Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Arte > A arte barroca e nova mentalidade

A arte barroca e nova mentalidade

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Arte
Comentários: 1
A arte barroca e nova mentalidade

O barroco é um estilo de arte diferente das outras e teve o seu início no século XVII.
Este estilo de arte iniciou-se primeiro em Itália, nomeadamente em roma, e, só depois se expandiu para os otros mundos, ou continentes.

Esta é uma arte de rara beleza, e caracteriza-se pela sua exuberâbncia de corativa, ausência de espaços vazios, ideia de movimento e cores douradas.

É essencialmente uma arte que se dirige aos sentidos, procurando acima de tudo provocar emoção e deslumbramento.

A simplicidade, característica das outras artes, bem como a harmonia e o equilíbrio, típico do renascimento, foram abandonadas.

A arte barroca, expressa na pintura grande exuberância e ostentação, características desta época.. assim são pintados grandiosos quadros, onde se retratavam as famílias da nobreza, muito ricas.

as grandes personalidades realçavam nos quadros, que apresentavam contrastes de luz, cor e sombra.

Na escultura era explorado, o dramatismo das figuras representadas, que procuravam sucitar os sentimentos de quem as observava.

Na arquitetura destacaram-se igrejas com fachadas sobrecarregadas de ornamentos, limhas, curvas e contra-curvas, que davam ideia de movimento. Os interiores eram também ricamente decorados.

esta arte está ligada ao ouro do Brasil em que na marca dos artistas, se sentia o efeito da talha dourada e dos painéis de azulejos.

Estes embelezavam as igrejas, salões, escadarias e jardins da corte e dos palácios.

Assim, as formas de arte do barroco, surgiram associadas aos bailes e espetáculos da corte, dos quais a música e a ópera eram componentes muito importantes.

Foi nesta época que ficaram famosos os bailes do Palácio de Queluz, o gosto pelas cerimónias faustosas e as cenas de Teatro da época.

Os coches eram revestidos de talha dourada, mobiliário e ourivesaria, sinais que denotam a sumptuosidade que caracteriza a corte.

Na verdadepode considerar-se uma arte espetacular, rica e faustosa, que servia a igreja católica, para atraír mais fiéis do que os reias absolutistas.

Deste modo, os reis, tanto em Portugal, como no resto da europa, fizeram construír Palácios, praças, ergueram estátuas e fizeam muitos retratos.

Desta mentalidade e arte, destacaram-se nomes como o de Bernini, Borromini, Rúbenes, Vélasquez ou Rembrandt.

O mais incrível, foi sem dúvida a sua rara e sumptuosa beleza e riqueza, que nunca se esquece.


Teresa Maria Batista Gil

Título: A arte barroca e nova mentalidade

Autor: Teresa Maria Gil (todos os textos)

Visitas: 0

654 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Daniela VicenteDaniela Vicente

    17-09-2012 às 20:22:11

    eu gosto muito do barroco, embora seja um movimento ligado à Igreja. é de uma exuberância decorativa espectacular. quem não fica apaixonado pelo talha dourada? a igreja de São Roque e o Convento de Mafra são dois óptimos exemplos onde o Barroco se acentua. é um dos movimentos que eu gostava de estudara a fundo, mas o barroco português. parabéns pelo seu texto. embora não esqueçamos nomes como Velásquez. nomes incontornáveis.

    ¬ Responder

Comentários - A arte barroca e nova mentalidade

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios