que já ultrapassou fronteiras?
    Recebemos notícias todos os dias que a situação está sob controle, mas pessoas já estão morrendo decorrente da gripe A H1N1.
    Catarina, você acha que esse mal tem chances de se tornar uma pandemia?
    Obs.:Cidades já declararam situação de emergência.
    E dizem que não precisamos nos preocupar...
    Não se isso é "engraçado" ou " Desesperador"...
    Abraços

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãoanonimo

    28-05-2009 às 02:15:53

    H1N1 é um virús?

    H1N1 é fatal?

    Á solução para H1N1?

    Aguardo tuas respostas catarina....

    ¬ Responder

Comentários - Mas afinal o que é isso de H1N1?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os descendentes de Eça

Ler próximo texto...

Tema: Literatura
Os descendentes de Eça\"Rua
Recentemente, por via da comunicação social, soubemos da entrega do prémio Leya, a um trineto de Eça de Queirós. Julgo que bastou essa noticia, para que todos ficássemos curiosos sobre os seus descendentes…esse mistério, como o Mistério da Estrada de Sintra, começou a adensar-se entre quem se interessa por estas coisas da literatura e da genealogia…então aqui deixo algumas notas que poderão ser importantes para quiçá, um dia, um qualquer jornalista, ou editor, se lembre, de conseguir reunir todos os seus descendentes vivos e se tire uma fotografia de família.

José Maria Eça de Queirós, escritor pródigo da nossa nação, contraiu matrimónio em 1886, com Emília de Castro Pamplona Resende, condessa de Resende, deixando à data de sua morte, em Paris, quatro filhos como seus descendentes e herdeiros diretos; foram eles António Eça de Queirós, Maria Eça de Queirós, Alberto Eça de Queirós e José Maria Eça de Queirós; portanto três meninos e uma menina.
Através do site Geneall.net, foi possível perceber as linhas genealógicas que se seguiram aos seus filhos. No entanto, nem todos os nomes dos seus bisnetos e trinetos estão aí presentes, com certeza por motivos de ordem pessoal, de resguardo da privacidade, motivos que não podemos questionar. Porém, é possível, pelo menos determinar a existência desses membros da família queirosiana.

De antemão sabemos que não houve descendência por parte de dois dos seus filhos, António Eça de Queirós e de Alberto Eça de Queirós.
Maria Eça de Queirós teve dois filhos, uma menina e um menino, porém a menina morreu muito nova, ficando apenas o menino, de seu nome Manuel Pedro Benedito de Castro, que mais tarde casou com Maria da Graça Salema de Castro, a mulher que se tornou a primeira diretora da Fundação Eça de Queirós, na casa de Tormes, pertença da família da esposa de Eça de Queirós. Como Manuel Pedro Benedito de Castro não teve filhos, sabemos que por este ramo, terminou a descendência do escritor.

Convém, entretanto, acrescentar aqui uma curiosidade. Depois do regresso a Portugal da viúva de Eça, ela e os filhos, foram residir para a casa da Granja, pertencente à família de Sophia de Mello Breyner. Inicialmente como esta casa costumava ser arrendada pela família de Sophia, Emília de Castro, arrendou-a, vindo a compra-la uns anos depois. Portanto, é aqui nesta casa que ela cria os seus filhos, e é onde, José Maria Eça de Queirós, um dos seus filhos, permanece após a sua morte, tendo criado aqui os seus filhos e netos, e tendo aqui também falecido.

Podemos então seguramente afirmar que a sua grande linha de descendência parte do seu filho, com o mesmo nome, José Maria Eça de Queirós, que teve também ele, atente-se à curiosidade, quatro filhos, neste caso, ao inverso, um menino, e três meninas, respetivamente de seus nomes, Manuel Eça de Queirós, Maria das Dores Eça de Queirós, Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós e Emília Maria de Castro Eça de Queirós. Esta ultima, Emília, teve ao que consta nove filhos, sendo que um deles, Afonso Maria Eça de Queirós Cabral, é quem atualmente preside à Fundação acima citada, depois da morte da primeira presidente, referida atrás, Maria da Graça Salema de Castro.

Manuel Eça de Queirós por sua vez teve seis filhos, Maria das Dores Eça de Queirós teve três filhos, e Matilde Maria de Castro de Eça de Queirós, dois filhos. Somados, contabilizamos vinte, os bisnetos do famoso escritor. Seria interessante avançar um pouco mais nos ramos genealógicos e aflorar quem são ou pelo menos, quantos são os trinetos e tetranetos de Eça, por conseguinte fica aqui o desafio, pois é certo que porventura alguns destes descendentes não se conhecem, e nunca terão trocado qualquer impressão sobre o seu ascendente, para uns, bisavô, para outros trisavô, e ainda para outros, tetravô.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Os descendentes de Eça

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios