Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > “A filha da minha melhor amiga” – Uma leitura obrigatória

“A filha da minha melhor amiga” – Uma leitura obrigatória

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Literatura
Visitas: 2
“A filha da minha melhor amiga” – Uma leitura obrigatória

Existem quem goste de um romance arrebatador, daqueles que nos fazem apaixonar só pelo título, existem aqueles a quem uma boa aventura literária é o ideal. Se considera que o seu ideal não é nem o preto nem o branco, apaixone-se pelo meio-termo que passo a apresentar.

Este cinzento conta uma verdadeira história de vida, que nos faz pensar e refletir. Obriga-nos a colocar em causa valores e convicções que julgamos certos.

A autora já apresentou excelentes obras nas livrarias, mas se procura emocionar-se, sorrir, ter o prazer de alegrias e tristezas, sonhar, voar e muitas, muitas outras emoções em corrupio, compre o livro – “A filha da minha melhor amiga”.

Kamryn e Adele são as melhores amigas e confidentes. Compartilham segredos, tristezas ternuras e apostam todas as fichas em como nunca nada nem ninguém as poderá separar.

Quando faltam poucos dias para casar, Kamryn descobre o impensável – Adele envolvera-se com o seu namorado. Dessa relação ilícita, Adele engravida e nasce Tegan.

Anos mais tarde, e sem saber noticias da sua ex-melhor amiga, Kamryn recebe um postal de Adele. Esta pede-lhe para que se encontrem no hospital.

Cheia de coragem por enfrentar o seu passado, Kamryn fica desarmada quando Adele lhe diz que está a morrer e que quer que Kamryn adote a sua filha.

Sem estar pronta para perdoar, Kamryn sente-se perdida no pedido que a amiga lhe faz e pensa em desistir. A vida a que está habituada não lhe permite a presença de crianças, e não se deseja envolver numa causa que não julga sua.

A braços com a morte da sua amiga, Kamryn acaba por acolher a filha ilegítima de uma relação da sua melhor amiga com o seu ex-namorado. Percorrendo várias adversidades, cumpre a promessa de proteger aquilo que resta da pessoa que mais amou – a sua melhor amiga.

Deixo-vos um pequeno trecho:

…” A minha melhor amiga sabia que eu a amava incondicionalmente, pois tinha-me deixado a sua recordação mais preciosa. Tinha-me confiado o seu único e verdadeiro amor. E adotar Tegan, transformar a filha da minha melhor amiga na minha filha, era todo o perdão que Adele poderia ter precisado…”

De chorar, rir e tremer de emoção, este livro é uma curiosa revelação que exige uma reflexão extrema. Profundamente emotivo, este livro vai marcá-lo com toda a certeza. O perdão e a amizade como motes principais, obrigam-nos a várias perguntas interiores. Até que ponto seremos capazes de perdoar!


Carla Horta

Título: “A filha da minha melhor amiga” – Uma leitura obrigatória

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 2

769 

Imagem por: Pink Sherbet Photography

Comentários - “A filha da minha melhor amiga” – Uma leitura obrigatória

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os primeiros brinquedos

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Brinquedos
Os primeiros brinquedos\"Rua
O brinquedo é mais do que um objecto para a criança se divertir e distrair, é também uma forma de conhecer o mundo que tem ao seu redor e para dar asas à sua imaginação. Desta forma, os brinquedos sempre estiveram presentes na sociedade.

Os primeiros brinquedos datam de 6500 anos atrás, no Japão, em que as crianças brincavam com bolas de fibra de bambu. Entretanto há 3000 anos surgiram os piões feitos de argila e decorados, na Babilónia.

No século XIII apareceram os soldadinhos de chumbo, porém só eram acessíveis às famílias nobres. Cinco séculos mais tarde, apareceram as caixas de música, criadas por relojoeiros suíços.

As bonecas são muito antigas, surgiram enquanto figuras adoradas como deusas, há 40 mil anos, mas a primeira fábrica abriu apenas em 1413 na Alemanha. Barbie, a boneca mais famosa do mundo, foi criada em 1959, mas ainda hoje é das mais apetecíveis pelas crianças.

O grande boom dos brinquedos aconteceu quando se descobriu o plástico para o fabrico. Mesmo assim, muitas famílias não podiam comprar brinquedos aos filhos, como tal, estes utilizavam diversos tipos de materiais e construíam os seus próprios brinquedos.

Actualmente, as crianças têm acesso a uma enorme variedade de brinquedos, desde bonecas, a carros telecomandados, a videojogos… Educativos ou apenas lúdicos, há de tudo e para todos os gostos e preços.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Os primeiros brinquedos

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • umdolitoys 23-01-2013 às 05:46:38

    Adorei a reportagem! e tenho algo para vocês verem!!

    Espero que gostem!!!

    ¬ Responder
  • sofia 22-07-2012 às 21:56:29

    Achei muito interecante e muito legal saber que ano foi fabricadoas bonecas

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios