Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Máquinas > Como poupar na electricidade

Como poupar na electricidade

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Máquinas
Como poupar na electricidade

Actualmente a elecrtricidade contribui muito para aumentar as despesas com a habitação E, como se trata de um bem essencial nada a pode substituir. Deste modo a solução passa por se reduzir ao máximo o seu consumo.

Uma dos meios que temos ao nosso alcance é substituir as máquinas de lavar roupa, secar ou da loiça por outras de consumo menor, que reduzem em trinta, cinquenta ou setenta e cinco e por cento a electricidade e água.

Estes são os aparelhos domésticos que consomem mais energia, bem como ferro de engomar e esquentador ou caldeira eléctrica.




Os aparelhos eléctricos antigos consomem muito mais energia e água porque não estão ainda preparados para o bem da ecologia e crise. Ao invés os novos já trazem esse elemento tão importante e distingem-se dos outros com a sigla A+++.

Como a diferença do consumo é bastante, há já quem substitua a sua velha máquina por uma nova, já adaptada à crise energética. Como durante o mês é necessário fazer muitas lavagens(cerca de 20 ou mais) certamente que se nota em muito os custos mais baixos.

Outro método é substituír o tarifário da luz por outro mais económico. Por exemplo a tarifa bio horário, em que se tem a possibilidade de lavar a roupa ou engomar por metade do preço, ou seja cinquenta por cento mais económico. Para isso é necessário escolher um horário , todos os dias a partir das dez horas da noite, ou todo o dia ao fim de semana. Não custa nada optar por colocar a trabalhar os aparelhos mais dispendiosos só nestas horas. O resultado traduz-se numa grande poupança ao fim do mês.

Para além de se adoptarem máquinas de consumo reduzido deve- se ainda minimizar o tempo que se gasta nos banhos ou duche diário, substituir as lâmpadas por outras de menor consumo, optar por um frigorífico mais pequeno e de consumo médio e não usar o micro-ondas ou só num problema de falta de tempo para cozinhar.

Todos estes cuidados são bastante úteis para reduzir as facturas da luz e ainda da água.

O ar condicionado e aquecedores eléctricos devem ser ligados só quando está muito frio ou calor intenso porque consomem muita luz.A escolha deve incidir sobre aqueles que gastam menos.

Há muita variedade de aquecedores eléctricos que podemos substituir nesta fase de maior crise.Estes nunca devem ser ligados durante a noite porque além de gastarem muito, podem ser perigosos. Em alternativa pode usar-se a lareira que é menos dispendiosa.


Teresa Maria Batista Gil

Título: Como poupar na electricidade

Autor: Teresa Maria Gil (todos os textos)

Visitas: 0

616 

Comentários - Como poupar na electricidade

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios