Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Vestuário > Dê uma reviravolta ao seu armário

Dê uma reviravolta ao seu armário

Categoria: Vestuário
Visitas: 12
Comentários: 3
Dê uma reviravolta ao seu armário

No que toca a arrumações, nada me agrada mais do que chegar a casa com novas peças de roupa e arrumá-las no armário. Nada me motiva mais a arrumar o guarda-roupa! Gosto de retirar peças que já não visto, quer seja por me ter desgostado delas, ou apenas porque não me parece que me favoreçam – dou por mim a pensar no dia em que também elas foram novas e como estava feliz com a sua aquisição !!

Como qualquer mulher, gosto de ter peças de roupa para ocasiões distintas: peças mais casuais, roupa para o dia-a-dia e um número reduzido de toiletes de cerimónia. Como tal, há que saber dividir e arrumar o armário da forma mais prática e de acesso rápido às roupas mais requisitadas.

O ideal é possuir um armário que comporte gavetas, cabides e, ocasionalmente, uma zona em que pode arrumar roupa dobrada, empilhando peça sobre peça.

Nos cabides, que devem ser de diferentes formatos e objectivos, opte por arrumar calças, saias, camisas, coletes, casacos, calções, blusões, vestidos e blusas ou camisolas mais finas. Reserve a zona menos acessível do roupeiro para a roupa de cerimónia e casacos de inverno de grande volume. Na época do frio, poderá alterar esta ordem, destinando o espaço menos alcançável a vestidos e outras roupas de verão.

Nas gavetas, tem duas opções: pode colocar roupa de estações diferentes da actual, impedindo que se sujem e onde menos a perturbarão; ou então, pode optar por arrumar roupa interior, meias, collants ou pequenas peças que utiliza todo o ano. Pessoalmente, gosto de destinar as gavetas a roupa que não uso durante meses, libertando o espaço que resta às peças que utilizo naquela estação.

Para quem tem espaço, sugiro que separe as peças de roupa consoante a sua natureza ou objectivo. Por exemplo, gosto de separar as camisolas de lycra das restantes e separo as que normalmente utilizo para jantar fora ou sair à noite num local distinto. Assim, na altura de escolher, não perco tanto tempo à procura do que quero, pois sei à partida a zona onde muito provavelmente estará a roupa que pretendo.

Para mim, esta forma de arrumação faz sentido e aplica-se da melhor formas ao espaço que tenho. Existem no mercado várias soluções para arrumação. Procure informar-se sobre estas e perceber quais são as que melhor se adequam a si e ao seu armário.



Cláudia Bandeira

Título: Dê uma reviravolta ao seu armário

Autor: Cláudia Bandeira (todos os textos)

Visitas: 12

638 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 3 )    recentes

  • SophiaSophia

    09-06-2014 às 01:41:41

    Tento evitar deixar o armário bagunçado, pois quando se procura uma roupa, acabamos não encontrando. É tão importante deixá-lo bem organizado, ainda mais ao sair de casa para trabalhar.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoCarla Horta

    09-09-2012 às 12:31:19

    Como tenho armários grandes e bastante espaço, optei por colocar uma peça de roupa por cada cabide e está dividido em categorias e cores. por exemplo, saias de um lado, separadas por cores, calças também e depois camisas e casacos. Até nas prateleiras das camisolas está assim. Para arrumar é mais fácil também.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoClarinha

    24-08-2009 às 12:17:34

    Oi..estive lendo este artigo e uma boa ideia é tambem arrumar a roupa por cores..ou seja os tops pretos todos juntos, camisolas de malha azuis todas juntas e etc..è muto prático para quem tem bastante roupa..Sempre que queremos um top preto já sabemos onde esta.

    ¬ Responder

Comentários - Dê uma reviravolta ao seu armário

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Pulp Fiction: 20 anos depois

Ler próximo texto...

Tema: Arte
Pulp Fiction: 20 anos depois\"Rua
Faz hoje 20 anos que estreou um dos mais importantes ícones cinematográficos americanos.

Pulp Fiction é um marco do cinema, que atirou para a ribalta Quentin Tarantino e as suas ideias controversas (ainda poucos tinham visto o brilhante “Cães Danados”).

Repleto de referências ao cinema dos anos 70 e com uma escolha de casting excepcional, Pulp Fiction conquistou o público com um discurso incisivo (os monólogos bíblicos de Samuel L. Jackson são um exemplo disso), uma violência propositadamente mordaz e uma não linearidade na sucessão dos acontecimentos, tudo isto, associado a um ritmo alucinante.

As três narrativas principais entrelaçadas de dois assassinos, um pugilista e um casal, valeram-lhe a nomeação para sete Óscares da Academia, acabando por vencer na categoria de Melhor Argumento Original, ganhando também o Globo de Ouro para Melhor Argumento e a Palma D'Ouro do Festival de Cannes para Melhor Filme.

O elenco era composto por nomes como John Travolta, Samuel L. Jackson, Bruce Willis, Uma Thurman e (porque há um português em cada canto do mundo) Maria de Medeiros.

Para muitos a sua banda sonora continua a constar na lista das melhores de sempre, e na memória cinéfila, ficam eternamente, os passos de dança de Uma Thurman e Travolta.

As personagens pareciam ser feitas à medida de cada actor.
Para John Travolta, até então conhecido pelos musicais “Grease” e “Febre de Sábado à Noite”, dar vida a Vincent Vega foi como um renascer na sua carreira.

Uma Thurman começou por recusar o papel de Mia Wallace, mas Tarantino soube ser persuasivo e leu-lhe o guião ao telefone até ela o aceitar.

Começava ali uma parceria profissional (como é habitual de Tarantino) que voltaria ao topo do sucesso com “Kill Bill”, quase 10 anos depois.

Com um humor negro afiadíssimo, Tarantino provou em 1994 que veio para revolucionar o cinema independente americano e nasceu aí uma inspirada carreira de sucesso, que ainda hoje é politicamente incorrecta, contradizendo-se da restante indústria.

Pulp Fiction é uma obra genial. Uma obra crua e simultaneamente refrescante, que sobreviveu ao tempo e se tornou um clássico.
Pulp Fiction foi uma lição de cinema!

Curiosidade Cinéfila:
pulp fiction ou revista pulp são nomes dados a revistas feitas com papel de baixa qualidade a partir do início de 1900. Essas revistas geralmente eram dedicadas às histórias de fantasia e ficção científica e o termo “pulp fiction” foi usado para descrever histórias de qualidade menor ou absurdas.

Pesquisar mais textos:

Carla Correia

Título:Pulp Fiction: 20 anos depois

Autor:Carla Correia(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios