Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Automóveis > Como saber se o combustível foi adulterado

Como saber se o combustível foi adulterado

Categoria: Automóveis
Visitas: 16
Comentários: 2
Como saber se o combustível foi adulterado

A gasolina ou álcool adulterado representa lucratividade para o vendedor, prejuízo para o consumidor e traz várias consequências negativas para o veículo. Entende-se por combustível adulterado todo aquele combustível que não se enquadra nos padrões legais, possuindo mais solventes ou álcool do que a lei permite. Muitos postos de combustíveis não respeitam a lei e isso garante aos donos uma boa rentabilidade. Contudo a adulteração de combustível é crime e deve ser denunciada. Para detectar a adulteração são necessários fiscais e laboratórios especializados visto que especificamente a adulteração de gasolina é difícil de ser verificada. A demanda de postos de combustíveis é muito grande em determinados locais o que gera maior dificuldade no controle e na fiscalização. O mais indicado ao consumidor é procurar as grandes redes que são mais confiáveis e mais comumente vistoriadas.

Diante desse contexto é bastante relevante saber sobre os “sintomas” do uso de combustíveis adulterados. Um dos fatores mais facilmente detectados quando combustíveis adulterados são utilizados é o consumo aumentado n o veículo sem motivos. Além disso, um indicativo forte de que algo está errado é o desempenho do motor, que piora principalmente em subidas. Outras características de automóveis que estão usando combustível adulterado são: a dificuldade de dar partida e as paradas do carro em sinaleiras ou no trânsito. A médio e longo prazo há um desgaste do motor, ocasionando prejuízo no desempenho e na vida útil de suas peças. Motor falhando e perda na potência do carro são, também, grandes indícios de combustível adulterado. A aceleração do carro fica mais lenta, há irregularidade na marcha lenta entre outros sintomas.

Utilizando esse tipo de combustível o consumidor se prejudica de várias maneiras, pois além de gastar mais em combustível devido ao aumento no consumo do automóvel, provavelmente também gastará mais na manutenção do carro, visto que é provável que o uso contínuo desse tipo de combustível ocasione problemas no automóvel tendo este que ir à conserto. Isso sem mencionar o risco de possíveis acidentes em virtude dos vários defeitos que esse uso pode ocasionar.

Dentre esses defeitos estão: o entupimento da bomba de gasolina, o derretimento das mangueiras de combustível, carburador entupido, a poluição do óleo lubrificante, o aumento da carbonização das velas e válvulas, a corrosão do sistema de injeção eletrônica e o acúmulo de resíduos na parte interna do motor. Em carros especificamente movidos à álcool, os prejuízos ainda podem ser maiores com o derretimento além das velas e válvulas, também da cabeça dos pistões. Para acabar com o problema é preciso limpar o tanque, os bicos injetores e trocar as mangueiras e os filtros de combustível.

Diante do exposto, fica claro que cuidados devem ser tomados na hora de abastecer. Preços muito baixos, assim como grandes diferenças em relação à preço em locais diferentes de uma mesma região devem gerar certa desconfiança no consumidor. Abastecer sempre no mesmo posto é uma dica para se ter maior confiança. Pedir a nota fiscal também é um bom procedimento para garantir a prova da procedência do combustível. Também é importante observar o consumo do carro no mesmo trajeto em momentos diferentes para verificar se não há nenhum aumento repentino de consumo.

Em caso de desconfiança o indicado é denunciar para as devidas fiscalizações legais. Há serviços de atendimento ao consumidor via telefone ou internet em que se pode saber dos preços do combustível em diferentes localidades. É possível também saber que postos já tiveram reclamações quanto à adulteração de combustíveis. Verificar o controle de qualidade do estabelecimento é bastante relevante. No próprio local, caso desconfie, o consumidor pode pedir um teste do combustível. Pela lei o posto deve disponibilizar e realizar esse teste. Caso se negue a fazê-lo, também deve ser denunciado.


Rosana Fernandes

Título: Como saber se o combustível foi adulterado

Autor: Rosana Fernandes (todos os textos)

Visitas: 16

780 

Imagem por: crabchick

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • Pedro HP

    26-11-2012 às 18:18:46

    Boa orientação! Vale constar uma coisa: não é garantia de que grandes redes de postos são seguras. Uma amiga teve o motor do seu carro fundido devido a combustível adulterado e segundo ela só abastecia nos postos Ale. Sugiro que sempre ao abastecer guardar o comprovante.

    ¬ Responder
  • José Ataliba SilvaJosé Ataliba Silva

    23-06-2012 às 21:13:54

    Semana passada a Unicamp, uma das maiores universidade da america latina, divulgou o lançamento de um aparelho para uso em postos, realiza o teste de qualidade em menos de um minuto, abastecer onde tem o aparelho é uma saída. http://www.unicamp.br/unicamp/noticias/2012/06/13/empresa-graduada-na-incamp-lanca-tecnologia-no-inovacampinas

    ¬ Responder

Comentários - Como saber se o combustível foi adulterado

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Dicas para decorar salas pequenas.

Ler próximo texto...

Tema: Decoração
Dicas para decorar salas pequenas.\"Rua
A realidade das grandes cidades é que a maioria das pessoas mora em espaços pequenos. É fato também que todos desejam ter um ambiente acolhedor e aconchegante para receber amigos. Em contrapartida, na medida em que os espaços encolhem, a quantidade de aparelhos eletrônicos que utilizamos aumenta cada vez mais. Há ainda quem use a sala como home-office.

Nesta busca de inspiração para organizar e incrementar sua sala, encontramos uma série de sites especializados e blogs com muitas, muitas ideias. O conceito de D.I.Y. (do it yourself) que significa "faça você mesmo” nunca esteve tão na moda. É uma alternativa para reduzir gastos com mão de obra e nada melhor do que criar um espaço com um toque todo seu. Inspirações e ideias não faltam. Hoje, de certa forma todos nos sentimos meio decoradores.

Mas planejar a decoração de uma sala pequena exige alguns cuidados para que o ambiente não fique entulhado de móveis, disfuncional ou até mesmo desagradável.

Confira algumas dicas para decorar sua sala com estilo e valorizando seu espaço:
Os espelhos, além da autocontemplação, causam efeitos interessantes. Aplicados, por exemplo, em uma parede inteira pode duplicar a amplitude do ambiente. Pode ser usado também em móveis, tetos, em diversos formatos e valorizar a luminosidade da decoração.

As cores tem poder de causar sensações. Em ambientes com pouco espaço, elas podem colaborar para que a sensação de amplitude possa tanto aumentar quanto diminuir. Para pintar as paredes de sua sala aposte em cores claras. O teto com uma cor mais clara que a das paredes, por exemplo, pode simular uma elevação do teto, já em uma cor mais escura, promoverá uma sensação de rebaixamento do teto.

A escolha e posição dos móveis são um aspecto muito importante. Opte por poucos móveis, nunca de tamanhos exagerados e posicione-os de forma que valorize o espaço. Móveis que misturam poucos materiais, baixos e com linhas retas proporcionam leveza ao ambiente.

Uma solução muito interessante para espaços pequenos é a utilização de prateleiras. Caixas para produtos horto frutícolas reformadas podem se tornar lindas prateleiras. Mas cuidado com a profundidade, para não atrapalhar na disposição de outros móveis e objetos.

Móveis multifuncionais ou móveis inteligentes são excelentes alternativas para uma sala pequena. Um bom exemplo são pufes, que podem ser usados como mesas de centro ou ficarem alojados debaixo de aparadores e quando recebemos visitas podem se transformar em assentos extras. Mesas dobráveis também são uma ótima opção.

Escolher o mesmo piso ou revestimento pode dar a impressão de área maior, de continuidade. Mudanças drásticas de um ambiente para outro pode causar a sensação de divisão e consequentemente fazer parecer menor.

Algumas outras dicas: um sofá retrátil ou reclinável garante muito mais conforto e ocupa o espaço de um sofá simples. Suporte ou painéis móveis para TV possibilitam que ela seja movida na direção desejável. Caso o ambiente tenha escadas, escolher um modelo de escadas vazadas evita divisões e pode se tornar uma peça de destaque na sala. E para as cortinas, escolha tecidos leves, lisas e sem estampas.

De qualquer forma, ouse, não tenha medo de arriscar, crie, não copie, só assim será seu!

Luciana Santos.

Outros textos do autor:
Dicas para decorar salas pequenas.

Pesquisar mais textos:

Luciana Maria dos Santos

Título:Dicas para decorar salas pequenas.

Autor:Luciana Maria Santos(todos os textos)

Imagem por: crabchick

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Carlos Rubens Neto 16-06-2016 às 16:20:24

    Excelente matéria! Parabéns Luciana ;)

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios