Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Arte > O Realismo, o Simbolismo e o Impressionismo

O Realismo, o Simbolismo e o Impressionismo

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Arte
Visitas: 236
O Realismo, o Simbolismo e o Impressionismo

O Realismo é um movimento cultural da segunda metade do século XIX, que se opõe ao Romantismo e tudo o que este movimento defende, como a subjetividade, a beleza, o refinamento, entre outras coisas. Na pintura, destacou-se no tratamento da paisagem e os temas do quotidiano, na reprodução realística, sem exaltações românticas, desapaixonada e neutra. Objetiva e simples. Em França, destacam-se os pintores Camille Corot, Honoré Daumier e Gustave Courbet. O Realismo não foi bem aceite, considerado pelo público burguês desagradável, com temas banais e ofensivos, cores berrantes e falta de requinte na elaboração. O Realismo é um movimento indesejado, que provoca o gosto pelas aparências do burguês.

O Simbolismo é uma corrente artística da segunda metade do século XIX, que alcançou o seu auge em 1880-1890. É um movimento contrário ao Realismo. Pretende transformar a realidade num mundo dos pensamentos e da fantasia. A Idade Média é uma época bela pela sua espiritualidade. A ideia dos pintores deste movimento procuram representar o seu objetivo com uma linguagem especial, com um grande valor espiritual e profundo. Tentam fugir a realidade triste e dececionante, transformando-a em algo mais positivo. Usaram formas e cores para dar vida às suas obras. Tem um desejo de evasão.

O Impressionimo é um movimento do século XIX, que surgiu em França, em 1870. Tem como objetivo captar o objeto na sua dependência momentânea da luz. A sua técnica é muito própria: cores claras e detalhes pictóricos que parecem na obra por acaso. Os seus temas preferidos são as paisagens, a figura humana, o quotidiano e a vida urbana. Em 1870, Monet juntou um leque de amigos que iriam representar os impressionistas: Pierre-Auguste Renoir, Edgar Degas, Camillo Pisarro, entre outros. Os impressionistas pintam ao ar livre para captar a luz. Não fazem esboços preliminares e aplicam a cor pura na tela, sem misturas.

«Trazem-me telas umas atrás das outras. Na atmosfera, reaparece uma cor que tinha visto e captado numa dessas telas. Dão-me rapidamente esse quadro e tento, quanto possível, fixar definitivamente essa visão. Mas, em geral, ela desaparece tão rapidamente quanto surgiu para dar lugar a outra que também já captara num outro estudo (…) E é assim o dia inteiro».
Monet

Daniela Vicente

Título: O Realismo, o Simbolismo e o Impressionismo

Autor: Daniela Vicente (todos os textos)

Visitas: 236

800 

Comentários - O Realismo, o Simbolismo e o Impressionismo

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O meu instrumento musical avariou!

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Instrumentos Musicais
O meu instrumento musical avariou!\"Rua
É inevitável que, mais cedo ou mais tarde, um instrumento musical precise de reparação.

Mesmo que conheçamos bem o nosso instrumento e o consigamos arranjar, na maioria das vezes é necessário um técnico para o fazer com a melhor das qualidades.

Eventualmente, nem será necessário existir um problema com o instrumento, poderá ser apenas uma questão de manutenção. 

No caso de uma guitarra, por exemplo, qualquer instrumentista é perfeitamente capaz de substituir uma corda partida e tirar da guitarra o mesmo som que ela tinha.

No entanto, existem reparações, seja uma amolgadela no tampo ou uma tarraxa arrancada, que convêm ser feitas por técnicos especializados.

Por norma, as próprias casas que vendem instrumentos musicais efectuam essas reparações ou são capazes de aconselhar técnicos para as fazer.

Mediante o instrumento musical em questão, a reparação ou manutenção poderá ser mais cara. É sempre mais fácil arranjar um técnico que repare um piano do que um que arranje oboés.

Apesar de ser normal cuidar do nosso instrumento musical regularmente, os percalços acontecem todos os dias. Para os contornar, há sempre alguém que nos poderá aconselhar melhor do que nós próprios.

Apesar de poder sair mais caro, temos também a certeza de que o nosso instrumento foi arranjado por especialistas no assunto.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:O meu instrumento musical avariou!

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • luiz fabiano 18-02-2012 às 15:48:28

    boa tarde amigos preciso de um cabo flex da lcd da camera g70 se aulguem tiver mande um email obrigado

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios