Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Arte > Descubra o artista que há em si!

Descubra o artista que há em si!

Categoria: Arte
Visitas: 26
Comentários: 1
Descubra o artista que há em si!

A arte constitui um fenómeno presente na vida de toda a gente. Não há quem não tenha jeito para isto ou para aquilo. Uns são dotados para cantar, outros para dançar, pintar, desenhar, escrever, executar trabalhos manuais, saber ouvir, falar bem, negociar, e depois também manipular, ludibriar, mentir, enganar, enfim, toda uma faceta negativa que em nada dignifica a verdadeira arte. Aliás, agora parece que fizeram um novo lançamento para jovens políticos: fraudes descartáveis! É só habilidade…

Ainda hoje, esta componente essencial da existência não é bem compreendida, sendo vista como algo destinado aos tempos livres e nunca como um modo de subsistência. Efectivamente, verifica-se uma grande dificuldade de inserção em alguns domínios profissionais do mundo artístico e a insegurança é uma constante, motivada, em grande medida, pela feroz competitividade e por uma exigência selectiva. Quem opta pela carreira de artista, seja em que vertente for, terá de estar preparado para qualquer eventualidade e abdicar de uma rotina instalada que, para muitos, é fonte de conforto e bem-estar. Não obstante, o sucesso espreita, invariavelmente, os mais talentosos e perseverantes… Eles sujeitam a sua análise, a sua visão da realidade universal à crítica, aos gostos dos outros. Não se pode negar: trata-se de um acto de coragem!

A arte é uma forma de expressão, de comunicação, de testemunho de todo um espólio identificativo e único. Em várias civilizações passadas foi tudo o que restou, pelo que o conhecimento destas se processou através, exactamente, do legado artístico, que subentende uma herança cultural, organizacional, psicológica, social, espiritual, familiar, estética, motivacional, e por aí fora. Autêntico núncio de épocas, a arte surge, em diversos casos, como única sobrevivente, que projecta um viver, mais ou menos longínquo, num tempo e num contexto reais, ajudando a compreender e a consolidar raízes e até padrões genéticos, num enquadramento merecedor de ser imortalizado.

A genealogia da arte corresponde, naturalmente, à genealogia da própria evolução humana e das condições vivenciais dos ancestrais habitantes do Planeta. Uma coisa é certa: se «a necessidade aguça o engenho», as produções artísticas dos nossos antepassados, pela inexistência ou pobreza dos materiais disponíveis, têm ainda mais valor e revelam artistas “de mão cheia”. Há quem diga que para produzir arte basta a simples vontade de a fazer, que ela designa um feito da alma e não do intelecto, que fomos feitos para criar! No dia-a-dia, lida-se continuamente com questões ligadas à composição artística, à combinação das cores, das palavras dos sons, das ideias. Os ingredientes estão lá… à espera de serem manifestados!

Maria Bijóias

Título: Descubra o artista que há em si!

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 26

725 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Jovita CapitãoJovita Capitão

    18-08-2012 às 04:45:18

    Mito bom, o texto. Nota-se que a arte da escrita está presente nas suas palavras.

    ¬ Responder

Comentários - Descubra o artista que há em si!

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Um sinal de compromisso

Ler próximo texto...

Tema: Jóias Relógios
Um sinal de compromisso\"Rua
Exibir uma aliança de compromisso é, frequentemente, motivo de orgulho e, quando se olha para ela, vai-se rodando-a no dedo e fica-se com aquela expressão ridícula na cara.

Uma questão se coloca: qual a razão de estas alianças de compromisso serem tão fininhas: será porque os seus principais clientes, os jovens, são sujeitos de poucas posses (tendendo as mesadas a emagrecer ainda mais com a crise generalizada) ou porque esse compromisso, não obstante a paixão arrebatadora, é frágil e inseguro?

Sim, porque aqui há que fazer cálculos matemáticos: x compromissos vezes y alianças…com um orçamento limitado sobre um fundo sentimental infinito…

Depois, importa perpassar os tipos destas alianças. Há as provisórias, que duram em média quinze dias; há as voadoras, que atravessam os ares à velocidade da luz quando a coisa dá para o torto; há as que insistem em cair do dedo, sobretudo em momentos em que ter um compromisso se revela extremamente inoportuno; e depois há as residentes, que uma vez entradas não tornam a sair.

Os pombos-correios usam anilhas onde figuram códigos que os identificam. Talvez não fosse completamente descabido fazer umas inscrições deste género em algumas alianças de compromisso por aí…

Só para ajudar os mais esquecidos a recordarem a que “pombal” pertencem.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Um sinal de compromisso

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Luene ZarcoLuene

    22-09-2014 às 05:46:10

    Um sinal de amor e lealdade perpétua! Adoro ver os vários modelos de aliança! Vale a pena escolher uma bem bonita!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios