Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Arte > O despoletar de dúvidas na arte

O despoletar de dúvidas na arte

Categoria: Arte
Visitas: 4
O despoletar de dúvidas na arte

As quatro tábuas de Tavira do século XVI, agrupadas em dois dípticos são de autor desconhecido, mas da escola portuguesa do século XVI. Estas foram descobertas por José António Pinheiro e Rosa, em 1945, na ermida de S. Pedro perto de Tavira, quando este andava a recolher informação para o inventário artístico da região. No entanto, era evidente que a obra não tinha sido executada para a ermida de S. Pedro, mas para Igreja de Santa Maria de Tavira. As quatro pinturas têm 1,60 de altura e 0,3 de largura e representam S. Vicente, S. João Batista, S. Pedro e um Santo Bispo, que mais tarde julgou-se ser S. Brás. Pensa-se que as pinturas quinhentistas foram executadas no período de 1518 a 1534. Alberto Sousa viu a obra e ficou muito agradado, o que levou este a aconselhar José António Pinheiro e Rosa a divulgá-las. A 14 de Agosto de 1949, este divulga as tábuas de Tavira em artigo, no jornal Novidades. A 19 de Agosto do mesmo ano envia uma cópia do artigo a João Couto, director do MNAA.

Na segunda metade do século XX, as tábuas entraram no Museu Nacional de Arte Antiga para serem restauradas, pois estavam em muito mau estado. Aqui, são radiografadas nesse mesmo ano para se proceder à sua restauração com segurança. No entanto, as radiografias não deram muita informação. Também submetidas, provavelmente, à luz rasante, as pinturas revelaram alguns relevos. Com fortes suspeitas de pinturas subjacentes começa-se a fazer o levantamento de camadas de pintura e, assim, surgem pinturas quatrocentistas. Esta situação levou a um impasse: manter as pinturas quinhentistas ou removê-las e tornar visíveis as pinturas quatrocentistas. É necessário salientar as limitações por parte do raio X em dar informação sobre as quatro tábuas de Tavira, o que é bastante frustrante para os historiadores de arte, que consideram o raio X um dos melhores métodos para analisar as obras de arte de forma simples.

Em 1955, surge, novamente interesse por estas pinturas, o que vai levar a várias radiografias até à década de 60. Ao contrário do que tinha acontecido quando foram descobertas e observadas no Museu Nacional de Arte Antiga, as radiografias permitiam uma melhor interpretação, pois mostraram a pintura quatrocentista.

Em 1961, chega-se à conclusão que se deve proceder ao levantamento completo da pintura quinhentista e deixar exposta a pintura quatrocentista, argumentando que a sabedoria do pintor da obra tinha sido ignorada e que as obras do século XV tinham melhor qualidade. No entanto, não se sabe bem porquê, só as pinturas de S. Pedro e S. João sofreram o processo de remoção das pinturas quinhentistas.

Daniela Vicente

Título: O despoletar de dúvidas na arte

Autor: Daniela Vicente (todos os textos)

Visitas: 4

619 

Comentários - O despoletar de dúvidas na arte

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Secretária em vidro

Ler próximo texto...

Tema: Mobiliário
Secretária em vidro\"Rua
A maior parte das casas tem um escritório para fazer os trabalhos relativos Á profissão ou outros. È uma divisão extremamente necessária para as pessoas se recolherem a trabalhar. Por isso o escritório deve ser um local com conforto e agradável. O ambiente torna-se extremamente importante para o recolhimento necessário e a concentração que certos trabalhos exigem. Se não se tiver no local de trabalho tem de construir-se em casa.

Em todas as profissões é útil ter uma secretária para colocar um computador portátil. Livros e outros acessórios. É uma peça de mobiliário que não se dispensa de forma nenhuma. Desde sempre que foi indispensável na escola, no escritório, na empresa. A sua funcionalidade é como a do computador que praticamente não se dispensa. Para onde se vá leva-se o computador portátil a servir de complemento.

No que diz respeito à secretária ela exige um bom material e design bonito. E de facto há secretárias muito belas desde o seu modelo ao material e design. Por exemplo uma secretária em vidro fica muito bem num escritório amplo de uma vivenda ou numa empresa particular bem decorada. Pode colocar-se também num pequeno escritório de um apartamento ou numa sala especial e decorada a gosto. Há quem prefira ter uma secretária num espaço pequeno especificamente para trabalho. Deste modo concentra-se mais nele e não pensa no que tem para fazer em casa. Ou seja, dá mais prioridade ao que eventualmente tenha que fazer numa secretária. Para além de ajudar a decorar e embelezar o espaço onde se coloca dá um certo ar de charme e gramou num ambiente. Se este for decorado com objectos bonitos de decoração e uma estante para livros dá um ar mais intelectual ao ambiente. Deste modo mais propício para o recolhimento.

Não é por acaso que muita gente prefere o seu escritório para passar as horas que dispõe no seu quotidiano ou fins – de - semana. É um local propício a pensar mais nos projectos, no trabalho e nos encargos da vida. Deste modo cada divisão da casa tem uma funcionalidade diferente e um ar distinto dos restantes.

Não quer dizer que uma secretária em vidro não fique adaptada noutro local que não seja para o trabalho de estudantes ou outros, ela pode ainda adaptar-se para embelezar ou harmonizar espaços que estejam por preencher numa casa maior ou outro local. Sem dúvida que a secretária em vidro não vai deixar mal nenhum espaço onde se coloque.

Pesquisar mais textos:

Teresa Maria Batista Gil

Título:Secretária em vidro

Autor:Teresa Maria Gil(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    20-04-2014 às 15:52:38

    Fantástico texto! A Rua Direita agradece!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios