Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Como escolher seu plano de saúde

Como escolher seu plano de saúde

Categoria: Saúde
Como escolher seu plano de saúde

Sempre que você for adquirir um plano de saúde é bom saber as obrigações legais das empresas, pois existem homens que pagam o modulo obstetrícia sem saber, neste caso, o cliente pode até cancelar o aditivo e pedir a devolução das parcelas quitadas. Escolha sempre um plano de saúde adequado as suas necessidades. E sabia que você deve pedir sempre referencia dos hospitais credenciados, pois nem todos precisam ter cinco estrelas, mas deve ter ao seu dispor uma condição mínima de uma unidade de terapia intensiva (UTI), e ter entre outros tratamentos, sessões de quimioterapia e de radioterapia.

Sempre procure ver e questione sobre alcance territorial do serviço, pois os convênios, mesmo que regionais, tem de prever atendimento em outras localidades e não ter somente na cidade em que você mora. Por lei a empresa deve contar com hipótese de urgência para o usuário em trânsito. Se você preferir o plano de saúde com reembolso, analise o prazo e as condições para devolução do dinheiro, busque sempre um valor compatível com o do mercado, em especial se você já conta com um médico de sua confiança e que lhe atenda por convênio. Sempre se informe sobre seu plano e saiba sobre condições para emissão de guia de autorização para consultas e exames.

Saiba que algumas operadoras exigem a presença do cliente em sua sede em dias e horários limitados. Isso fere o código de defesa ao consumidor. Elas têm de oferecer outros meios, como email ou fax, para disponibilizar o documento. Veja se seu plano de saúde tem cadastro na ANS, pois todas as seguradoras devem ser credenciadas na Agencia Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Antes de fechar contrato com a empresa, confira a nota de atribuída a ela e veja se conta com um desempenho satisfatório na avaliação. Verifique se no tribunal de justiça de seu estado o número de reclamação ou processo da seguradora. Isso é considerado um bom termômetro para medir a aceitação da firma em relação aos demais clientes.

Antes de contratar um plano é bom fazer um teste, ligue no serviço de atendimento ao cliente para ver esse serviço. Tente marcar um exame de rotina e analise a recepção e a rapidez em respostas as suas dúvidas e expectativas. Preste sempre atenção nos pagamentos das mensalidades, saiba que a operadora pode cancelar o contrato quando houver atraso de mais de 60 dias, consecutivo ou não. Mas na pratica, ela deve enviar primeiro uma notificação ao cliente, mas isso nunca costuma acontecer com freqüência. Sendo assim cabe você consultar um advogado. Em geral, as decisões judiciais tem sido favorável aos consumidores. Saiba sempre que serviço prometido deve ser cumprido, pois a propaganda é um compromisso do fornecedor com o cliente. Se não houve o cumprimento de algum serviço divulgado, a justiça garante seus direitos, ou seja, direitos do comprador.

Waldiney Melo

Título: Como escolher seu plano de saúde

Autor: Waldiney (todos os textos)

Visitas: 0

603 

Comentários - Como escolher seu plano de saúde

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios