Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Arte > A beleza de Da Vinci

A beleza de Da Vinci

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Arte
Visitas: 4
Comentários: 1
A beleza de Da Vinci

Poucos são os que não conhecem, mas mesmo para esses, o nome não lhes é estranho e no mínimo já ouviram dizer qualquer coisa.

Falar de arte, independentemente da era ou época e não falar de Leonardo Da Vinci é quase como cometer um crime.

Se para si Da Vinci foi um pintor, saiba que este homem de ar carregado e assustador, foi muito mais do que isso.

Leonardo di Ser Piero Da Vinci, nasceu em Italia e é ainda hoje considerado uam das personagens mais importantes de toda a história renascentista. Mais do que um pintor, Da Vinci foi inventor, escultor, arquiteto, poeta, músico, matemático e cientista. Foi antes de tudo, um verdadeiro criador.

A busca incessante de Da Vinci pela procura e a ambição desmedida pelo conhecimento aprendizagem e criação, levaram Leonardo Da Vinci a ser reconhecido ainda em vida pelo seu extraordinário talento. Foi-lhe ainda atribuída a distinção de impulsionador da aviação e da balística.

Considerado louco por uns, Leonardo Da Vinci é hoje considerado um dos maiores pintores de todos os tempos.

Nascido de uma relação fogosa entre uma camponesa e um notário, Da Vinci passou toda a sua adolescência rodeado de artistas que o influenciaram positivamente e lhe permitiram que permanentemente se sentisse insaciado pela experiencia de novas técnicas.

Bem cedo, Da Vinci dá mostras do seu potencial quando ajuda o seu mestre Verrocchio a pintar “O Batismo de Cristo”. Neste quadro, o jovem artista retrata um anjo que segura a túnica de Jesus de forma tão superior que o mestre terá decidido nunca mais pintar.

As técnicas trabalhadas e uma imaginação soberba levaram Leonardo Da Vinci a criar o quadro mais conhecido, copiado e mais valioso de todos os tempos – A Mona Lisa (Também conhecida como La Gioconda). Esta obra notável encontra-se protegida no Museu do Louvre em França e foi uma das obras retratadas no fantástico livro “O Código Da Vinci” de Dan Brown.

Neste quadro, o artista mostra-nos a sua técnica de sfumato (após a feitura da pintura a óleo, quando esta ainda se encontra fresca, a tela é pintada com verniz). Se estudarmos bem a pintura do quadro, não conseguimos reparar nas marcas do pincel.

Apesar de outras obras magníficas (“A Virgem dos Rochedos” e “A Última Ceia”), Mona Lisa retrata o perfeccionismo do artista. A apresentação de uma mulher da época, com um sorriso doce e sedutor, e com o carismático olhar que nos persegue.

Um artista com dotes inegáveis e inigualáveis que marcou a história do mundo.


Carla Horta

Título: A beleza de Da Vinci

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 4

662 

Imagem por: oddsock

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Daniela VicenteDaniela Vicente

    17-09-2012 às 21:25:28

    para quem não sabe Leonardo da Vinci foi pintor por acidente. a sua área sempre foi a construção de máquinas inovadoras. as áreas em que dedicou durante a sua vida são inúmeras e em todas foi excelente e deixou um óptimo referencial para os seus percursores. ninguém tem informações que chegue para afirmar que Leonardo da Vinci. muitas são as especulações que envolvem este mestre do Renascimento, mas não se iluda. parabéns pelo tema.

    ¬ Responder

Comentários - A beleza de Da Vinci

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Imagem por: oddsock

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios