Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Arte > O melhor do artesanato

O melhor do artesanato

Categoria: Arte
Visitas: 10
Comentários: 1
O melhor do artesanato

Portugal é um país cheio de maravilhas, não só naturais, mas também artesanais. Entre muitas, qual delas a mais encantadora, relembro o Bordado da Madeira. Cheio de cor e apesar de simples, muito elaborado, é uma delícia aos olhos de qualquer turista estrangeiro ou nacional. Reconhecidas internacionalmente, as peças de Bordado da Madeira têm uma história e tradição ligadas ao segmento de luxo e muitas foram, e são, as eleitas para cobrir as mesas da aristocracia europeia.

O arquipélago da Madeira foi descoberto e povoado durante o século XV, e julga-se que a origem dos bordados madeirenses remonta a essa altura, quando as fidalgas os faziam como forma de decorar as roupas do lar e o próprio vestuário. Só mais tarde, já no século XIX, é que os bordados adquirem um papel mais relevante na economia insular, sendo utilizados como mercadoria no sistema de trocas da ilha com o exterior, passando a fazer parte da economia dos lares madeirenses como produto mercantil.

Em 1850, é organizada, no Palácio de S. Lourenço, uma exposição das indústrias madeirenses. O interesse britânico por esta exposição foi tão grande, que a Madeira recebeu um convite para participar na Exposição Universal realizada no ano seguinte em Londres. Deste evento resultaram muitas e boas críticas, das quais resultaram exportações para diferentes destinos, como Inglaterra e Alemanha. Diz a tradição que o impulso dado à indústria do bordado, ficou a dever-se a Miss Phelps, filha de um comerciante Inglês residente no Funchal.

O século XX, quando já se contavam milhares de bordadeiras na ilha, foi palco de exportações para todo o mundo: Itália, EUA, França, Singapura, Austrália, Brasil, Holanda, etc. Actualmente, os maiores mercados são Itália, Inglaterra e EUA.

Quem aprecia um trabalho de Bordado da Madeira, é como se olhasse para um pedaço de história. Actualmente, é resultado de diferentes influências, como as rendas de Milão, inglesa, Burano, Burges, do bordado richelieu, veneziano ou da renascença. De todas estas influências, resulta outro tipo de Bordado da Madeira, mais rico e decorativo, contrariamente ao mais antigo, caracterizado por caseados, filas de ilhós, rosetas, estrelas, bordaduras em grinalda, viúvas e cavacas, que podia ser aplicado em toalhas de mão, lenços, lençóis, vestidos e camisas de noite.

Os anos passam, as modas mudam, mas enquanto houver quem aprecie e valorize o trabalho com agulha, este bordado não deixará de existir e de fazer chegar o nome de Portugal além fronteiras.



Cláudia Bandeira

Título: O melhor do artesanato

Autor: Cláudia Bandeira (todos os textos)

Visitas: 10

682 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Numa Leme Ramos Juniorcelia cabral

    10-11-2010 às 15:30:47

    gostaria de conseguir riscos de bordados antigas antes de do seculo 20

    ¬ Responder

Comentários - O melhor do artesanato

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os 10 melhores queijos holandeses

Ler próximo texto...

Tema: Alimentação
Os 10 melhores queijos holandeses\"Rua
Os holandeses são conhecidos como “cabeças de queijo”. A partir daí, podemos notar e concluir que não são apenas amantes de queijo, mas também grandes produtores.
O queijo está presente na Holanda há milhares de anos, desde os tempos de Júlio César, que ficou encantado com os queijos que encontrou no local. Desde então, os queijos holandeses dividem espaço com as flores como símbolo da cultura da Holanda, gerando a maior parte do combustível econômico do país.

Os holandeses fabricam 650 milhões de quilos de queijo por ano, exportando dois terços desse volume para outros países. São os maiores exportadores de queijo do mundo.
Além disso, cada cidadão da Holanda come por ano, em média, 15 quilos de queijo.

Conheça os 10 melhores tipos de queijos holandeses:

1- Queijo Gouda
O queijo recebe o nome da cidade onde é produzido e é responsável por dois terços de toda a produção de queijos da Holanda. É o mais famoso e copiado no mundo.
Trata-se de um queijo macio e cremoso, em formato circular, com os famosos furinhos no meio. Pode-se encontrar variações no tempero, como especiarias e ervas finas. Possui um nível elevado de gordura de 48%, mas que garante o sabor único, úmido e macio do queijo. É considerado um dos melhores queijos do mundo.

2- Queijo Edam
É facilmente reconhecido por possuir no seu interior a coloração amarelo claro e camadas vermelhas ou alaranjadas nas partes mais externas. Possui um sabor picante e é mais seco se comparado com o tipo Gouda. Por esses motivos, possui menos gordura, 40%.

3- Queijo Leiden
Possui menor teor de gordura em comparação com os anteriores por se tratar de leite coado na fabricação do queijo. É mais firme e robusto, com consistência mais rígida. Pode conter especiarias em seu interior. Possui maturação mais prolongada e é prensado, o que o torna mais firme. Além de conter pimenta cominho na preparação da sua massa, dando um sabor mais do que especial ao queijo.

4- Queijo Maasdammer
Queijo com sabor de nozes fabricado na cidade de Maasdam. Também possui os famosos buracos no seu interior e um sabor peculiar e distinto. Possui estrutura firme, consistente, devido a sua cura precoce, de aproximadamente quatro semanas.

5- Queijo Cablanca
Esse queijo de cabra é classificado de duas maneiras: um tipo é fresco e mole, mais suave e cremoso; o outro é semiduro e curado, semelhante ao aspecto dos queijos gouda.
Os primeiros possuem sabor agradável e leve, por serem mais frescos. Enquanto os segundos possuem sabor mais forte e cítrico.

6- Queijo Boerenkaas

Queijo feito essencialmente de forma artesanal, o que o torna um queijo único e exclusivo, além de mais caro que os demais. Pelo menos metade do leite utilizado na fabricação desse queijo deve ser originário de vacas que são criadas na própria fazenda produtora. Além disso, o restante do leite utilizado não pode ser proveniente de mais do que duas fazendas diferentes e próximas ao local original de produção do queijo.

7- Queijo Defumado
Esse tipo de queijo é um pouco diferente dos demais. É fabricado e praticamente finalizado, após isso, é derretido e novamente prensado em formato de embutidos. É geralmente vendido por fatia, em formato de linguiça.

8- Queijo de cravo da Frísia
É um queijo preparado de leite desnatado na região da Frísia.
Além do cominho, leva na fabricação da sua massa pitadas de cravo. Isso garante a esse queijo um sabor forte, seco e rústico. Sua consistência é firme.



9- Queijo Parrano
É um queijo de vaca que possui um sabor que combina com doces aromas.
É um queijo feito nos moldes dos queijos italianos, parecido com a textura do parmesão. Por isso mesmo, é bastante usado na gastronomia italiana.

10 – Queijo Graskaas

Esse queijo é especial pois é feito a partir do primeiro leite produzido pelas vacas após retornarem da pastagem, depois de passarem o inverno trancadas nos celeiros.

Pesquisar mais textos:

Filipe Mixa

Título:Os 10 melhores queijos holandeses

Autor:Filipe Mixa(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios