Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > Coração - Henrique e as crianças bondosas

Coração - Henrique e as crianças bondosas

Categoria: Literatura
Coração - Henrique e as crianças bondosas

Henrique é uma criança que escreve um diário. «Coração» é precisamente o compêndio dessas histórias recheadas de ternura e comoção vividas na primeira pessoa, principiando com a narração do primeiro dia de aulas. Este dia evoca, para Henrique, uma série de reencontros e o retorno a um quotidiano rotineiro, mas também as saudades das recém terminadas férias.

Este romance do italiano Edmundo de Amicis (1846-1908) versa episódios que aludem ao dia-a-dia de Henrique no decorrer do ano lectivo. O relato dos acontecimentos por parte de um miúdo cuja visão está carregada de inocência, de bondade e de toda a normal panóplia de virtudes da infância apresenta-se comovedor, mormente pela paixão e detalhe na descrição destas virtudes.

De cariz reconhecidamente moralizador, o autor deixa transparecer esta sua tendência através da criação de uma ambiência repleta de virtuosidade, num mundo de seres que buscam a perfeição e para ela trabalham afincadamente, no sentido de se tornarem irrepreensíveis.

Trata-se de uma sucessão de ocorrências, divididas consoante os meses do ano, que, apesar de estarem enleadas do ponto de vista cronológico, gozam de independência entre si. O registo de escrita, todavia, é comum a todas elas: um estilo familiar e simultaneamente coloquial, ao alcance, inclusive, de leitores de palmo e meio. Leitores cujas alegrias e tristezas, venturas e desventuras pessoais e familiares não serão, com certeza, muito divergentes das vividas pelas personagens.

As “viagens” por características como a bondade, a compaixão pelo próximo, o amor pela pátria e o orgulho nacional cabem, igualmente, numa linguagem com nota dominante para a ingenuidade. Naturalmente que Edmundo de Amicis faz reflectir nestas passagens a sua própria experiência de vida, identificando-se com inúmeros aspectos daquilo que escreve. Por exemplo, o facto de ter sido oficial da Escola Militar de Modena e de ter participado em diversas batalhas estará na origem do seu respeito pelas hierarquias (note-se que nesta obra as figuras de autoridade – pai e professores – são colocadas e mantidas num patamar superior) e pelo constante salientar da importância do espírito de união e de uma verdadeira fraternidade.

A preocupação do autor em construir um legado de formação que eduque a mente e o coração dos jovens (mas também dos adultos!) com ensinamentos, valores e sentimentos já quase desconhecidos está bastante patente nesta publicação da colecção «Livros que nos ajudam a crescer», editada pelo jornal «Público». O que mais emociona neste livro é a maneira como Edmundo de Amicis lida com um determinado género de escrituras deixadas em forma de carta pelo seu pai, a sua mãe, a sua irmã e os seus professores, que, de um modo ou de outro, lhe ensinam valores éticos, morais e sociais. É uma óptima leitura para quem pretenda tornar estes valores (para si próprio ou para um educando) menos abstractos…!


Maria Bijóias

Título: Coração - Henrique e as crianças bondosas

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 0

631 

Imagem por: qthomasbower

Comentários - Coração - Henrique e as crianças bondosas

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O que é uma Open House?

Ler próximo texto...

Tema: Imóveis Venda
O que é uma Open House?\"Rua
Este é um tema que vem pôr muito a lindo o trabalho de alguns mediadores imobiliários e do seu trabalho.

Quando temos um imóvel para vender, muitos são os métodos a utilizar e os meios que nos levam até eles para termos o nosso objetivo cumprido – A venda da Casa.
Quando entregamos o nosso imóvel para que uma mediadora o comercialize, alguns aspetos têm de ser tidos em conta, como a legalidade da empresa e quem será a pessoa responsável pela divulgação da sua casa, mas a ansia de vermos o negócio concretizado é tanta, que muitas vezes nos escapa a forma como fazem a referida divulgação e publicidade do imóvel.

Entre anúncios na internet e as conhecidas folhas nas montras dos estabelecimentos autorizados, muitas mediadoras optam por fazer uma ação que está agora muito em voga que é uma Open House. Mas afinal, o que é isto de nome estrangeiro que tanto se vê pelas ruas e em folhetos de anúncio?

Ora bem, a designação em Português é muito simples – Casa Aberta. E na realidade, uma Open House é isso mesmo. Abrir uma Casa para que todos a possam ver. NO entanto, requerem-se alguns aspetos que as mediadoras normalmente preveem, mas que é fundamental que o proprietário do imóvel também tenha consciência e conhecimento.

Por norma as imobiliárias só fazem este tipo de intervenção e ação em imóveis que têm como exclusivo, isto é, quando é uma só determinada mediadora, a autorizada a poder comercializar o imóvel.

Em segundo lugar, este tipo de ação de destaque requer à mediadora custos com tempo, recursos humanos e financeiros.
A mediadora começa por marcar um dia próprio que por norma é datado para um feriado ou fim de semana. Faz então publicidade local através de folhetos e flyres anunciando a Open House, o dia e a hora, tal como o local. Muito provavelmente serão tiradas fotografias ao seu imóvel.

Através de redes sociais também poderão ser divulgadas as ações.
No dia da Open House, o local será indicado com publicidade da sua casa e da imobiliária e começarão a aparecer visitas ao imóvel.

Sugiro que não tenha mobiliário e muito menos valores em casa. O ideal será o imóvel estar desocupado de todos e quaisquer bens, por uma questão de segurança, mas também porque as áreas parecerão maiores e isso com toda a certeza ajuda à venda.

A imobiliária será responsável pela limpeza e trato do imóvel, pelo que se ocorrerem danos, serão eles os responsáveis.
Neste tipo de ações, é normal que a concorrência das imobiliárias apareça e faça parcerias que para si só trará vantagens.

Uma Open House pode não ser uma ação de destaque em Portugal, mas por exemplo nos Estados Unidos, é o normal e mais agradável. Os clientes não se sentem pressionados como numa visita normal e os negócios concretizam-se com muito mais rapidez e naturalidade.

Pesquisar mais textos:

Carla Horta

Título:O que é uma Open House?

Autor:Carla Horta(todos os textos)

Imagem por: qthomasbower

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios