Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Arte > O melhor do artesanato

O melhor do artesanato

Categoria: Arte
Visitas: 10
Comentários: 1
O melhor do artesanato

Portugal é um país cheio de maravilhas, não só naturais, mas também artesanais. Entre muitas, qual delas a mais encantadora, relembro o Bordado da Madeira. Cheio de cor e apesar de simples, muito elaborado, é uma delícia aos olhos de qualquer turista estrangeiro ou nacional. Reconhecidas internacionalmente, as peças de Bordado da Madeira têm uma história e tradição ligadas ao segmento de luxo e muitas foram, e são, as eleitas para cobrir as mesas da aristocracia europeia.

O arquipélago da Madeira foi descoberto e povoado durante o século XV, e julga-se que a origem dos bordados madeirenses remonta a essa altura, quando as fidalgas os faziam como forma de decorar as roupas do lar e o próprio vestuário. Só mais tarde, já no século XIX, é que os bordados adquirem um papel mais relevante na economia insular, sendo utilizados como mercadoria no sistema de trocas da ilha com o exterior, passando a fazer parte da economia dos lares madeirenses como produto mercantil.

Em 1850, é organizada, no Palácio de S. Lourenço, uma exposição das indústrias madeirenses. O interesse britânico por esta exposição foi tão grande, que a Madeira recebeu um convite para participar na Exposição Universal realizada no ano seguinte em Londres. Deste evento resultaram muitas e boas críticas, das quais resultaram exportações para diferentes destinos, como Inglaterra e Alemanha. Diz a tradição que o impulso dado à indústria do bordado, ficou a dever-se a Miss Phelps, filha de um comerciante Inglês residente no Funchal.

O século XX, quando já se contavam milhares de bordadeiras na ilha, foi palco de exportações para todo o mundo: Itália, EUA, França, Singapura, Austrália, Brasil, Holanda, etc. Actualmente, os maiores mercados são Itália, Inglaterra e EUA.

Quem aprecia um trabalho de Bordado da Madeira, é como se olhasse para um pedaço de história. Actualmente, é resultado de diferentes influências, como as rendas de Milão, inglesa, Burano, Burges, do bordado richelieu, veneziano ou da renascença. De todas estas influências, resulta outro tipo de Bordado da Madeira, mais rico e decorativo, contrariamente ao mais antigo, caracterizado por caseados, filas de ilhós, rosetas, estrelas, bordaduras em grinalda, viúvas e cavacas, que podia ser aplicado em toalhas de mão, lenços, lençóis, vestidos e camisas de noite.

Os anos passam, as modas mudam, mas enquanto houver quem aprecie e valorize o trabalho com agulha, este bordado não deixará de existir e de fazer chegar o nome de Portugal além fronteiras.



Cláudia Bandeira

Título: O melhor do artesanato

Autor: Cláudia Bandeira (todos os textos)

Visitas: 10

682 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Numa Leme Ramos Juniorcelia cabral

    10-11-2010 às 15:30:47

    gostaria de conseguir riscos de bordados antigas antes de do seculo 20

    ¬ Responder

Comentários - O melhor do artesanato

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios