Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Como é uma consulta no Ginecologista?

Como é uma consulta no Ginecologista?

Categoria: Saúde
Como é uma consulta no Ginecologista?

Informar-se sobre o tipo de pergunta que o ginecologista irá fazer durante a consulta e os possíveis exames físicos que serão realizados é importante não só para que a paciente não tenha surpresas desagradáveis, mas também para que não deixe de ir ao médico por receio.

De acordo com o Dr. Jarbas Magalhães, presidente da Sogesp (Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo), muitas pacientes omitem informações importantes ou deixam de fazer perguntas durante a consulta por vergonha, o que impede o profissional de fazer o diagnóstico e prescrição de tratamentos adequados, além de comprometer a prevenção de doenças.

Dr. Jarbas lista o passo a passo da consulta ginecológica para que a mulher vá preparada para responder questões íntimas e realizar os exames de praxe:

1- Entrevista: primeiramente, o médico irá fazer perguntas sobre seu histórico de saúde, estilo de vida e práticas sexuais.

2- Exame clínico: inclui pesagem e medição de altura, aferição da pressão arterial e auscultação do coração e dos pulmões com estetoscópio.

3- Avaliação das mamas: o médico irá apalpar os seios para detectar nódulos ou outras alterações.

4- Exame ginecológico e coleta de Papanicolau: o exame ginecológico é realizado periodicamente nas mulheres com vida sexual ativa. O Papanicolau consiste basicamente na coleta de material para análise de diagnóstico de alterações nas células cervicais. Para isso, o médico irá passar uma espécie de palitinho na parede da vagina, um procedimento completamente indolor.

5- Outros exames: o médico também pode solicitar outros exames além dos realizados em consultório, como exame de urina, colposcopia, ultrassom de abdome, mama ou transvaginal e mamografia. Estes são realizados em laboratório.

Para algumas mulheres, a primeira visita ao ginecologista é motivo de pânico. Geralmente, esta consulta ocorre após a primeira menstruação, quando o corpo assume comportamentos totalmente desconhecidos pela menina até então. Neste momento, buscar a orientação de um ginecologista sobre o ciclo menstrual e as mudanças que chegam com ele é a melhor opção. As mães, por mais que já tenham passado por isso, não têm a didática nem o mesmo conhecimento de um profissional especializado.

Por falta de informação ou por constrangimento, muitas adolescentes adiam ao máximo este encontro. Entretanto, o acompanhamento ginecológico é indispensável para a saúde de toda mulher. Entre os 11 e os 15 anos, é o momento ideal para a primeira visita ao médico ginecologista¹. Esse profissional acompanhará a mulher ao longo de sua vida, prevenindo e tratando doenças do aparelho reprodutor, bem como outros diagnósticos comuns às mulheres como o de osteoporose, por exemplo.

Para desmistificar este momento tão importante e necessário, respondemos algumas das perguntas mais frequentes quando o assunto é a primeira consulta ao ginecologista.

♥ O que o ginecologista pergunta?

A primeira consulta geralmente é uma conversa informal, na qual o ginecologista faz perguntas sobre doenças da infância, hábitos, ciclo menstrual, doenças na família e histórico de câncer de mama. Dependendo da idade, o médico trará orientações sobre sexo, gravidez e doenças sexualmente transmissíveis. Se você tem queixas ou dúvidas, mesmo que pareçam banais, exponha-as ao seu médico. Tudo ainda é muito novo, então não existe pergunta óbvia.

♥ Vou ter que fazer algum exame?

Se a paciente é virgem, o médico examina apenas os seios, a região abdominal e a parte externa da região genital. Entretanto, se a menina estiver muito nervosa, o ginecologista prefere deixar o exame físico para mais adiante, quando a paciente se sentir confortável para isso. A importância do exame é a prevenção e o diagnóstico de doenças.

♥ Minha mãe deve entrar junto comigo?

A sua vontade será respeitada. Tem menina que prefere que a mãe esteja presente no início, porque ela ajuda a responder as perguntas como a última menstruação, ou sobre o histórico de doenças na família. Por outro lado, quando o assunto são as dúvidas sobre sexualidade, a presença da mãe pode ser constrangedora e prejudicará a consulta. O que pode ser feito é um combinado entre o médico e a mãe sobre o momento certo para deixar sua filha a sós.

♥ O ginecologista vai relatar a consulta aos meus pais?

As conversas entre médico e paciente são sigilosas. Principalmente em se tratando de adolescentes, a segurança de que o ginecologista não vai relatar a consulta aos pais é extremamente importante para que haja confiança e sinceridade. Apenas em casos extremos, se a paciente relatar abusos ou for diagnosticada alguma doença que a coloque em risco de vida, o médico procurará os pais.


Elisangela Lourenço de Oliveira

Título: Como é uma consulta no Ginecologista?

Autor: Elisangela Lourenço Oliveira (todos os textos)

Visitas: 0

186 

Comentários - Como é uma consulta no Ginecologista?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os benefícios do piso laminado

Ler próximo texto...

Tema: Materiais Construção
Os benefícios do piso laminado\"Rua
Ao se realizar uma obra, ou na renovação de ambientes, há sempre muitas opções de técnicas e tecnologias de construção civil, arquitetura e decoração a serem escolhidas da forma mais adequada ao resultado que se espera. O piso adequado ao ambiente que se está construindo ou reformando é uma questão bastante relevante para o sucesso do empreendimento e para o bem-estar dos usuários.

Os tipos de pavimentos ou assoalhos ou revestimentos são diversificados e para cada tipo de ambiente, construção e gosto pessoal há um mais adequado. Pelos inúmeros benefícios que tem apresentado, o piso laminado tem sido bastante escolhido como revestimento nos ambientes modernos. Ele é composto por quatro camadas, feitas de fibras de madeira de alta densidade, lâminas de celulose, lâminas decorativas e filme cristalino de celulose, colados diretamente ao chão. Essa composição garante estabilidade, beleza, resistência, facilitando a limpeza. Somente com estes argumentos já se pode notar as vantagens desse tipo de piso, contudo ainda existem outras.

Os pisos laminados custam menos que os pisos de madeira, seu substrato é ecologicamente correto, já que as madeiras utilizadas na composição desse piso provêm de florestas certificadas e possui fácil instalação, sem a necessidade de pregá-lo ao chão. Além disso, os pisos laminados não precisam de envernizamento como os pisos de madeira que causam mau cheiro e sujeira. Os pisos laminados são mais resistentes que os pisos de madeira devido a sua alta pressão. A superfície dos pisos laminados de alto tráfego contém papel decorativo que garante diversas possibilidades de estampas e combinações.

Existem, portanto, dois tipos distintos de pisos laminados. Os pisos laminados de madeira têm em sua composição madeira natural e são revestidos com verniz. São indicados para ambientes residenciais e menos movimentados. Os pisos laminados de alto tráfego são compostos por madeiras de alta densidade cobertas por papel decorativo. São mais resistentes e, em virtude disso, indicados para ambientes de grande circulação. Podem estar em ambientes residenciais, porém para ambientes comerciais é o ideal.

Os pisos laminados são resistentes à luz do sol, a riscos e a manchas. São práticos devido à diversificada opção de padrões e funcionais devido à facilidade de limpá-lo. Acomodam-se perfeitamente em qualquer ambiente, proporcionando fácil decoração. Entretanto, medidas para mantê-lo em bom estado por mais tempo (apesar da sua alta durabilidade) devem ser tomadas. Colocar proteção na entrada das portas evita a instalação de sujeira e pedras. Forrar móveis e peças decorativas, que entrem em contato com o piso, é recomendado, a fim de não marcá-lo. Esses forros podem ser feitos com tecidos felpudos ou recortes em feltro. Forrar os móveis ao movimentá-los é apropriado para não riscar o piso. Salto alto fino com base metálica também marca esse tipo de piso. Evitar molhar em demasia o piso é necessário, pois caso contrário pode haver o inchamento do piso. Deve-se mantê-lo sempre seco.

Esse tipo de piso também tem a vantagem de não carregar cupins, contudo é preciso verificar as condições de presença desses insetos. Ambientes com cupins requerem a desintetização prévia.

Pesquisar mais textos:

Rosana Fernandes

Título:Os benefícios do piso laminado

Autor:Rosana Fernandes(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    12-05-2014 às 12:45:43

    O piso laminado é muito bom, sua durabilidade é de quase 40 anos e são mais fáceis de manter.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • silvana 22-02-2014 às 18:17:44

    o piso laminada tem durabilidade de quantos anosposso passar pano umido no piso loaminado

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios