Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > Em Busca da Felicidade

Em Busca da Felicidade

Categoria: Literatura
Visitas: 2
Em Busca da Felicidade

A felicidade constitui, sem dúvida, o objectivo mais ansiado por todo o ser humano e em cuja busca assenta o estudo, o matrimónio, o trabalho, as férias e tudo o que compõe a vida. A questão, para lá da evidente subjectividade que o conceito sugere, é o que realmente se faz pela tão almejada felicidade e, já agora, aquilo que se permite destruí-la. Na verdade, por vezes é preciso muito pouco para que esse prazeiroso “inexprimível nada” (concepção de um poeta italiano) seja barbaramente violado.

Definir a felicidade revela-se, à semelhança do que acontece com a generalidade dos termos positivos, substancialmente mais difícil do que fazê-lo relativamente ao seu oposto. Parece que é sempre mais simples dizer o que uma coisa não é do que o que é! Ainda assim, dez autores de língua portuguesa reuniram esforços, ideias e experiências e compilaram nas 144 páginas do livro «Em Busca da Felicidade», reimpresso em 2009 pelas edições Dom Quixote, dez contos inéditos acerca da felicidade, sendo oito deles realmente recentes.

Esta obra contou com a colaboração de três vencedores do Prémio Saramago e de outros nomes sonantes da literatura. Valter Hugo Mãe é, sem dúvida, a grande presença desta colectânea. A sua narrativa incide, como aliás já é hábito, num contexto rural e profundo, tendo, desta feita, como protagonista um sujeito que se envolve com mulheres casadas até as fazer viúvas e depois as deixa. A fábula de Maria do Rosário Pedreira aproxima-se bastante desta espécie de maldição sexual que recai sobre amores libertinos, enquanto Maria Antonieta Preto envereda por algo mais chegado à realidade com um toque de magia.

Maria Dulce Cardoso apresenta uma pequena história de um casal em tempo de descanso, em que nada de espacial ocorre, irrompendo a felicidade como significação de beleza, e de beleza como um estado de espírito de plenitude. Não obstante, a fragilidade deste tipo de pseudo-felicidade é passível de ser abalado por um simples insecto!

José Luís Peixoto antevê a felicidade sexual de um casal antes da consumação do que quer que fosse, sendo o sentimentalismo e o engenho as balizas do programa contido no seu texto.

João Tordo ostenta um estilo mais jornalístico, relatando um caso de tirania racial investigado por um português em Londres. Como não apela ao coração, é pouco envolvente.

Ondjaki imprime uma marca africana, onde os cheiros são componente fundamental (não apenas dos cenários mas também do desejável entrosamento do leitor no contexto) que descrevem, só por si, ambientes, elementos, pessoas e objectos. Pepetela, por seu turno, aporta uma trama revanchista incluindo autores angolanos no exílio.

Lídia Jorge conta a descoberta do cristianismo por duas crianças que não admitem que o Menino deitado nas palhas seja a mesma Pessoa que se vê pregada numa cruz. Inspiradas pela ingenuidade, as crianças fazem desaparecer uma imagem religiosa de grande valor. Lídia Jorge parte de uma suposta memória infantil para diferençar o que no cristianismo é bondade do que é sofrimento (ao contrário de Patrícia Reis, que de forma mais infeliz coloca Deus como personagem). Trata-se de uma ideia de felicidade no âmbito de uma ilusão infantil.


Maria Bijóias

Título: Em Busca da Felicidade

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 2

676 

Imagem por: Pink Sherbet Photography

Comentários - Em Busca da Felicidade

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O Mito da Entrevista de Emprego

Ler próximo texto...

Tema: Empresariais
O Mito da Entrevista de Emprego\"Rua
Aguardando há meses pela oportunidade de um novo emprego e após ser aprovado em várias etapas do processo de seleção eis que surge um empecilho: a entrevista de emprego.

Diversas dúvidas passam pela cabeça do candidato como o que vestir, como sentar-se, qual o tom de voz adequado, o que o entrevistador espera como resposta e como impressioná-lo provando ser a pessoa certa para a vaga a ser ocupada.

A verdade é que não há regra que garanta o sucesso em uma entrevista, porém, algumas atitudes e cuidados precisam ser tomados. Abaixo seguem 10 dicas que auxiliarão o candidato enfrentar essa fase do processo de seletivo de forma mais segura, não importando a área ou cargo pretendido.

1. Seja pontual. A pontualidade é uma forma de demonstrar respeito, consideração e compromisso com a empresa, porém, ser pontual não significa ser precipitado, chegando com muito tempo de antecedência. Para isso programe-se: quanto tempo você levará para chegar até o local combinado para a entrevista? E se houver algum tipo de atraso? Programe-se para que os prazos possam ser cumpridos. Se o atraso for inevitável entre em contato com a empresa e explique o motivo para o mesmo solicitando a possibilidade de remarcar o compromisso.

2. Vista-se de maneira condizente ao cargo que irá ocupar. Mesmo parecendo ser uma superficialidade, a forma como o candidato se veste pode influenciar a decisão do entrevistador, portanto, causar uma boa impressão é essencial. Para isso pesquise o perfil da empresa, se possível observe a forma como os funcionários se vestem e use na entrevista algo um pouco mais formal do que usaria todos os dias para ir ao trabalho.

3. Zele por uma boa aparência. Como descrito acima causar uma boa impressão é essencial, dessa forma, a higiene pessoal é indispensável. Vale ressaltar que perfumes e maquiagem exagerados são pontos negativos em uma entrevista.

4. Tenha em mente suas principais realizações profissionais e as evidencie. Quais os principais desafios que essas lhe trouxeram e o que aprendeu em cada uma delas. Se é seu primeiro emprego vale ressaltar suas experiências escolares e acadêmicas como trabalhos em grupos, projetos realizados, programas de estágio e trainee.

5. Tenha atitudes positivas. Um método de entrevista consiste em perguntas aparentemente absurdas que não possuem, necessariamente, respostas prontas. O que ele deseja na verdade é avaliar seu raciocínio lógico, portanto, seja criativo, argumente e crie estratégias para sair dessa saia justa.

6. Seja genuíno e autentico. Mesmo estando sob pressão seja você na entrevista. Não minta nem use máscaras. O recrutador provavelmente perceberá que você não está sendo sincero.

7. Tenha argumentos. “Por que você quer trabalhar aqui?” ou “Quais serão suas contribuições para essa empresa?” são perguntas básicas em uma entrevista de empregos. Portanto, tenha bons argumentos para esses questionamentos.

8. Mostre-se interessado. Faça perguntas plausíveis ao entrevistador.

9. Seja gentil e educado a todo o momento. Muitas empresas costumam analisar o candidato no momento em que esse inicia o processo seletivo.

10. Mostre-se confiante. Se você fará a entrevista de emprego é porque já passou por outras fases do processo seletivo, ou seja, tem muitos pontos a seu favor. Acredite no seu potencial .

Outros textos do autor:
O Mito da Entrevista de Emprego

Pesquisar mais textos:

Mabelly Venson

Título:O Mito da Entrevista de Emprego

Autor:Mabelly Venson(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios